IndyCar: Sem motivos para comemorar, Meira tem o melhor resultado brasileiro

Em “exercício de paciência” após desvantagem de duas voltas, piloto da A.J. Foyt é 17º na Itaipava São Paulo Indy 300 Nestlé

Em uma corrida iniciada na tarde de domingo (1º) e complementada nesta segunda-feira (2), depois de sua suspensão motivada pela chuva e as condições adversas de pilotagem no circuito de rua do Anhembi, Vitor Meira foi mais uma vez o brasileiro melhor classificado na etapa brasileira da Indy. Seu balanço da quarta prova de 2011, contudo, foi menos festivo que em 2010, quando foi ao pódio em terceiro – desta vez, o piloto da A.J. Foyt Racing foi 17º colocado.

A primeira tentativa de realização da Itaipava São Paulo Indy 300 Nestlé, no domingo, teve nove voltas. Meira, 14º no grid, conseguiu evitar envolvimento nos inúmeros acidentes verificados na pista molhada e figurava em 11º quando a corrida foi interrompida com bandeira vermelha pela primeira vez, depois de nove voltas. A relargada, dada duas horas e meia após a interrupção, teve o piloto entre os que se envolveram em acidentes no asfalto encharcado do Anhembi.

“Por algum motivo, fiquei sem freios por uma fração de segundo e isso me impediu de fazer a curva”, narrou o piloto, que rodou e bateu. O acidente danificou a parte traseira do Dallara-Honda número 14. “A equipe fez um trabalho fantástico quando autorizaram a mexer nos carros de novo, e eu consegui voltar à pista, mas a condição de pilotagem era complicada e realmente não dava para continuar. A decisão de adiar a corrida para hoje (segunda-feira) foi acertada”.

A segunda bandeira vermelha do domingo foi acionada duas voltas após o acidente de Meira. A sequência da disputa, na manhã desta segunda, respeitou a classificação da corrida quando da segunda interrupção. “Eu comecei a corrida, ou recomecei, já com duas voltas de desvantagem, e quem estava atrás de mim já estava algumas voltas atrás. Aí não tinha muito o que fazer, foi mais um exercício de paciência, ficar na pista e terminar. Nosso problema foi ontem”, resumiu.

Helio Castroneves, da Penske, e Tony Kanaan, da KV-Lotus, haviam tido acidentes a nove voltas da interrupção definitiva da corrida no domingo, o que os deixou em 21º e 22º, respectivamente, na classificação final. Raphael Matos, pela AFS Racing, por acidente, e Bia Figueiredo, da Dreyer & Reinbold, por problemas mecânicos, abandonaram a disputa – eles eram os únicos que seguiam na pista depois das 14 voltas validadas no domingo no circuito do Anhembi.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *