Rally Dakar: Terceira etapa muda classificação geral

A terceira etapa do Dakar 2012 mudou a classificação geral para todas as modalidades. A etapa entre San Rafael e San Juan, no pé da Cordilheira dos Andes, na Argentina, teve 270 quilômetros de trecho cronometrado para motos e quadriciclos, enquanto carros e caminhões competiram em 208 quilômetros.

Nas motos, o francês Cyril Despres assumiu a ponta do resultado acumulado, no lugar do espanhol Marc Coma na briga interna da equipe oficial da KTM. Nos carros, outra briga dentro da mesma equipe. O polonês Krzysztof Holowczyc tomou o lugar de Stéphane Peterhansel, nove vezes campeão do Dakar. Ambos competem de Mini, pela BMW X-Raid. Já nos quadriciclos, a briga está mesmo em família. O argentino Alejandro Patronelli tem o melhor tempo acumulado, com 55 segundos de vantagem para o irmão, Marcos. Nos caminhões, o líder agora é o cazaque Artur Ardavichus, da Kamaz.

A Etapa. Navegação foi a palavra de ordem na etapa de hoje, com trechos em que o caminho era apontado apenas pelo grau da bússola, com pontos de passagem obrigatórios que fizeram alguns dos favoritos perderem tempo.

Marc Coma foi um exemplo, o site oficial chegou a informar que o espanhol passou a seguir a trilha do percurso dos carros, fora da rota para as motos. O erro favoreceu o francês Cyril Despres, que venceu a etapa e assumiu a liderança.

Ainda assim, para ele, o feito não foi motivo de comemoração. “Foi bom pela colocação, mas nunca fico feliz pelo azar dos outros”, disse Despres na chegada em San Juan. O piloto ainda completou enumerando os problemas que teve na etapa. “Arranquei uma unha depois de passar em um buraco e bater a mão na embreagem. Depois de 60 quilômetros, minha segunda bússola parou. Mais tarde, quebrei meu freio traseiro na subida de uma montanha, e a descida foi bem perigosa”, contou.

Coma agora tem dez minutos de desvantagem para Despres, na segunda posição geral. “Me perdi por 16 quilômetros andando pela trilha dos carros, depois do quilômetro 170. Quando voltei para o caminho certo, tentei descontar o tempo. Ainda assim perdi 13 minutos, é muito tempo”, lamentou.

Entre os brasileiros, azar também para Ike Klaumann, que sofreu uma queda no quilômetro 130 e não pode completar a especial por causa de dores nas costas. De acordo com um comunicado da equipe, ele foi encaminhado a um hospital da região, passou por exames e foi liberado em seguida.

Felipe Zanol continua como o melhor piloto nacional nas duas rodas, por enquanto na 14ª colocação geral. O mineiro perdeu um ponto de passagem obrigatório e aguarda penalização. “Eu percebi que havia perdido a referência e fiquei na dúvida se poderia voltar – e acabei seguindo o caminho. Era melhor ter voltado. Certamente foi um aprendizado grande, bastante importante para seguir na prova. Tenho apanhado um pouco da planilha, mas tenho certeza de que vou me adaptar totalmente o mais rápido possível”, admitiu o brasileiro, estreante no Dakar.

Carros. A altitude com subidas de montanha e muitas pedras pela trilha também castigaram os veículos. O brasileiro Guilherme Spinelli sofreu com um pneu furado e uma roda que caiu de seu carro. “Perdemos uns 30 minutos para ajeitar os dois parafusos que sobraram para colocar uma outra roda e seguirmos! Uma pena! Mas faz parte do jogo e ainda falta muito chão pela frente. Amanhã vamos em busca da recuperação”, escreveu o brasileiro em sua página do Facebook. Com isso, Spinelli e o navegador Youssef Haddad passam para 14° na classificação geral.

Jean Azevedo foi o melhor brasileiro nos carros, ao lado do navegador Emerson Cavassin. A dupla terminou a etapa em 18°, a 22min59 atrás dos líderes. Na geral, os brasileiros ocupam a 16ª posição.

O espanhol Nani Roma foi o mais rápido e carimbou sua décima quinta vitória em etapas do Dakar. Ele deixou para trás o companheiro de equipe Krzysztof Holowczyc, da Polônia, que mesmo com o segundo lugar na etapa assumiu a liderança geral do rali. Nassar Al Attyiah foi o terceiro mais rápido do dia.

Quadris. Nos quadriciclos, a os argentinos comemoram os três primeiros lugares na classificação geral. Marcos Patronelli venceu a etapa e colocou seu irmão, Alejandro, na primeira colocação geral. Marcos ainda é o segundo, com uma desvantagem de 55s, seguido por Tomas Maffei, 2min41 atrás do líder.

Caminhões. Completando o dia de reviravoltas na classificação, uma equipe do Cazaquistão assumiu a liderança, com Artur Ardavichus no comando do caminhão Kamaz. O então líder Gerard de Rooy caiu para a segunda colocação, após terminar a etapa de hoje em sétimo. O italiano Miki Biasion foi o mais rápido do dia.

Fonte: Webventure.com.br

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *