GT3 Brasil:Claudio Dahruj e Rafael Daniel superam punição para vencer primeira prova do ano em Inter

O que parecia uma vitória certa quase escapou das mãos da dupla, com grid cheio e boa corrida na abertura da temporada do Itaipava GT Brasil.

O resultado foi o que todo mundo esperava, mas a forma como ele foi conquistado é que despertou as atenções no sábado (20), na primeira etapa do Itaipava GT Brasil, disputada em Interlagos. Claudio Dahruj e Rafael Daniel, que haviam largado na pole position, venceram a corrida ao volante do Lamborghini Gallardo LP560. Mas a vantagem de quase cinco segundos sobre os segundos colocados, a dupla do Ford GT, Matheus Stumpf e Valdeno Brito, não conta absolutamente nada sobre a prova de abertura da temporada 2010.

O favoritismo da dupla começou a ser ameaçado logo na largada, quando Marcelo Hahn, que corre em parceria com Allam Khodair em outro Lamborghini Gallardo LP560, tomou a liderança com uma ultrapassagem por fora no S do Senna. Na disputa pelo primeiro lugar, eles chegaram a se enroscar: Claudio Dahruj acertou a traseira do carro do líder, Marcelo Hahn, durante procedimento de relargada após intervenção do safety car, na volta 5. A direção de prova puniu a manobra, anunciando um drive thru para Claudio Dahruj.

Mas o maior prejudicado foi mesmo Marcelo Hahn, que precisou abrir mão da liderança e parar nos boxes para trocar o pneu, furado na batida da Subida do Café. “Foi falta de experiência da parte dele. Quis ficar do meu lado na relargada. Eu estava abrindo e indo embora”, lamentou Marcelo Hahn. A confusão deu a liderança da prova para Matheus Stumpf, que entregou o carro para o parceiro, Valdeno Brito, ainda em condições de vencer. Pelo menos, era o que todo mundo acreditava até ver os tempos de volta de Rafael Daniel, substituindo Claudio Dahruj no comando do Lamborghini Gallardo LP560.

“Nosso pit stop foi muito rápido. Estávamos 23 segundo atrás dos lideres e, quando entrei na pista, já estava em 15. Eu enxergava os primeiros colocados. Acho que o segredo foi o desempenho do carro na parte final da prova, ele se comportou bem desde a largada e teve um desgaste menor que os outros”, contou Rafael Daniel. A dupla teve, também, um pit stop muito rápido. E pôde colocar nesta conta a superioridade do modelo diante dos demais: depois de assumir a liderança, na Junção, Rafael Daniel abriu de cara um segundo de vantagem só até a reta dos boxes.

O parceiro de Matheus Stumpf, Valdeno Brito, que conduzia o Ford GT no momento da ultrapassagem, nem quis saber de briga. “Na verdade, nós temos que pensar no campeonato. Está claro que os Lamborghini são superiores, uma hora isso vai se acertar com a equalização, mas no momento só nos resta marcar o maior número de pontos. Tanto que nem ofereci resistência. Nos últimos vinte minutos, os pneus começaram a apresentar problemas, o carro vibrava muito, fiquei receoso de não completar a corrida”, revelou Valdeno Brito.

Ele teve uma excelente disputa pela liderança com Xandy Negrão, que divide um outro Ford GT com Andreas Mattheis, logo após a parada nos boxes – depois, Xandy Negrão escapou sozinho no S do Senna, mas ainda foi sétimo. A terceira posição ficou merecidamente com Ricardo Maurício e Bruno Garfinkel, de Lamborghini Gallardo LP560, superando na última volta o Porsche 911 GT3 S da dupla Beto Monteiro e Julio Campos. Eles, na verdade, despencaram de terceiro para quinto na passagem final, cedendo o quarto lugar para Chico Serra e João Adibe.

Em sexto, terminaram Marcos Gomes e Thiago Viana, estreando com Ferrari F430 GT3 – que ainda está sem as atualizações que deixarão o modelo mais veloz em 2010. Teve mais gente namorando um lugar no pódio em Interlagos. Pedro Queirolo, com um Dodge Viper Competition Coupe, chegou a ocupar a terceira posição na corrida, já depois das paradas, mas recebeu um drive-thru por ter ficado menos tempo que o determinado por regulamento nos boxes. A diferença foi mínima, mas impediu a conquista de um resultado que, nos treinos, parecia distante do carro.

“Eu não esperava, achava que o carro não tinha condições de acompanhar, mas depois que começou a corrida ele estava no ritmo dos outros – não do Lamborghini, mas dos demais. O que atrapalhou foi o drive thru. Na parada, ainda perdi mais 25 segundos. Mas foi bom, o importante é que o carro está bem regular”, disse Pedro Queirolo. O outro carro do TNT Energy Team não teve muito tempo para ganhar posições: Marcello Sant’Anna parou na terceira volta em função dos problemas com a temperatura do carro, que forçaram a troca de motor para domingo (20).

Eduardo Souza Ramos e Leandro de Almeida fizeram uma corrida consistente para chegar ao oitavo lugar, com Ford GT, seguidos por Roberto Posses e Betinho Gresse, de Porsche 911 GT3 S, e Antonio Pizzonia, parceiro de Walter Derani e estreante na categoria com Ferrari F430 GT3. O domínio do Lamborghini Gallardo LP560 faz prever nova vantagem neste domingo, na segunda etapa do campeonato, que tem largada agendada para 13h30, com transmissão ao vivo da Record News. Mas ficou claro que, no Itaipava GT Brasil, não é tão simples transformar favoritismo em conquistas.

O RESULTADO DA PRIMEIRA ETAPA EM INTERLAGOS
1º) Cláudio Dahruj/Rafael Daniel – 28 voltas em 50:43.508
2º) Valdeno Brito/Matheus Stumpf – a 4s778
3º) Bruno Garfinkel/Ricardo Mauricio – a 8s895
4º) Chico Serra/João Adibe – a 11s150
5º) Beto Monteiro/Júlio Campos – a 11s369
6º) Marcos Gomes/Thiago Viana – a 13s817
7º) Andreas Mattheis/Xandy Negrão – a 17s723
8º) Eduardo Ramos/Leandro Almeida – a 43s408
9º) Beto Gresse/Roberto Posses – a 47s430
10º) Walter Derani/Antônio Pizzonia – a 48s732
11º) Pedro Queirolo – a 1min15s402
12º) Paulo Fernando Poeta/Fábio Carreira – a 1min22s445
13º) Vanue Faria – a 1min23s617
14º) Renan Guerra – a 1 volta
15º) Sérgio Laganá/Alan Hellmeister – a 1 volta
16º) Cristiano Federico/LeonardoMedrado – a 1 volta
17º) Marçal Mello/William Freire – a 1 volta
18º) Valter Rossete – a 2 voltas
19º) Henrique Assunção/Ccarlos Kray – a 2 voltas
20º) Marcelo Hahn/Allan Khodair – a 4 voltas
21º) Carlos A. Burza/André Posses – a 5 voltas
22º) Rafael Derani/Cláudio Ricci – a 8 voltas
23º) Cleber Faria – a 14 voltas
24º) Lico Kaesemodel/Léo Burti – a 21 voltas
25º) Adriano Griecco/Samuel Melo – a 22 voltas
26º) Marcello Sant’Anna/Leonardo Vital – a 23 voltas
27º) Chico Longo/Daneil Serra – a 24 voltas

Melhor Volta: Cláudio Dahruj/Rafael Daniel, 1min36s541 (160,68 km/h)

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *