IndyCar: Dario Franchitti vence em Toronto e assume liderança do campeonato

O escocês Dario Franchitti, da Ganassi, venceu neste domingo (12/07), o GP de Toronto, no Canadá. Com a terceira vitória no ano, Franchitti assumiu a liderança do campeonato. Os australianos Ryan Briscoe e Will Power, parceiros na Penske, completaram o pódio.

Na largada o norte-americano Grahan Rahal, da Newman-Haas-Lanigan, e Power se tocaram com o australiano tendo um pneu furado e o filho de Bobby Rahal danificando a asa dianteira. Briscoe acabou tendo um pneu furado ao passar pela confusão.

Pole-position, Franchitti manteve a liderança, seguido pelo canadense Alex Tagliani, da Conquest. Um toque entre o inglês Dan Wheldon, da Panther e o norte-americano Richard Antinucci, da 3G, na 8ª volta e uma rodada do norte-americano Ed Carpenter, na 12ª, provocaram duas breves bandeiras amarelas.

Na 25ª volta Franchitti fez a sua primeira parada nos boxes, perdendo tempo numa lenta troca de pneus. Tagliani assumiu a liderança.

Para delírios dos fãs canadenses o veterano Paul Tracy, que não disputa regularmente o campeonato, começou a dar um show de ultrapassagens, para chegar ao segundo lugar. Depois de ganhar sete posições na primeira volta, Tracy chegou ao quarto lugar com a ida de vários pilotos aos boxes durante as bandeiras amarelas. Depois o piloto da KV superou o inglês Mike Conway, da Dreyer e Reinbold, e em seguida o neozelandês Scott Dixon, da Ganassi, colando na traseira do compatriota Tagliani. Os dois lideraram a prova por diversas voltas, até pararem nos boxes.

Com as estratégias de paradas, o sul-africano Tomas Scheckter, da Dreyer&Reinbold, apareceu na primeira posição, pressionado pelos parceiros de Penske, o brasileiro Helio Castroneves e Power. O trio tinha ido aos boxes durante as bandeiras amarelas e tentava ficar o maior tempo possível na pista, para fazer apenas mais uma parada antes de outra amarela.

A janela para um novo pit stop chegou com os pilotos começando a parar, pouco antes de um toque entre Rahal e Carpenter provocar a terceira amarela nas ruas de Toronto. Franchitti, que estava nos boxes no exato momento, apareceu em segundo, entre Castroneves e Tracy, que tinha feito um pit stop lento um pouco antes da amarela.

A paralisação, contudo foi péssima para Tagliani, que liderava a corrida, e teve que esperar a formação da fila de carros antes de ir aos boxes, caindo para a 9ª posição.

A prova recomeçou na 61ª volta, com Franchitti ultrapassando Castroneves na primeira curva. Tracy foi para cima do brasileiro, com os dois se tocando na terceira curva da 66ª volta. Tracy acabou a prova na curva quatro, com Castroneves tendo a suspensão do Dallara-Honda quebrada. A bandeira amarela foi novamente agitada por três voltas.

Na 75ª volta o brasileiro Tony Kanaan, da Andretti-Green, que vinha numa corrida apagada após largar do fim do grid, abandonou com a suspensão do carro quebrada. O brasileiro Mario Moraes, da KV, se enroscou com o venezuelano Ernesto Viso, da HVM, com Tagliani e Scheckter colidindo na curva três, levando o novato brasileiro na confusão, provocando uma a quinta amarela. Apenas o sul-africano abandonou. Duas voltas depois a prova recomeçou.

Franchitti manteve a ponta, seguido por Briscoe e Wilson. Vencedor da etapa anterior, em Watkins Glen, Wilson tentou ganhar a segunda posição de Briscoe, na curva um, porém o inglês errou, e duas curvas depois foi ultrapassado por Power. No final Dixon também passou Wilson.

Franchitti venceu com 1s674 de vantagem sobre Briscoe. Power foi o terceiro, seguido por Dixon e Wilson. A norte-americana Danica Patrick salvou o fim de semana da Andretti-Green com o sexto lugar.

Raphael Matos, da Luczo Dragon, acabou sendo o melhor brasileiro na prova, em 10º lugar, uma posição a frente de Moraes.

Franchitti é o novo líder da temporada, com 347 pontos, dois a mais do que Dixon. Briscoe é o terceiro, com 334, seguido por Castroneves, que soma 269. Kanaan é o 8º, com 227, Matos, 12º, com 182 e Moraes 16º, com 157 pontos.

A próxima etapa acontece no dia 26 de julho em Edmonton, no Canadá.

Final:

1 – Dario Franchitti – Ganassi – 85 voltas em 1h44m25s
2 – Ryan Briscoe – Penske – 1.6745
3 – Will Power – Penske – 2.1355
4 – Scott Dixon – Ganassi – 2.4803
5 – Justin Wilson – Coyne – 2.9230
6 – Danica Patrick – Andretti-Green – 6.4095
7 – Ryan Hunter-Reay – Foyt – 7.1837
8 – Marco Andretti – Andretti-Green – 8.2552
9 – Alex Tagliani – Conquest – 13.4745
10 – Raphael Matos – Luczo Dragon – 16.0983
11 – Mario Moraes – KV – 19.0141
12 – Hideki Mutoh – Andretti-Green – 1 volta
13 – EJ Viso – HVM – 1 volta
14 – Dan Wheldon – Panther – 1 volta
15 – Ed Carpenter – Vision – 3 voltas

Volta mais rápida: Ryan Briscoe 1:02.2313

Abandonos:

Tomas Scheckter – Dreyer&Reinbold – 74 voltas
Tony Kanaan – Andretti/Green – 71 voltas
Helio Castroneves – Penske – 65 voltas

Paul Tracy – KV – 65 voltas
Graham Rahal – Newman-Haas-Lanigan – 57 voltas
Richard Antinucci – Beck – 41 voltas
Mike Conway – Dreyer&Reinbold – 32voltas
Robert Doornbos – Newman-Haas-Lanigan – 26

Campeonato:

1. Franchitti 347; 2. Dixon 345; 3. Briscoe 334; 4. Castroneves 269; 5. Patrick 266; 6. Wheldon 240; 7. Andretti 239; 8. Kanaan 227; 9. Wilson 217; 10. Rahal 209.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *