Peter Procter, um exemplo de vida

Campeão Britânico de Ciclismo em 1951, Procter começou a competir no automobilismo na metade da década de 1950. Em provas de Rally, 24 Horas de Le Mans e monopostos. Chegando a competir em dois GPs extracampeonato de F-1 em 1961, com um Lotus 18 (Lewis Evans Trophy e 200 Milhas de Aintree, abandonou os dois).
 
Em 1966 sofreu um gravíssimo acidente durante uma prova de saloon car em Goodwood. Depois de diversas capotagens, o carro explodiu em chamas e Procter teve 65% do corpo queimado. Depois de meses hospitalizado, ele voltou para casa.
 
Procter continuou envolvido com as competições, competindo algumas vezes. E sendo membro British Racing Drivers Club. Completou 89 anos em janeiro.
 
As queimaduras desfiguraram o rosto de Procter, que mesmo assim, aceitou protagonizar uma campanha sobre equipamentos de segurança, para a empresa do também ex-piloto de F-1 Les Leston.
 
Leston encerrou a carreira depois de um forte acidente em 1958, em uma prova de F-2 em Caen. Iniciando uma bem sucedida empresa de acessórios para competições, a Les Leston Accessories. E foi um pioneiro na produção de roupas anti-chamas para pilotos. Faleceu em 2012 aos 91 anos.
 
A foto é do anúncio da década de 1960.
 
 
 
Pode ser uma imagem de ao ar livre
Pode ser uma imagem de uma ou mais pessoas e ao ar livre

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *