IndyCar: Bruno Junqueira consegue façanha em Richmond e, pela primeira vez no ano, garante posição de largada entre os 10 primeiros

Circuitos ovais são todos iguais e o que importa é apenas pisar no acelerador, certo? Para quem acha que sim, basta uma olhada rápida nas várias pistas do calendário da IRL. Depois de traçados longos como os de Indianápolis e do Texas, a categoria iniciou uma série de provas em pistas curtas, nas quais o que pesa é a habilidade do piloto e sua capacidade de encontrar o acerto ideal. Por isso mesmo, não é de espantar o desempenho do mineiro Bruno Junqueira (Alcompac/Telemont) nos treinos para o GP de Richmond, nona etapa do campeonato. Com toda a experiência acumulada nas pistas americanas, ele levou o Dallara Honda da Dale Coyne Racing pela primeira vez a um lugar entre os 10 primeiros no grid. Quando a bandeira verde for mostrada, às 21h (de Brasília), para a primeira das 300 voltas, o mineiro estará ocupando a nona posição, de olho em um resultado ainda melhor na corrida. A pole é verde-amarela, com Tony Kanaan (Andretti Green).

Ao contrário de boa parte dos adversários vindos da ChampCar, que tiveram um treino extra na quinta-feira para se adaptarem à pista de apenas 0.75 milha (1.207m), Bruno só completou suas primeiras voltas ontem, quando a equipe concluiu a montagem do chassi danificado no acidente em Iowa (a quebra de um braço de suspensão danificou o carro e impediu que ele corresse). Desde o início, se sentiu confortável no traçado, que exige reduções de marcha e frenagens constantes. Na segunda sessão do dia, Bruno mostrou ter condições de andar bem mais próximo dos times veteranos da IRL do que em etapas anteriores e já chamou a atenção ao conseguir a quinta melhor marca, com média de 264,7km/h.


Na qualificação, já no início da noite (pelo horário americano), Bruno manteve o bom desempenho e foi ainda mais rápido, completando suas quatro voltas cronometradas a uma média de 267,14km/h. Ao descer do carro, a felicidade era mais do que justificada. “Estou muito contente, com nosso primeiro top 10 num grid de largada. Temos trabalhado realmente duro para chegar a esse resultado, sem duvida merecido para toda a equipe. Depois de uma bom resultado no treino que antecedeu a classificação, em que fui o quinto colocado, sabia que poderíamos brigar por um lugar nas primeiras filas, e assim foi. Alcancei minha melhor classificação e agora espero tambem a minha melhor corrida amanhã”, afirmou Bruno, que este ano já liderou o GP do Texas.


“Esse é um oval em que o piloto consegue fazer a diferença, pois não é uma pista onde andamos com o pé no acelerador todo o tempo, como a maioria, o que acaba creditando quase toda a performance ao carro. Por ser assim, fico muito satisfeito por estar aqui mostrando meu talento, ao alcançar o nono lugar com um carro não tão competitivo”.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *