Radical UK Cup: Victor Corrêa impressiona em teste na Inglaterra

Brasileiro foi o mais rápido em Silverstone na sua estréia com protótipos

Não poderia ser melhor o primeiro teste que o brasileiro Victor Corrêa (Unifenas) fez com um protótipo da Copa Britânica de Radical. Nesta sexta-feira (11/5) o mineiro de Alfenas testou o modelo SR8 a convite da organização da categoria, e depois de 100 voltas estabeleceu a marca de 53s2, ficando bem próximo do recorde do circuito Silverstone National, mesmo com pneus usados.

“O carro é bem legal, é bem rápido. O motor tem muito torque em saída de curva e é rápido de reta, dizem que chega fácil a 290 km/h em reta mais longa do que a que usamos hoje”, comemorou Victor Corrêa.

O Radical SR8 tem apenas 680 kg e é impulsionado por dois motores de 1,3 litros da Suzuki Hayabusa, gerando 420 cavalos de potência. “O motor é muito forte e o chassi mesmo não tendo o downforce de um monoposto, faz bastante curva. Os pneus são bem largos e aderem bem. Dependendo da pista, a equipe disse que o Radical SR8 é mais rápido que o Fórmula 3”, explicou Victor. “O câmbio é muito bom também, com seis marchas sequenciais e com trocas no volante”.

Treinando com muitos outros carros na pista, Victor Corrêa foi o mais rápido entre todos os Radical – SR8 e SR3 -, deixando a equipe Marks Eletrical Racing, atual campeã, muito impressionada. “O David, que é o chefe de equipe, disse que considerando que foi a primeira vez no carro eu impressionei muito, fui muito rápido e constante e mesmo com pneus velhos eu me mantive na pista o tempo todo”, falou o jovem (22 anos), que desde que se mudou para a Europa em 2008, venceu corridas em todas as temporadas, na Fórmula Ford, Fórmula 3 Inglesa e Fórmula 3 Européia.

Na primeira sessão de treinos Victor Corrêa deu cerca de 20 voltas, após o titular do biposto ter estabelecido o tempo de 55s0. No final da prática ele foi cronometrado em 54s7. Na segunda sessão Victor baixou o tempo para 53s7 e depois do intervalo do almoço melhorou para 53s2. Na última sessão, com muito tráfego e com os pneus com mais de 150 giros, o mineiro novamente fez a marca de 53s2.

“No final o carro já estava saindo muito de frente, e por causa do trânsito não fiz nenhuma volta limpa. Então, eu também acho que fui bem e realmente apresentei um bom cartão de visitas. Gostei do carro, do trabalho do time e da estrutura dele. Na semana que vem vamos conversar sobre negócios”, adiantou.

A temporada da Copa Britânica de Radical já teve três etapas e ainda restam mais cinco até o fim do ano. As corridas da categoria são de 40 minutos, com possibilidade de provas individuais ou em dupla.

“Agora já nos conhecemos e vamos ver o que poderemos fazer. Fique bem animado após este teste e posso vir a disputar as cinco corridas. A categoria é bem competitiva e poderei me desenvolver ainda mais enquanto não volto para as corridas de Fórmula aqui na Europa”.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *