Jogos: Teria a Codemasters roubado um modelo de carro criado por modder?


TwitterFacebookWhatsAppGoogle+Pin It

Ao longo dos anos a Codemasters conquistou o status de uma das melhores desenvolvedoras de jogos de corrida e quando eles adquiriram o direito de produzir títulos da Formula 1, os fãs da categoria ficaram eufóricos. Entre as boas ideias implementadas por eles nos simuladores estava a possibilidade de pilotarmos carros históricos da modalidade, mas a utilização do recurso na edição deste ano do jogo poderá dar uma bela dor de cabeça ao estúdio.

Tudo começou no ano passado, quando um modder chamado Somchith Vongprachanh lançou para o Assetto Corsa uma recriação da Ferrari F2002, que foi pilotada por Michael Schumacher. Então, quando a Codemasterrs disponibilizou o trailer do F1 2017, o sujeito ficou cabreiro com o carro mostrado no vídeo, mas só por ali era difícil ter certeza.

Os meses passaram e após o modder encontrar a página de Matt Jones, artista que trabalhava para a desenvolvedora inglesa, ele baixou o modelo da Ferrari e estudando o wireframe, não teve dúvidas de que o seu trabalho havia sido copiado.

“Agora, olhando para o wireframe ficou claro que de fato era o modelo do F2002 no qual trabalhei por meses,” afirmou Vongprachanh. “Pude ver todas as escolhas que esse artista fez e que praticamente batem com todas as escolhas que eu fiz. Meu coração afundou e me senti com nojo.”

Ao serem questionados sobre o assunto, o pessoal da Codemasters negou a acusação, dizendo que eles usam vários materiais e imagens como fonte de referência e que o modelo utilizado no jogo é fruto do trabalho do estúdio, tendo sido aprovado tanto pela Ferrari quanto pela Formula One Management. O artista por sua vez teria dito que o modelo criado por Vongprachanh realmente serviu como fonte de inspiração, chegando inclusive a oferecer pagar US$ 159 por ele, como um “gesto de boa vontade”.

Algumas pessoas poderão dizer que tudo não passou de uma infeliz coincidência, mas ao ser questionado se isso é possível, o ilustrador 3D AJ Jeffries deu uma resposta que serve para mostrar a chance de algo assim acontecer:

“Existem certas técnicas para modelagem que podem resultar na mesma topologia (wireframe), mas as chance de dois artistas surgirem com a mesma malha para algo tão complexo quanto um carro de Formula 1 é de uma para milhões… A menos que o objeto seja incrivelmente simples, a chance de duas pessoas o modelarem da mesma maneira é essencialmente zero.”

Fonte: Meiobit

Compartilhar
TwitterFacebookWhatsAppGoogle+Pin It

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *