GT3 Brasil: Primeira corrida do GT3 Brasil é decidida nos últimos metros em Interlagos

Falta de combustível tira a vitória das mãos de Cláudio Ricci e Rafael Derani pouco antes da linha de chegada.

Uma corrida eletrizante e completamente indefinida até os últimos metros. Foi assim que começou a temporada 2009 do GT3 Brasil, nesta tarde de sábado em Interlagos, São Paulo. O campeonato que coloca máquinas dos sonhos nas pistas brasileiras, viu uma disputa intensa entre Ferrari, Porsche e Ford durante uma hora no circuito paulistano. Protagonista da briga pela vitória, a equipe CRT Brasil – que compete com duas Ferrari modelo F430 GT3 – viu o primeiro lugar escapar das mãos de Cláudio Ricci a poucos metros da linha de chegada, na última volta da prova.

Pole-position, o piloto Rafael Derani foi quem comandou a Ferrari número 03 da CRT na primeira parte da corrida. Ainda na primeira volta, porém, o piloto caiu para a terceira colocação e passou a seguir de perto os líderes – Clemente Lunardi (Ford GT40) e Lico Kaesemodel (Porsche 911 GT3 997). Derani administrou, também, os ataques do Dodge Viper pilotado por Ramon Matias – que vinha na quarta colocação. “Eu sabia que a largada seria bastante difícil porque o Ford e o Porsche têm uma arrancada um pouco melhor que a Ferrari. Mas o importante, por se tratar de uma corrida muito longa, era me manter próximo dos líderes e foi o que eu consegui fazer até a parada no box”, contou Derani.

Na 15ª volta, já com os boxes abertos para o pit-stop e troca de pilotos obrigatória, os três primeiros colocados entraram juntos para as suas paradas. Aproveitando o tráfego na saída, a equipe CRT conseguiu colocar sua Ferrari F430 na frente, com Cláudio Ricci – que assumiu o cockpit para o turno final – abrindo uma diferença próxima de 2s5 na liderança. A partir daí, Ricci se aproveitou da intensa disputa entre o Ford GT40 (pilotado por Constantino Júnior) e o Porsche 997 (pilotada por Thiago Camilo) para abrir vantagem na primeira posição.

Mas foi a duas voltas do fim que começou o drama do piloto da CRT Brasil. Ao se aproximar da reta dos boxes para abrir o giro final, o piloto percebeu que seu carro estava próximo de ficar sem combustível. A última volta foi dramática. Ricci era o líder com Constantino Júnior se aproximando rapidamente com o Ford GT40. No trecho de subida que antecede a reta de chegada, o motor da Ferrari começou a falhar pela falta de combustível, Ricci ficou mais lento e Constantino fez a ultrapassagem – cruzando a linha de chegada na frente.

“Foi uma pena, mas foi coisa de corrida. Desde o começo dos treinos nós tínhamos dúvidas quanto à autonomia do novo motor que a Ferrari está usando no GT3 Brasil, e praticamente não pudemos trabalhar nisso”, lamentou Cláudio, que terminou a prova na segunda colocação.

Para a temporada 2009, a equipe CRT trouxe para o Brasil um novo kit de preparação dos da Ferrari F430 GT3. Mas, com os treinos da primeira etapa prejudicados pela chuva na região de Interlagos, a equipe não pôde avaliar corretamente o consumo de combustível. “Conseguimos fazer um teste real do consumo no treino livre da manhã, antes da tomada. Mas depois disso não houve tempo de fazer as alterações necessárias no motor”, disse Gregório Pesinato, engenheiro do time.

A segunda Ferrari da CRT Brasil na etapa, pilotada por Walter Derani e pelo estreante goiano Rodolpho Santos, terminou a prova na sexta colocação. “Foi uma experiência muito boa. O carro é rápido, mas bastante diferente de tudo que eu já tinha pilotado antes”, comentou Rodolpho, que vem da Fórmula 3 Sul-Americana para os carros de turismo. “Mesmo assim consegui me adaptar rapidamente ao ritmo da Ferrari e, na parte final, já conseguia andar no mesmo tempo dos pilotos que estavam na minha frente. Estranhei um pouco o calor que faz dentro do carro, algo inédito para mim, mas nada que atrapalhasse minha pilotagem”, completou o piloto.

O campeonato 2009 do GT3 Brasil prossegue neste domingo em Interlagos, quando será disputada a segunda etapa do ano. Na prova marcada para as 12h, a equipe CRT alinhará seus carros respectivamente na quarta e nona posições – com Cláudio Ricci e Rodolpho Santos, que serão os responsáveis pelo primeiro turno da prova.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *