Mercedes-Benz Challenge: Vitória da união em Interlagos

Colaboração entre equipes viabiliza etapa em São Paulo. Gottschalk vence na C250 e Fonseca/Rabello na CLA

A terceira etapa do Mercedes-Benz Challenge foi disputada neste domingo (27) em Interlagos após grande esforço de pilotos, equipes, Confederação Brasileira de Automobilismo e a Mais Brasil, promotora do evento. Com a paralização das estradas do país, muitos carros não conseguiram chegar em São Paulo para a prova e só com a união de todos os envolvidos os carros entraram na pista para a prova. Na C250 a vitória ficou com Peter Michel Gottschalk, com Marcos Paioli/ Beto Rossi em segundo e Cláudio Simão em terceiro. Na CLA AMG Cup Betão Fonseca e Adriano Rabello venceram, com Felipe Tozzo/ Raijan Mascarello em segundo e Fábio Scorpioni/ Renato Braga em terceiro.

Betão Fonseca aproveitou a vitória para agradecer ao enforço dos envolvidos para viabilizar a realização do evento. “A união entre pilotos, o promotor do evento Carlos Col e a CBA foi fundamental. Só podemos agradecer. Foi com essa união de todos que conseguimos fazer o essa festa bonita. Se não fosse isso com certeza não teríamos tido a corrida. Foi fantástico correr em dupla, isso só aproxima todos os pilotos. Aqui é todo mundo amigo e todo mundo se ajuda, por isso a vitória de hoje foi muito especial”, agradeceu Betão.

Pela C250 Peter Michel Gottschalk teve dificuldades na sexta e no sábado, mas se recuperou na prova. “Estávamos com problema de motor nos dois treinos e na classificação. Conseguimos rever nosso motor para a corrida. O pessoal da Giaffone foi sensacional e queria agradecer também a equipe do Betão Fonseca pela ajuda. Com o carro bom, consegui vir pra cima depois da largada e conquistar a vitória na última volta”, comemorou.

“Como estou disputando o título o cuidado tem que ser maior. O pessoal vinha no rádio pedindo para evitar os toques. Fui com muita cautela para ser agressivo, mas não agressivo demais para não bater. Deu tudo certo, achei que não daria, mas na última volta eu consegui vencer”, explicou Gottschalk.

Veja como terminou a corrida em Interlagos:

1 60 B. Fonseca/A. Rabello* (CLA) – 21 voltas em 43min35s657
2 57 F. Tozzo/R. Mascarello (CLA) – a 5.548
3 55 F. Escorpioni/R. Braga (CLA) – a 22.277
4 61 C. Fonseca/L.C. Ribeiro (CLA) – a 23.537
5 6 R. Sandoval/Fernando Jr (CLA) – a 32.395
6 84 Cello Nunes (CLA) – a 33.316
7 88 F. Amorim/P. Ventura* (CLA) – a 37.407
8 44 Cesare Marrucci* (CLA) – a 38.697
9 21 Peter M Gottschalk* (C250) – a 1:50.055
10 111 M. Paioli/B. Rossi* (C250) – a 1:50.612
11 58 Claudio Simão* (C250) – a 1 volta
12 26 Flávio Andrade* (C250) – a 1 volta
13 66 Luc Monteiro (C250) – a 1 volta
14 67 Ângelo Giombelli* (C250) – a 1 volta
15 227 Miro Cruz (C250) – a 1 volta
16 62 Jared Wilson (C250) – a 1 volta
17 41 João Lemos* (C250) – a 1 volta
18 65 Luiz Fernando Barcellos* (C250) – a 2 voltas
19 669 Rodrigo Soares (C250) – a 3 voltas

Não completaram 75% da prova:

20 90 José Vitte* (CLA)
21 64 Roberto Santos* (C250)
22 12 André Moraes Jr (C250)
23 14 Junior Victorette (C250)
24 9 A. Navarro/L. Romera* (C250)
25 225 Max Mohr * (C250)

*Pilotos Master

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *