Old Stock Race: Rodrigo Pimenta vence as duas provas e Rafael Lopes é o Campeão de 2018

Toda a emoção da categoria na etapa mais emocionante e decisiva do ano, com sol, chuva, um grid excepcional e muita gente brindando o final de ano em Interlagos.  

A  terceira temporada da Old Stock Race chegou ao fim repetindo o feito do ano anterior, com um numero de carros maior que na primeira prova. Dos 27 opalas inscritos para a etapa final,  26 alinharam no grid, mostrando que a categoria encontra-se em plena ascensão e com chances muito grandes de ultrapassar dos 30 ou mais carros em 2019.

O público não se importou com o sol escaldante, nem com a proximidade do Natal, comparecendo em massa ao Autódromo de Interlagos mais uma vez para acompanhar a festa dos opalas e assistir de perto a decisão do título e as das duas provas emocionantes, transmitidas pelo sistema de som instalado na arquibancada exclusiva Old Stock Race com a narração de Celso Miranda e comentários de Sergio Lago, dois grandes profissionais de comunicação contratados pela categoria e que estarão juntos no comando dos microfones abrilhantando a temporada 2019 tanto ao vivo nos domingos de corrida, quanto nas reprises das provas em nosso canal do Youtube.

A sétima etapa  também teve estreias de pilotos e opalas, com Felipe Lemonias, filho do piloto Grego Lemonias do opala 18, fazendo dupla com Fausto Camacho no opala 78 do piloto Arnaldo Santos que nesta etapa cedeu seu lugar para o estreante. Quem também estreou foi o piloto Evandro Camargo fazendo dupla com Marco Maragno do opala numeral 9. Um novo opala, de numeral 333, também estreou na categoria trazendo no comando Alex Fabiano, que corre também na Copa Truck e seu parceiro Ciro Paciello. O ultimo estreante do ano foi Gláucio Doretto, que assumiu o comando do opala 22 nesta etapa.

A primeira prova, com largada marcada para as 11h15 sofreu atraso devido a uma corrida a pé, realizada antes das provas de esporte a motor, que deixou a pista repleta de detritos que poderiam comprometer a segurança dos carros dando muito trabalho à direção de prova em deixar tudo pronto para as competições e após a devida limpeza e checagem de todos os pontos de pista, os opalas foram finalmente para o grid, tendo Pedro Pimenta, piloto do opala 51 na pole position, com Rodrigo Helal ao seu lado. Logo atrás de Pimenta, outro grande piloto, Rodrigo Pimenta, bi campeão da categoria que participou apenas de 3 provas no ano, tendo ao seu lado o líder do campeonato, Rafael Lopes #54.

Na largada, Pedro Pimenta foi ultrapassado por Rodrigo Pimenta e Rodrigo Helal. Lopes colocou seu opala por fora tomando a posição de Helal  na segunda perna do “S do Senna”, indo à caça do agora  líder. João Ometto Neto do opala 75 pulou para quarto ultrapassando Pedro Pimenta na entrada da reta oposta. Na chegada da curva do lago Rafael Lopes rodou saindo da pista voltando na última posição. “Tive um problema de transmissão, não sabia identificar se era cambio ou diferencial mas o carro travava nas reduzidas impossibilitando continuar na pista. ” disse Lopes após a prova.

Pedro Pimenta, que tinha perdido 5 posições na primeira volta, conseguiu se recuperar e assumiu a segunda colocação, indo novamente à caça do líder Rodrigo.
Grego Lemonias do carro 18 teve a traseira do opala 18 danificada no toque com o carro 75 de João Ometto Neto, abandonando na terceira volta. Quem abandonou também foi Rafael Lopes que não conseguiu prosseguir depois dos problemas no carro.

Na pista, Rodrigo Pimenta e Pedro Pimenta, que apesar do sobrenome semelhante não tem parentesco direto travavam uma luta incrível, não muito entre si, mas por conta do calor intenso que gerava um desgaste físico enorme nos pilotos, além da pista muito difícil com o asfalto muito quente, comprometendo o desempenho dos pneus e controle do carro.

Rodrigo conseguiu levar seu opala ate o final da prova na ponta, cruzando em primeiro e voltando a vencer em Interlagos, lugar que lhe rendeu dois títulos e muitas alegrias nas temporadas passadas. “É muito bom voltar a andar no opala, me sinto muito bem nele e já me encontro muito rápido, apesar de ter feito poucas provas no ano e estar há um tempo longe do grid . Larguei muito bem conseguindo ir pra frente e me sustentar, apesar da pista bem difícil com esse calor intenso de hoje. ” disse o piloto.
O resultado completo da prova ficou assim: 

Pos Carro Nome Diff
1 2 Rodrigo Pimenta 0.000
2 51 Pedro Pimenta 4.275
3 113 Rodrigo Helal 5.987
4 87 Luiz Carlos Zappelini 15.131
5 79 Daniel Alberici 31.036
6 16 Alex Dimas 40.386
7 11 Robinson Molly 40.480
8 93 Felipe Matos 48.302
9 23 Victor Franzoni 54.615
10 45 Daniel Kelemen 59.955
11 333 Alex Fabiano 1:12.073
12 38 Rodrigo Leite 0.000
13 78 Felipe Lemonias 11.325
14 9 Evandro Camargo 0.000
15 77 Ronldo Paulino (China) 0.000
16 25 Jorge Schuback 0.000
17 21 Everson de Paula 0.000
18 18 Georges “Grego’ Lemonias 0.000
19 10 Karim Machata Neto 3:47.587
20 31 Glauco Barros 0.000
21 54 Rafael Lopes 0.872
22 12 Fabio Mencarelli 5.907
DQ 75 João Ometto Neto 0.000
DQ 64 Marcos Philippi 0.000
DQ 5 Carlos Gomes 0.000
DQ 22 Glaucio Doreto 0.000

No intervalo entre as provas, os pilotos fizeram a tradicional visita ao público nas arquibancadas e como sempre foram recebidos com aplausos e muita festa, distribuindo adesivos, cards, dando autógrafos e fazendo fotos com seus fans. Uma festa linda, com centenas de opaleiros vindos de todos os cantos do país para verem de perto os opalas da categoria e seus corajosos pilotos que dominam as máquinas a mais de 200 km/h, realmente uma festa incrível. “É uma emoção sem igual assistir a tudo isso de perto, ainda mais com minha família e amigos aqui em Interlagos, fazendo aquele churrasco e curtindo o som dos opalas rasgando a reta, viemos em todas as etapas e ano que vem estaremos aqui novamente, parabéns pelo evento!” comentou Jurandir Almeida, apaixonado por opalas que mora no interior de São Paulo.

Old Stock Race: Rodrigo Pimenta vence as duas provas e Rafael Lopes é o Campeão de 2018

Com o atraso da programação, a segunda prova marcada para as 15h15, teve a abertura de boxes às 16h40 e os pilotos foram para a pista sob a ameaça de chuva, que chegou segundos antes da volta de apresentação, fazendo com que a direção de provas determinasse procedimento com safety car, para que os pilotos pudessem ter uma melhor leitura das condições de pista e se adaptar ao trajeto em chuva que é bem diferente da prova em pista seca.

Safety Car recolhido, os carros levantaram o spray dificultando a visão dos pilotos que vinham nas posições de trás, cada um fazendo seu traçado e desviando do opala da frente na esperança de enxergar alguma coisa. Rodrigo Pimenta se manteve  em primeiro e fez uma corrida cautelosa, porém sem nenhum oponente à sua frente, tendo como seus adversários apenas o asfalto escorregadio e a falta de aderência da pista.

Rafael Lopes, que abandonou a primeira prova na terceira volta, voltou com o opala bem acertado e iniciou sua escalada do grid para terminar o ano campeão com quem sabe uma vitória e já em sua primeira passagem após a bandeira verde era  13º , não parando de subir de posições com uma tocada impressionante, confirmando sua evolução e o motivo de liderar o campeonato deste ano.  “A quebra do carro a primeira prova me fez perder um pouco da confiança nas primeiras voltas da segunda bateria e largando no final do grid  eu tomava muito spray dos outros carros, mas já na terceira volta veio a confiança e comecei a virar cada vez mais rápido, ultrapassando os adversários com mais calma ate alcançar o segundo colocado. ” disse Rafael.

Falando em disputa, a melhor e mais alucinante de toda a etapa foi justamente travada entre Lopes e Helal, que na oitava volta passaram a dividir curva a curva, debaixo de chuva cada metro da pista, levantando as arquibancadas com o show de habilidade de ambos, chegando lado a lado na passagem da reta dos boxes na abertura da nona volta, assumindo a segunda posição e deixando Helal para trás mas sem abrir vantagem.

Lá na frente, Rodrigo Pimenta seguiu sem ser ameaçado ate cruzar a linha de chegada, confirmando a vitória de ponta a ponta na segunda prova e dois ótimos resultados no final de semana. Rafael Lopes com um brilhante desempenho fechou em segundo lugar, seguido de Rodrigo Helal em terceiro. Grego Lemonias ficou em quarto após ter seu carro reconstruído para a segunda prova. Completando o pódio, Pedro Pimenta ficou em quinto e Victor Franzoni, que hoje corre na  IndyLigths e estava há muito tempo sem andar no “Opalão 23” fez bonito terminando em sexto lugar e cravando a melhor volta da prova na chuva com 2m14s713.

O resultado completo da segunda prova ficou assim:

Pos Carro Nome Diff
1 2 Rodrigo Pimenta 0.000
2 54 Rafael Lopes 4.417
3 113 Rodrigo Helal 17.080
4 18 George”Grego” Lemonias 20.136
5 51 Pedro Pimenta 23.551
6 23 Victor Franzoni 25.122
7 45 Daniel Kelemen 52.474
8 87 Luiz Carlos Zappelini 1:06.812
9 16 Alex Dimas 1:38.651
10 25 Jorge Schuback 1:45.367
11 77 Ronaldo Paulino (China) 0.000
12 9 Marco Maragno 0.000
13 5 Carlos Gomes 0.000
14 78 Fausto Camacho 0.000
15 79 Daniel Alberici 0.000
16 11 Robinson Molly 1:55.517
17 93 Felipe Matos 0.000
18 333 Álvaro Vilhena 10:36.210
19 22 Gláucio Doreto 0.000
20 38 Vinicius Leite 0.000
21 21 Everson de Paula 0.000
22 10 Karim Machata Neto 0.000
23 12 Fabio Mencarelli 0.000
24 75 João Ometto Neto 0.000
25 64 Marcos Philippi 0.000
DQ 31 Glauco Barros 0.000

A temporada 2018 terminou com Rafael Lopes sagrando-se Campeão e João Ometto Neto vice na classe Geral. Na Old Man, para pilotos acima de 55 anos o campeão foi Grego Lemonias tendo Vinicius Pimentel como vice.

Os opalas agora entram em ferias e voltam a partir de Fevereiro de 2019 com muito mais emoções e novidades na categoria.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *