Mundial de Motocross: Marvin Musquin e David Philippaerts largam na frente na etapa brasileira

Os italianos dominaram a categoria MX1 na etapa brasileira do Campeonato Mundial de Motocross, que aconteceu neste sábado (21.08) em Campo Grande, MS. David Philippaerts e Antonio Cairoli travaram um duelo emocionante na corrida classificatória e terminaram a prova com apenas 0.2s de diferença. A vitória foi de Philippaerts. Na MX2, Musquin foi o mais rápido do dia e ficou mais perto de conquistar o título no país.

O público que veio ao Motódromo de Campo Grande vibraram muito com a disputa na MX1. Philippaerts largou bem e liderou a prova de ponta a ponta, conquistando o direito de escolher o primeiro lugar no gate pela terceira vez no ano. Ele teve muito trabalho para segurar o seu compatriota Antonio Cairoli – atual líder do campeonato – que largou na quarta posição mas, logo na segunda volta, já estava em segundo.

O vice-líder da competição, o belga Clement Desalle ficou em terceiro lugar e quer voltar para a Europa vivo na briga pelo título. Xavier Boog foi o quarto colocado e Tanel Leok, o quinto. O português Rui Gonçalves larga na sexta colocação.

Na MX2, o francês Marvin Musquin, que tenta conquistar o título pela segunda vez no país, ficou um pouco mais próximo do título. Além de ser o mais rápido do dia, ele viu seu principal rival, o alemão Ken Roczen, terminar na 7ª colocação.

“O que eu quero mesmo é ser bicampeão. Se for aqui, será ótimo mas se for de volta na Europa também não vejo problemas. O importante é conquistar o título”, destacou o piloto.

Já o alemão Ken Roczen, que no ano passado ficou impressionado com o carinho com que foi recebido pelo público brasileiro, conta exatamente com a torcida para reverter a situação e continuar na disputa.

“Agora que eu já sei o grande número da fãs que tenho no país, já chego esperando que eles façam uma grande festa pra mim nas arquibancadas. Quero fazer o melhor que eu puder e contar com eles para continuar na disputa”, destacou o piloto.

Os brasileiros

Entre os pilotos brasileiros, destaque para Jorge Balbi na MX1 e para Swian Zanoni na MX2. O mineiro, que fará sua segunda prova depois de se recuperar da contusão no punho, foi o décimo segundo colocado. Na MX2, Swian larga em décimo primeiro.

Swian e Balbi, que já foram os melhores brasileiros no ano passado em suas respectivas categorias, esperam repetir o feito este ano. A preocupação de Balbi agora, é com o ritmo de corrida.

“Está muito calor em Campo Grande e, como estou sem ritmo de corrida, terei muito trabalho para conquistar um bom resultado. Estou me divertindo muito nessa prova, correndo sem pressão e espero fazer o melhor possível”, disse.

Mudanças na programação

O clima na cidade de Campo Grande fez com que a organização optasse por realizar uma pequena mudança na programação de amanhã. A corrida do Troféu Honda, que seria realizada entre as baterias principais será a última do dia e o show com o Freestyler Joaninha foi cancelado.

A decisão, tomada em conjunto pela Youthstream, Bracco Internacional, FIM e CBM visa manter a pista na melhor condição possível. “O clima aqui está muito seco e, por mais que molhemos a pista, ela fica seca muito rápido. Por isso optamos por fazer essa mudança na programação e preservar a qualidade do evento e a segurança dos competidores”, explicou Federico Carli, diretor de marketing da Bracco Internacional.

O GP Brasil de Motocross 2010 tem o patrocínio do Governo do Estado do Mato Grosso do Sul, Honda, Enersul, Banco Rural, Mormaii, Red Bull, Teka Group, Sidi, KTM, Rebootizer, Cablelettra e Came do Brasil. Realização Bracco Internacional e YouthStream. Supervisão CBM, Federação de Motociclismo do Mato Grosso do Sul e Federação Internacional de Motociclismo.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *