GT3 Brasil: Washington Bezerra elogia novidades da categoria

Um dos maiores nomes do automobilismo brasileiro, dono de sete títulos da Stock Car, se mostra a favor das mudanças para o Telefônica Speedy GT3 Brasil.

Sete títulos na Stock Car como dono de equipe e a fama de excelente preparador de carros de corrida fazem de Washington Bezerra um dos maiores nomes do automobilismo brasileiro. Com a WB Motorsport preparando os Porsche 911 GT3 RSR, ele teve entre seus comandados na última temporada nada menos do que Emerson e Wilsinho Fittipaldi.

Do alto de sua longa experiência, Washington mostra-se empolgado com o que há por vir na temporada 2009 do Telefônica Speedy GT3 Brasil, categoria  que reúne os supercarros mais desejados pelos fãs do automobilismo. Washington se diz um entusiasta do novo regulamento:
“Gostei demais das mudanças. Elas vão acrescentar muito ao espetáculo e à competitividade da categoria”, antecipa. “Mais pilotos poderão pontuar e esta é uma alternativa muito válida”, comentou. A GT3 mudou seu sistema de pontos. Até o ano passado apenas os oito primeiros pontuavam, como acontece na Fórmula 1, mas agora os 15 melhores de cada corrida registram pontos.

A adoção do lastro de graduação (que é atrelado ao nível de experiência e ao currículo dos pilotos) e o lastro de desempenho (que é a adição de peso conforme os resultados obtidos) também mereceram aprovação do bem-sucedido chefe de equipe: “É assim no mundo inteiro, e se não puserem lastro, ninguém segura mesmo. Antigamente eu não gostava muito disso, porque na Stock Car isso foi instituído para penalizar somente a minha equipe na época”, lembra. “Entretanto, este processo só pode ser feito após os testes de equalização, para que todos fiquem em pé de igualdade. No ano passado fomos um pouco prejudicados por isso, porque depois da equalização feita na Europa alguns carros receberam evoluções, menos os Porsche, que só teve retirados dez quilos, uma quantidade insuficiente”, conta.

Isto, segundo ele, prejudicou um pouco o desempenho dos carros guiados por Valdeno Brito, Antônio Hermann, Wilsinho e Emerson Fittipaldi. “Largamos na pole position em Santa Cruz do Sul, e era uma prova que deveríamos ter vencido. Mas os outros carros eram superiores na largada”, lembrou. Na ocasião, Valdeno Brito marcou a pole position para a segunda corrida daquele final de semana.

Outro ponto positivo na visão de Washington Bezerra é a criação da GT Masters, um campeonato paralelo que premia as duplas que têm em sua composição ao menos um piloto da graduação Bronze (excluída somente a formação Bronze-Platina).

“O piloto classificado como bronze normalmente é aquele cara que não pôde correr quando jovem, e que depois de ter trabalhado a vida inteira, resolve se divertir. É claro que ele não vai ter o mesmo desempenho dos pilotos profissionais, já que eles não estão lá somente para guiar por prazer. Porém, ninguém corre para perder. Por isso acho muito válida esta medida. Eles merecem uma premiação à parte”, afirmou.

Bezerra adiantou que terá à disposição três modelos da fábrica de Stuttgart para a disputa da temporada 2009. Entretanto, as duplas de pilotos ainda não estão confirmadas. “Creio que isto irá acontecer depois do Carnaval, mas estou ansioso pela temporada que se aproxima”.
A temporada 2009 do Telefônica Speedy GT3 Brasil começa no dia 26 de abril, em São Paulo.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *