LMS: Raul Boesel lidera equipe brasileira na Mil Milhas

Ex-piloto da Fórmula-1 e campeão mundial de esporte protótipos, Boesel dividirá um Porsche com Nonô Figueiredo e Marcel Visconde.

Raul Boesel voltará a competir com os principais carros esporte do planeta. Campeão mundial de marcas em 1987, o piloto defenderá a Stuttgart Motorsport, única equipe 100% nacional na Mil Milhas Brasil 2007. Boesel dividirá o volante de um Porsche 997 GT3 RSR, da LMGT2, com Nonô Figueiredo e Marcel Visconde. A prova encerrará a temporada da Le Mans Series, no dia 10 de novembro, no Autódromo de Interlagos, em São Paulo.


“Treinamos no circuito de Curitiba e gostei bastante do carro. O Dener Pires, chefe da equipe, é superdetalhista e capaz. Tenho ótimas lembranças das provas que fiz com ele. Em 2002, por exemplo, vencemos a Mil Milhas”, disse Raul Boesel.


Especialista em corridas de longa duração, o brasileiro sabe quais dificuldades irá enfrentar na corrida mais tradicional do País – que nesta edição, de acordo com as normas da Le Mans Series, terá os carros divididos em quatro de categorias: LMP1, LMP2, LMGT1 e LMGT2.


“Temos de ser cautelosos com os carros mais rápidos, sem deixar de lado os adversários da nossa categoria. É preciso estar atento o tempo todo”, afirmou Boesel, que venceu e foi eleito o melhor piloto das 24 Horas de Daytona de 1988.


Com passagens pela Fórmula-1, 500 Milhas de Indianápolis, 24 Horas de Le Mans e 24 Horas de Daytona, Boesel é um dos pilotos mais experientes da Mil Milhas Brasil e sabe, como poucos, os segredos para se conquistar um título. O piloto até arrisca um palpite para a briga desta temporada na categoria LMP1, que conta com Protótipos abertos ou fechados com peso mínimo de 925Kg, motores de até 6000cc e potência de 760 cavalos, sendo a mais veloz da Le Mans Series. A disputa está entre a dupla Pedro Lamy e Stephane Sarrazin, da Peugeot, e francês Jean-Christophe Bouilin, da Pescarolo Judd.


“Acho difícil a Peugeot perder o título. É uma equipe de fábrica e conta com muitos recursos. No entanto, a Pescarolo está de parabéns pelo trabalho que apresentou até o momento”, falou Boesel em relação à equipe do ex-piloto de Fórmula-1 Henry Pescarolo.


Brasileiro mais bem colocado na história da 24 Horas de Le Mans, com o segundo lugar em 1991, Boesel acredita que a chegada da Le Mans Series ao Brasil atrairá o interesse do público e da mídia.


“Quando as pessoas podem visualizar os carros o interesse aumenta. É importante lembrar que muitas inovações tecnológicas foram introduzidas nos carros de rua a partir da experiência das provas de Endurance. A Audi, por exemplo, se consolidou nos últimos anos com as vitórias nas 24 Horas de Le Mans”, explicou Boesel, de 49 anos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *