Papo de Box: Reflexão do mês, por Belmiro Jr.

Estou aqui mais uma vez assinando essa coluna mensal que a meu ver serve pra não só informar os leitores da SpeedRacing, mas também para manter meus atuais companheiros de profissão antenados. Não que eles precisem de mim para isso, mas a realidade é que as vezes a gente esquece de prestar atenção em determinadas coisas. Mas vamos aos fatos!

Ao final dessa 2ª etapa da F1 na Malásia, fiz uma série de avaliações sobre a corrida e sobre os destaques da prova. Foi uma grande corrida do Fisichella e o Button mostrou que é muito rápido e que vai dar muito trabalho esse ano.

Definitivamente adorei o novo formato da classificação, que efetivamente deu mais emoção e uma briga mais direta para definir o grid de largada. Mais trabalho para os estrategistas que agora passam a estudar 3 configurações diferentes para as 3 etapas classificatórias.

Gente, está tudo muito bom. Fórmula 1 com um formato novo, parece que agora vai ser melhor mesmo. Pilotos como Felipe Massa e Nico Roseberg definitivamente mostraram que vão crescer, e muito. Os carros da Mclaren e Honda mostraram que são muito rápidos, e podem brigar de “igual para igual” com as Ferraris e Renaults. Mas esta faltando uma coisa muito importante aí, os nossos pilotos.

Definitivamente temos que rezar cada vez mais para o Rubens e para o Felipe conseguirem uma temporada de reação. Reação não só deles, mas do Brasi. E o mais importante, do AUTOMOBILISMO BRASILEIRO, que está há 15 anos sem títulos e, consequentemente, sem brilho.

Podem ficar nervosos comigo, mas essa é a realidade. E essa realidade nos atrapalha, e muito.

Por acaso vocês lembram o “boom” que o automobilismo deu na época do Emerson, do Nelson e, em seguida, do Ayrton ???

Vamos para nossas últimas conquistas. Na fase dos 3 títulos do Ayrton vocês se lembram como estavam as categorias por aqui ? Para os que lembram reflitam. Para os que não estavam, ou esqueceram, eu lembro.

Nessa época nós tínhamos o Campeonato Paulista de Kart com mais de 250 pilotos; a Fórmula Ford com 30 carros no grid; a Formula 3 que nosso competente Antonio de Souza colocava mais de 30 carros no grid; a Fórmula Fiat que levava quase 150 carros por evento entre Pálio A, B e a Uno; o Campeonato Paulista de Automobilismo com mais de 200 carros entre todas as categorias. É mole?

Só para vocês terem idéia, em 1989, na F1 do Rio, a Escola de Pilotagem Interlagos fez uma promoção chamada “Seja um Campeão”. Sabem quantas pessoas vieram? 4.500. Sabem o que é isso ?

E hoje o que temos de categorias de sucesso, fora a Stock e a Truck?

Não temos nada. Somente categorias que prometem e não estão saindo do lugar por falta de investidores, e por falta de pilotos também.

Não adianta termos categorias como Stock e Truck se não temos BASE.

Pessoal, nós estamos perdendo a base do automobilismo que é o kart, Fórmulas. Não Renault e 3. Me refiro a Fórmulas com motores 1.6l, como a antiga Formula Ford. Não me venham com essa de Fórmula São Paulo, porque a gente sabe que não vira. Respeito muito seu promotor, mas infelizmente a categoria não vai. E se não vai, o pessoal que sai do kart não quer (a não ser pra treino, uma ou duas corridas, etc.).

Não temos uma categoria intermediária entre kart e Formulas Renault e 3. Hoje a garotada sai do Kart e vai andar de Fórmula Renault ou 3, e isso é muito ruim, pois estamos recebendo meninos para andar em categorias super fortes sem base nenhuma. Depois chegam lá fora e topam com pilotos com uma base super forte, e aí o caldo engrossa.

Tenho consciência que nós temos um grande celeiro de pilotos. Somos 8 vezes campeões do mundo de F1, de outras categorias não vou nem dizer, senão tomaríamos conta do Speedracing inteiro. Mas o que me refiro, e me preocupo, é “estamos perdendo a base do automobilismo”, e se continuar assim vamos ficar na fila não só 15, mas 50 anos.

Onde quero chegar com esse papo polêmico?

Quero chegar a um pensamento. O pensamento de que nós estamos dependendo, E MUITO, de um grande resultado do Brasil na F1. Só assim o interesse das pessoas pelo automobilismo voltará a crescer. Aí sim surgirão novas categorias, novos investidores, etc. Tudo pode voltar a ser como era antes e com isso, nós pilotos, dirigentes, promotores, imprensa, chefes de equipes, mecânicos e até apaixonados pelo esporte teremos nosso lugar garantido por mais anos e anos .

Por isso peço: Rubens!!! Felipe!!! Pelo amor de Deus, façam alguma coisa. Por vocês, claro, mas também pelo automobilismo !!!

Um abraço a todos

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *