IndyCar: Etapa brasileira é a segunda mais importante do Mundial, diz executivo da Indy

Itaipava São Paulo Indy 300 Nestlé só perde em audiência para as 500 Milhas de Indianápolis; “É sempre uma satisfação muito grande estar aqui”, diz vice-presidente da categoria

O Circuito Anhembi, que recebe neste final de semana (4 e 5) a quarta edição da Itaipava São Paulo Indy 300 Nestlé, deu início às suas atividades já nesta quinta-feira (2) recebendo jornalistas de todo o país (e de algumas partes do planeta) para a primeira entrevista coletiva oficial, realizada no início da tarde. Presentes ao encontro, os pilotos brasileiros Bia Figueiredo, Tony Kanaan e o líder do campeonato, Helio Castroneves, mostraram bom humor e otimismo em relação à prova que acontece na capital paulista.

Também estiveram presentes o presidente da SPTuris, Marcelo Rehder, o diretor-geral da Enter, empresa de eventos do Grupo Bandeirantes que organiza a corrida, Caio Luiz de Carvalho, o diretor-médico da prova, Marino Guerreiro, da Amil Resgate e Saúde, e o vice-presidente da Fórmula Indy, Greg Gruning, que fez uma revelação aos jornalistas que compareceram à coletiva: a Itaipava São Paulo Indy 300 Nestlé é a segunda corrida mais assistida da Fórmula Indy em todo o planeta, atrás apenas das 500 Milhas de Indianápolis.

O fato de ser a única corrida fora do eixo Estados Unidos-Canadá agrada aos dirigentes da Fórmula Indy. Vice-presidente da categoria, Gruning transpareceu este sentimento durante o encontro com os jornalistas. “É sempre uma satisfação muito grande vir a São Paulo, que é um mercado enorme para nós. Usamos o combustível brasileiro, temos um brasileiro liderando o campeonato (Helio Castroneves, da Penske), outro chegando à sua 200ª largada consecutiva (Tony Kanaan, da KV Racing), e a Bia (Figueiredo, da Dale Coyne) encaixando uma boa sequência de corridas. Além disso, temos um grande suporte dos organizadores e do público aqui”, disse.

Coincidência ou não, as duas corridas acontecem no mês de maio, com as 500 Milhas demandando dez dias de preparações até a bandeira verde. “Adoro o circuito por muitas razões. Tem a maior reta de todo o calendário e todo ano que venho para cá eu gosto muito do produto que recebemos e de como somos tratados. Não dá para ser melhor”, afirmou.

A satisfação dos norte-americanos com a prova paulistana se reflete também na audiência televisiva. A Itaipava São Paulo Indy 300 Nestlé é a segunda mais vista do calendário, atrás somente das 500 Milhas de Indianápolis, prova de maior prestígio do automobilismo norte-americano. E por aqui, a casa deve ficar cheia mais uma vez, de acordo com Caio Luiz de Carvalho: “Só restam dois mil ingressos à venda, e até sábado isso deve se esgotar”, apontou. A prova é transmitida para cerca de 200 países por grandes redes de televisão, como a Bandeirantes, no caso do Brasil, pela ABC, NBC e pela ESPN Internacional para outros países.

“A Indy tem uma característica muito especial: ela é muito forte nos Estados Unidos e São Paulo é o principal destino dos norte-americanos entre todas as cidades da América do Sul. Transmitimos para o mundo inteiro e isso promove a cidade. As vendas foram muito boas e novamente teremos casa cheia”, concluiu.

Para Marcelo Rehder, presidente da São Paulo Turismo (SPTuris), o sucesso da Itaipava São Paulo Indy 300 Nestlé comprova a vocação turística da cidade. “É a quarta edição e apesar de ser relativamente novo, o evento já faz parte do calendário de São Paulo, que tem essa vocação para turismo de negócios e grandes eventos. A Indy começou aqui quatro anos atrás e já está consolidada. É muito importante pela projeção fora do país e na grande participação da categoria no mercado norte-americano, além de ser mais um mecanismo de capacitação da cidade para a abertura e os jogos que iremos receber na Copa do Mundo de 2014”, destacou.

Bom humor entre os pilotos – Bia Figueiredo abriu o encontro oferecendo ao compatriota Tony Kanaan a proteção da mão direita usada por ela na prova de 2011, quando havia fraturado um osso da mão na abertura daquela temporada. O piloto da KV Racing, que faz em São Paulo a sua 200ª largada consecutiva na Fórmula Indy, sofreu um ferimento na última volta do GP de Long Beach, realizado há duas semanas, na volta final da prova, depois de um toque com o carro do espanhol Oriol Servia.

Os pilotos, mais uma vez, fizeram questão de elogiar a qualidade do traçado e da superfície dos 4.080 metros onde será disputada a quarta etapa do campeonato – a última antes das 500 Milhas de Indianápolis -, e lembraram das melhorias realizadas para a corrida deste ano na capital paulista.

“Como presidente da associação de pilotos da Indy, eu cansei de frisar que a categoria deveria usar esta pista como exemplo para qualquer circuito de rua no mundo. Os organizadores – e aí destaco a Prefeitura e a Band – fazem o evento e a pista ser uma das melhores em que a gente já correu. É o asfalto mais bem testado do mundo, porque tem carro o dia inteiro 24 horas por dia aqui”, destacou Kanaan.

Circuito fica mais rápido – As obras realizadas na pista para este ano incluem o alargamento da área nas curvas um e dois, justamente o S do Samba, a primeira freada logo após a bandeira de largada, de onde os carros chegam a mais de 250 km/h para contorna-la a pouco mais de 100 km/h; e também a diminuição da altura das zebras de entrada e saída de todas as 11 curvas do traçado.

As medidas visam aumentar a segurança dos pilotos, especialmente no caso das relargadas, que são realizadas com os carros alinhados em duas filas, com uma área maior na freada para a primeira curva; a diminuição da altura das zebras visa justamente ampliar esta segurança no caso de alguma saída para a área de escape.

“Com zebras mais baixas a pista vai ficar mais rápida sem dúvida, e isso vai se refletir nos tempos de volta, pois o pilotos vão atacar mais nas curvas. Mas acho que o principal vai ser o aumento da segurança na largada e nas relargadas, pois o pessoal vai se espremer, mas vai ter mais espaço, o que pode prevenir certos acidentes”, apontou Helio, que pela primeira vez chega ao Brasil na condição de líder do campeonato.

“Aqui no Brasil o pessoal é muito ágil e consegue mudar o que nos incomodava antes. A Indy tem essa característica de correr em circuitos ondulados, mas daí passar por cima de trilho, como aconteceu em Baltimore no ano passado, já é um pouco demais. O Anhembi é um exemplo de circuito de rua para os Estados Unidos, e espero que um dia eles possam analisar a nossa pista com mais carinho para usar isso lá”, continuou o piloto da Penske, que visa brecar a série invicta do companheiro de equipe Will Power, vencedor das três edições anteriores da Itaipava São Paulo Indy 300 Nestlé

“Dentro da equipe há uma rivalidade, mas ela é muito saudável. Nossa relação é bem aberta quanto ao acerto do carro e como em discussão sobre traçados e outras coisas. As estratégias acabam sendo diferentes, e é o que acontece hoje na Indy. A torcida sempre dá um apoio muito forte, e vamos tentar parar o nosso companheiro de time”, disse.

Bia Figueiredo chega em sua terra natal comemorando o fato de engatar, pela primeira vez em sua carreira na Indy, uma sequência de corridas sem sobressaltos. “A temporada começou bem. A Dale Coyne é uma equipe pequena, mas tem possibilidades de conquistar bons resultados. E é o que eu espero aqui: ter meu melhor fim de semana na Indy”, afirmou a piloto.

A mão de Tony – Kanaan vai usar o primeiro treino livre do sábado para checar a condição de sua mão direita, ainda parcialmente enfaixada após o acidente de Long Beach. Com três lesões em três pontos diferentes da mão, o experiente piloto da KV Racing destacou a melhora do time em relação ao ano passado, quando a equipe tinha três carros. “As equipes grandes definem seus carros com muita antecedência, e ano passado tínhamos um carro e pouco antes de começar a temporada tínhamos três. Isso deu uma desorganizada na equipe. Esse ano, já sabíamos que teríamos a Simona (de Silvestro, suíça que é sua companheira de equipe) desde outubro. Isso nos deu tempo de buscar os melhores mecânicos e engenheiros disponíveis e trabalhar no entrosamento”, afirmou.

Sobre a condição da mão, Tony diz ainda ser um mistério. “Foi um acidente banal, mas que me custou bastante. Quando o médico disse que ia levar oito meses para curar eu dei risada achando que ele estava brincando, e repouso é o que eu menos tenho. Pelo menos tenho feito um acompanhamento com os médicos da Indy e no sábado vou saber como está”, destacou.

“Mas nem que for com uma mão só. Vou engolir a dor e tentar. É algo que realmente incomoda. São três lesões diferentes em três pontos da mão. Vai doer, agora resta saber o quanto vai doer e o quanto eu vou suportar. Pelo menos ela agradece a diminuição das zebras”, frisou.

Além da segurança estrutural do circuito, o evento conta também com a Amil Resgate e Saúde, que disponibiliza 48 profissionais a postos entre médicos e enfermeiros de diversas especialidades, seis ambulâncias distribuídas pelo traçado, um helicóptero e um centro médico montado no Parque Anhembi equipado com dispositivos para cirurgias de trauma, ortopedia, tórax e até plástica. “Estamos preparados, mas torcemos para que ninguém necessite dos nossos serviços”, destacou Marino Guerreiro, diretor-médico da Itaipava São Paulo Indy 300 Nestlé.

Confira a programação da Itaipava São Paulo Indy 300 Nestlé:
Sexta-feira, 3 de maio*
14h-14h45: Brasileiro de GT, treino livre 1
15h-15h45: Mercedes-Benz Grand Challenge, treino livre 1
* As dependências do circuito não estarão acessíveis ao público na sexta-feira.

Sábado, 4 de maio
07h00: Abertura dos portões
08h30-09h00: Itaipava São Paulo Indy 300 Nestlé, treino livre 1, grupo A
09h00-09h45: Itaipava São Paulo Indy 300 Nestlé, treino livre 1, grupo B
10h00-10h20: Brasileiro de GT, treino livre 2
10h30-10h50: Mercedes-Benz Grand Challenge, treino livre 2
11h00-11h20: Brasileiro de GT, classificação I
11h30-11h50: Mercedes-Benz Grand Challenge, classificação.
12h05-13h05: Itaipava São Paulo Indy 300 Nestlé, treino livre 2
13h20-13h40: Brasileiro de GT, classificação II
13h50-14h20: Atividade promocional
14h35-15h45: Itaipava São Paulo Indy 300 Nestlé, classificação
16h00-16h50: Brasileiro de GT, corrida
18h45-21h00: Indy Run 8K

Domingo, 5 de maio
07h00: Abertura dos portões
08h00-08h30: Itaipava São Paulo Indy 300 Nestlé, Warm up
08h45-09h35: Mercedes-Benz Grand Challenge, corrida
09h50-10h40: Brasileiro de GT, corrida II
10h55-11h55: Atividade promocional
12h00-12h20: Desfile dos pilotos
12h30-15h00: Itaipava São Paulo Indy 300 Nestlé, corrida
15h10-15h45: Pódio

Ingressos à venda para a Itaipava São Paulo Indy 300 Nestlé: Os ingressos para a quarta edição da Itaipava São Paulo Indy 300 Nestlé, a etapa brasileira da Fórmula Indy, estão disponíveis não só pelo site TKT1 (www.tkt1.com.br), mas também na bilheteria oficial do Circuito do Anhembi, em São Paulo.Os valores para os setores espalhados pelo Sambódromo do Anhembi variam de R$ 92,50 (meia entrada no setor C) a R$ 800,00 (setor VIP). Quem comprar o ingresso para a corrida, que será realizada em 5 de maio, receberá como cortesia a entrada para os treinos, no dia anterior.

Visite o site do evento: www.saopauloindy300.com.br

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *