Rally Dakar: Amarok Logbuch 14

Sete vira, 14 acaba.

A 8ª etapa do Dakar fez o percurso de volta de Antofagasta para Copiapó. Só que desta vez usou uma rota mais a oeste, mais à beira do Pacífico nos seus longos 568 quilometros percorridos em 5 horas. Dos 1100 metros de altitude do início do trecho cronometrado os carros foram a mais de 2400 metros, desceram a 600 metros para terminar a pouco mais de 400 metros de altura de Copiapó. A volta do terreno pedregoso do início da especial pedia prudência enquanto o final nas dunas de areia foi bem mais veloz. DeVilliers/Von Zitzevitz no Race Touareg 2 #300 dominaram a maior parte do tempo, mas perderam a vitória do dia (e terminaram em 4º) para a dupla Peterhansel/Cottret BMW Xraid, mais de duas horas atrasada, e em 4º lugar na Classificação Geral. Mesmo assim o #300 subiu na Classificação Geral e já vai agora no 9º lugar. Uma recuperação com um sabor de especial já que o carro do sul-africano larga sempre com desvantagem de 100 kg em relação aos seus companheiros de Equipe, usado que é como “carro de assistência veloz” para os três líderes. Que continuaram a sua marcha imperturbável, sua estratégia inflexível ficando hoje em 2º, 3º, e 5º lugares em uma especial dura para suspensões e pneus (cada um dos Race Touareg 2 furou dois pneus) os Pilotos fizeram com muita cautela o final da especial.

VW Race Touareg 2: Projetado para todos os terrenos

Vamos lá, os carros oficiais da Equipe Volkwagen ficaram em 2º (#303 Sainz/Cruz), 3º (#305 Miller/Pitchford), 4º (#300 DeVilliers/Von Zitzevitz) e 5º (#306 Al-Attyia/Gpttschalk) lugares, seguindo uma filosofia frequentemente repetida por Mark Miller. “Vim aqui vencer o Dakar e não vencer Etapas do Dakar.” A atuação mostra que as duplas na Equipe estão seguido à risca o plano de deixar para lutar entre si apenas e tão somente quando tiverem uma certeza maior da vitória final. Vamos viver um dia a cada vez, é o que mais se houve no bivaque do Dakar como um todo, é o que se pratica com fé no bivaque da Volkswagen Motorsport. Com esse resultado Sainz/Cruz aumentaram a sua vantagem para o 2º colocado (Al-Attyia/Gottschalk) que agora é de 14minutos e 35 segundos e para o 3º colocado (Miller/Pitchford) que é de 22 minutos e 28 segundos.

Amarok – A turma nova

Os novos jornalistas se misturaram aos “veteranos” que estrearam em Buenos Aires e começaram a viver os seus dias de Amarok. Na descida para o Sul, para São Francisco de la Selva de Copiapó, ainda não chegaram a ver exatamente florestas como o nome e maneira ultra otimista poderia levar a crer, mas já começam a tomar contato com o verde da Natureza, artigo inexistente nos dias de imersão no alto Atacama.

Por Carlos Lua Cintra Mauro – Voltar a San Francisco de la Selva de Copiapó é fundamental para saber um pouco mais sobre a cidade e da vida que começa a ter interesse na produção de uvas, azeitonas, tomates, abacate e algumas frutas cítricas. É descobrir que em 1864 foi em Copiapó que registraram um “Objeto Voador Não Identificado”, descrito como um “enorme pássaro”. Prova, pelo menos, de que os seres alienígenas também evoluem. 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *