Pick-Up: Acidente com o piloto Marcel Wolfart causa susto

Imagens do acidente envolvendo catarinense na corrida disputada em São Paulo, no último final de semana impressionam, mas piloto nada sofreu.

Quem estava presente no Autódromo de Interlagos, em São Paulo, ou acompanhava pela TV a corrida válida pela 3ª etapa do Campeonato Brasileiro de Pick-up Racing, presenciou não só disputas acirradas por posições como também um acidente bastante impressionante.
 
Faltando apenas 5 voltas para o encerramento da prova, o piloto lageano Marcel Wolfart (Exatidão/Mobil) ocupava o 9º lugar e vinha no meio de um pelotão de sete carros que travavam um briga intensa pela 5ª posição. Em uma das tantas disputas, o carro do piloto Rafael Iserhard recebeu um toque, rodou e ficou atravessado na pista. Wolfart que vinha logo atrás, não teve tempo de desviar e acertou em cheio a lateral da pick-up de Iserhard. Depois de ficar com o carro bastante avariado e o lado do piloto voltado para a parte interna da pista, Wolfart não pestanejou, saltou do carro e correu em direção à área de escape interna da curva. Aí que o maior susto aconteceu. O piloto Marcos Ramalho não avistou a bandeira amarela agitada e não conseguiu desviar da pick-up nº 99. Já fora do carro, Wolfart teve que apertar o passo para não ser atropelado por Ramalho, que acabou abalroando a pick-up de Wolfart em uma questão de frações de segundo após o piloto catarinense ter deixado o local. O choque deixou o carro de nº 99 literalmente destruído. 
 
“Um segundo a mais que demorasse para sair da pick-up,  poderia ter sido acertado em cheio pelo outro carro. A orientação é que em casos como esse o piloto permaneça no carro e aguarde o resgate, mas estava em uma posição muito perigosa, e confesso, agi por impulso. Sabia que naquele ponto da curva, que é cego, tinha grande risco de ser acertado por outro carro justamente na porta do meu lado. Olhei pro lado, vi que não vinha ninguém e saltei fora do carro, mas não previa que o Ramalho viesse em alta velocidade como veio diante da bandeira amarela. Tive que correr e contar com a tentativa de desvio do outro piloto, que acabou batendo na parte traseira do meu carro, para evitar um acidente de séria gravidade”, comentou o piloto ao final da corrida sobre o impressionante acidente, que foi reprisado incessantemente pela rede de TV que fazia a transmissão da prova.
 
“O susto de quem estava acompanhando de fora, parece ter sido maior do que o meu lá dentro da pista. Ouvi vários comentários do pessoal que acompanhava a  corrida que ficaram apavorados com as proporções que o acidente poderia tomar. Realmente, sou obrigado a concordar com quem disse que o meu Santo é forte”, complementou.
 
Recuperado do susto, Wolfart lamentou a má sorte e mostrou-se preocupado com a reconstrução do carro para a próxima etapa da Pick-up Racing, que acontece no mês de setembro no Rio de Janeiro.
“Embora tenhamos praticamente dois meses para arrumar o carro, o orçamento limitado que temos este ano e a impossibilidade de realização de treinos fora das datas de evento podem nos atrapalhar. Mesmo assim não vamos desanimar. Trabalharemos forte para retomar o rumo das vitórias”, finalizou o piloto.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *