Rally Dakar: 2,6 mil quilômetros. De São Paulo a Buenos Aires com um tanque de etanol

Tudo pronto para o Valtra Dakar Eco Team para a 22ª largada de Klever Kolberg no Rally mais famoso do mundo.

O Valtra Dakar Eco Team está pronto para a 32ª edição do Rally Dakar, a mais tradicional, famosa e perigosa competição off-road do planeta. O Mitsubishi Pajero Sport Flex do piloto Klever Kolberg e do navegador Giovanni Godoi – o primeiro carro na história do rally a competir usando etanol como combustível – já está no parque fechado e agora só entrará em ação no momento da largada, no dia 1º de janeiro, em Buenos Aires. Será a estréia de uma tecnologia 100% brasileira no Dakar – carro produzido e preparado no Brasil, e combustível derivado da cana de açúcar no País.

Ontem (29) foi realizada a verificação técnica de todos os veículos inscritos, e Klever Kolberg, prestes a iniciar sua 22ª participação no Dakar, afirma que a equipe está pronta. Como parte dos testes de preparação do Pajero, Kolberg foi rodando com o carro entre São Paulo e Buenos Aires, em uma viagem de 2,6 mil quilômetros – e sem necessitar de reabastecimento.

“Foi importante (ir com o carro rodando até Buenos Aires) por causa da quantidade de modificações que fizemos no carro. Apesar de ter sido uma viagem rodoviária com limites de velocidade a serem respeitados, o Pajero se portou muito bem. Tudo está funcionando perfeitamente, então ficamos contentes em chegar à Argentina sem precisar fazer nenhum tipo de reparo técnico”, disse Klever.

Entre as principais modificações sofridas pelo Mitsubishi Pajero Sport Flex estão a troca do câmbio automático pela versão mecânica, que privilegia o desempenho em detrimento ao conforto, e o tamanho do tanque. A versão de rua do Pajero comporta um tanque de 80 litros de combustível. Já o carro que disputará o Dakar leva 560 litros de etanol – fato inédito na história do rally.

“Esta era a nossa preocupação inicial, nas mudanças feitas. Tivemos, por exemplo, que refazer a programação eletrônica (feita pela Magneti Marelli) do carro para o novo câmbio e tudo funcionou muito bem, inclusive a embreagem”, disse Kolberg. O Valtra Dakar Eco Team está inscrito na categoria experimental, uma novidade nesta edição do rally, para carros movidos a combustíveis limpos e de fonte renovável.

Quatro mil litros de etanol foram exportados para a Argentina e quatro mil para o Chile, já que nestes países não há oferta do álcool combustível. Serão nove mil quilômetros de percurso, entre deslocamentos e especiais (trechos cronometrados). O consumo do Mitsubishi Pajero do Valtra Dakar Eco Team, no entanto, não chega a ser uma preocupação para Klever. “Um tanque cheio será suficiente para cada dia. Haverá momentos em que vamos usar toda sua capacidade, e em outros, nem tanto. Mas estamos muito animados em ver que tudo está funcionando perfeitamente. Vamos mostrar para o mundo que a tecnologia brasileira é uma ótima idéia, e que o planeta irá agradecer”, disse, referindo-se à energia “verde” promovida com o etanol.

Sobre Klever Kolberg: Engenheiro e piloto, Klever Kolberg é o brasileiro que mais vezes participou do Rally Dakar, competição off-road mais difícil e perigosa do mundo, tendo sido um dos pioneiros no país a disputá-la. O piloto criou a primeira equipe brasileira a participar do Dakar e vai competir pela 22ª vez em 2010. Um dos grandes nomes do off-road nacional, Klever começou na prova competindo de moto, entre 1988 e 1996, sagrando-se campeão da categoria Motos Maratona em 1993, ano em que foi o quinto colocado no geral. A partir de 1997 passou a disputar o Dakar entre os carros, obtendo o título vice-campeão na categoria Carros Maratona em 1999 e 2000 e na categoria Carros Diesel em 2002. É autor de três livros sobre o assunto e é comentarista de rali no canal ESPN desde 2007.

Sobre Giovanni Godoi: Engenheiro mecânico com 20 anos de experiência no automobilismo nacional, sendo oito dedicados às competições off-road como engenheiro responsável pelo desenvolvimento dos veículos de competição da Mitsubishi. Em 2003 disputou o Rally dos Sertões, terminando em 17º na geral e terceiro entre os novatos, com o objetivo de entender e vivenciar as exigências a que o carro e a dupla piloto/navegador são submetidos em uma prova deste porte, e em paralelo, testar e desenvolver novos componentes. Esteve no Dakar 2009 com navegador de um caminhão de apoio.

Comandado por Klever Kolberg (piloto) e Giovanni Godoi (navegador) no Rally Dakar 2010, o Valtra Dakar Eco Team é patrocinado por Valtra, BASF, Mitsubishi, Cosan, Unica, Pirelli, Fremax e Magneti Marelli, e apoiado por Artfix, Sparco e Waiver.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *