GT3 Brasil: Com pole, Ricci quebra recorde em Curitiba

A volta em 1min18s511 do Ferrari F430 é a melhor já registrada no traçado paranaense em três anos do Itaipava GT3 Brasil.

A pole position conquistada pelo gaúcho Cláudio Ricci (parceiro de Rafael Derani) com o Ferrari F430 não significa somente a vantagem de largar na frente na quarta etapa do Itaipava GT3 Brasil, amanhã ao meio-dia. O tempo marcado pelo piloto, de 1min18s511 (média de 169,42 km/h), é o mais rápido já registrado para os 3.695 metros do circuito curitibano.

Até então, a melhor volta havia sido marcada por Xandy Negrão em novembro de 2008, com o Ford GT, de 1min18s559 (média de 169,32km/h), também em um treino classificatório. A diferença entre o recorde antigo e atual é de apenas 0s048.

“É um sinal do quanto o Itaipava GT3 Brasil vem evoluindo nestes três anos de existência”, afirmou Cláudio Ricci, parceiro de Rafael Derani na equipe CRT. De acordo com o piloto gaúcho, a quantidade de treinos particulares realizados no Autódromo de Curitiba é um dos fatores desse bom desempenho. “Foi importante porque trabalhamos muito aqui em Curitiba nos testes de adaptação aos pneus da Pirelli”, contou. Segundo a equipe CRT, durante a pré-temporada os Ferrari F430 completaram dois mil quilômetros em testes no traçado paranaense. “Não ficamos parados. Disputamos também os 1000 Km de Interlagos com estes pneus. Então não foi por acaso, foi fruto de muito trabalho da equipe”, acrescentou Ricci.

Apesar de toda quilometragem acumulada, o gaúcho observa que mesmo assim foi difícil conquistar a pole para a segunda corrida. Para a largada da primeira prova, Ramon Matias (Matheus Stumpf) foi o melhor, com o Dodge Viper. “Isso mostra que o Itaipava GT3 está extremamente equilibrado neste ano. Os carros estão com desempenhos muito parecidos”, afirmou.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *