IndyCar: Leia os comentários dos pilotos brasileiros após os treinos livres deste sábado

Todos elogiaram a pista construída em tempo recorde e concordaram com o adiamento da classificação para a manhã de domingo. Gil de Ferran, primeiro brasileiro dono de equipe na IRL também participou.

Tony Kanaan:

Foi um dia muito bom, mas temos que continuar trabalhando. A sugestão que nós (pilotos) demos é o que eles estão fazendo (para reparar a reta do Sambódromo). Continuo achando que quem fez a pista deveria ter a consultoria de um piloto. Fazer a pista é uma coisa, andar a 380 km/h é outra.

Para mim (a pista) superou as expectativas. A pista em si ficou muito legal, tem muitos pontos de ultrapassagens, na reta da marginal e no Sambódromo quando o problema for resolvido também será outro ponto. As ondulações e os bumps (ondulações) fazem parte de qualquer circuito de rua.

Mario Moraes:
Fechei o acordo com a equipe ontem à tarde, então estou me acostumando com o carro, com os engenheiros, que são novos… Foi uma pena perder o controle do carro na reta. Pode parecer estranho perder o controle na reta, mas só quem estava dentro do carro naquela hora é capaz de entender o quão difícil estava guiar naquela condição.

Mario Romancini:
Acabei batendo no final do primeiro treino e perdi o segundo enquanto a equipe colocava o carro novamente em ordem. Estou estreando na categoria, então o treino era tudo o que mais precisava. Uma pena, mas espero poder melhorar até a hora da corrida.

Helio Castroneves:
Ajuda ter dois companheiros de equipe, pois assim os engenheiros podem coletar um número maior de informações. Acho que o pessoal da categoria foi bem ao trocar a ordem dos treinos, apesar de a pista já ter emborrachado um pouco na última sessão.
A pista é bem legal, andar na Marginal a 350 km/h é o sonho de qualquer paulistano. Para um circuito de rua está muito bem desenhado e não deve nada a outros circuitos.

Vitor Meira:
Esse terceiro treino livre foi muito bom para conhecer mais da pista. Com um carro só, como é o caso da minha equipe, quanto mais você andar, melhor.

Raphael Matos:
Estou muito feliz com nosso desempenho. É uma pista que tem condições de ser uma grande etapa no calendário. As ondulações, o bumps são iguais a todos os outros circuitos de rua e acho que amanhã vamos poder oferecer um grande espetáculo para o público de São Paulo.

Bia Figueiredo:
Foi certa a decisão de arrumar a pista. Fui uma das vítimas desse gelo que parecia que a gente estava andando. Infelizmente bati no segundo treino, mas acredito que eles vão conseguir fazer um bom trabalho para colocar a pista em condições de a gente fazer uma grande corrida.

Gil de Ferran:
Foi uma decisão acertada mudar a classificação amanhã. Fisicamente vai ser uma corrida difícil. Corrida de rua é sempre imprevisível. Isso faz com que a estratégia seja imprevisível também.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *