Rali-Dakar: Em dia de etapa maratona, Palmeirinha poupa equipamento

Brasileiro foi o 37º na 8ª etapa da competição, disputada neste domingo.


Nesta manhã os competidores do Rally Lisboa-Dakar partiram da cidade de Atar com destino a Tichit. O percurso contou com 589.km, além de muitas dificuldades. A dupla vencedora do dia Giniel de Villiers/Dirk Von Zitzewitz, da equipe Volkswagen, completou o trecho em 7h31min52. Paulo Nobre, ao lado de seu navegador Felipe Palmeiro, foi o primeiro brasileiro a chegar depois de 11h01min34s.

“Aqui na Mauritânia o negócio é o seguinte: Se correr o bicho pega, se ficar o bicho come. A especial de hoje tinha quase 600 quilômetros e uma parte de dunas, que não eram muito grandes. Mas a areia é tão fofa, que parece que ela engole o carre, é impossível não atolar. Até os líderes atolaram, só que a diferença é que nós atolamos mais. Depois ainda pegamos uma parte cheia de pedra, “quebradeira” no estilo do Marrocos. Então fica complicado, pois você deixa dez libras de calibragem nos pneus para conseguir passar pelas dunas e depois tem que subir a pressão para 35 libras para não furá-los nas pedras. E o pior é quando pegamos areia no meio das pedras, aí não adianta, é só rezar para furar um pneu, nem para atolarmos. E completar esse dia duro, a etapa ainda é maratona, ou seja, os mecânicos não podem mexer no carro só eu e o Palmeiro, por isso hoje resolvemos usar a estratégia de poupar o carro e evitar qualquer problema mais sério”, concluiu Palmeirinha, que agora ocupa a 41ª posição na classificação geral.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *