Moto 1000 GP: Renan Alves segue na UTI do Hospital Regional Sul

Renan Alves segue internado na UTI do Hospital Regional Sul
Quadro clínico do piloto acidentado nos treinos do Moto 1000 GP é estável e classificado entre grave e gravíssimo

É estável o quadro clínico de Renan Ricardo Valério Alves, que sofreu um grave acidente na manhã do último domingo (10) no Autódromo José Carlos Pace, em Interlagos, nos treinos de aquecimento da primeira etapa do Moto 1000 GP. O piloto paulista de 31 anos está internado na UTI do Hospital Regional Sul, em São Paulo, para onde foi transferido ainda no domingo, depois de ser submetido a uma bateria de exames no Hospital Grajaú.

Alves foi atendido ainda na pista pela equipe médica chefiada pelo doutor Marcos Korukian. “Foi importante termos dado ao piloto um atendimento rápido e preciso. Além da boa estrutura fornecida pelo evento para o atendimento médico, o acidente ocorreu perto de onde estávamos. Do acidente até nossa chegada não passou nem um minuto”, observou Korukian. “Assim, pudemos cumprir a primeira meta, que era manter as funções vitais do piloto”.

O primeiro diagnóstico, no local do acidente, foi de uma lesão gravíssima, pelo exame das pupilas. Prestado o primeiro atendimento emergencial, Alves foi levado ao Hospital Grajaú, onde passou por uma tomografia. Em seguida, o piloto foi encaminhado à unidade de terapia intensiva do Hospital Regional Sul, em Santo Amaro, especializado no atendimento a vítimas de traumas emergenciais mais graves, como os causados por acidentes de trânsito.

O piloto permanece em estado de coma induzido. O doutor Korukian, que mantém contato permanente com o corpo clínico do Regional Sul, informou nesta segunda-feira (11) que o quadro clínico de Alves é estável. “O estado dele segue entre grave e gravíssimo, pelos danos neurológicos. Hoje (segunda) ele passou por uma nova tomografia, que apresentou os mesmos dados do domingo. Não houve mudança”, informou. O piloto também teve fratura no fêmur direito.

Profissional com mais de duas décadas de experiência em ortopedia e traumatologia, Korukian atesta as condições de atendimento ao piloto no Regional Sul. “O piloto tem a melhor assistência possível, inclusive de uma ótima equipe de neurocirurgiões. Tudo que se podia fazer foi feito. Agora vai depender da reação dele”, concluiu o chefe da equipe médica do Moto 1000 GP, que acompanha o caso juntamente dos organizadores da competição.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *