Spyder Race: Fábio Perez supera Hyppólito Martinez por apenas 1 milésimo de segundo

Vitória mais apertada do ano só é definida na última volta.

Depois de um início de fim de semana frio e chuvoso, São Pedro resolveu dar uma trégua aos pilotos da Spyder Race, e o Sol – astro que dá nome a uma das curvas de Interlagos –, voltou a aparecer no circuito paulistano. Como todos os pilotos haviam acertado seus equipamentos para pista molhada, as novas condições do traçado deixaram a briga aberta o tempo todo – a ajudou a adiar a definição da etapa para a última volta.

Henrique Assunção, que saía na pole, fez bela largada e manteve a ponta nas primeiras voltas – enquanto os pilotos das filas de trás trocavam diversas vezes de posição. Hyppólito Martinez se aproveitou da pista mais seca pelo lado de dentro e também ganhou posições, trazendo com ele Fabio Perez. Os dois chegaram a superar o pole Assunção, que após a relargada foi atingido por trás no “Esse do Senna” e foi obrigado a abandonar.

Apesar das boas disputas no início, a corrida só foi decidida mesmo na última volta. Martinez liderou boa parte da corrida, mas cometeu um erro no Bico de Pato e permitiu a aproximação de Perez . Eles entraram lado a lado na Curva da Junção e assim permaneceram até completarem a prova. No visual, não houve como saber quem saiu vencedor. Apenas quando a cronometragem divulgou o resultado oficial é que Perez pôde comemorar sua vitória por apenas 1 milésimo de segundo.

“Foi a melhor corrida do ano para mim. Fiz uma boa largada e esperei um erro dos líderes, mas fiquei preocupado com o Martinez logo atrás de mim. Na relargada, achei que o Safety Car iria ficar por mais uma volta e quando ele entrou nos boxes demorei a acelerar. Foi quando o Martinez me passou. No final, aproveitei que ele reduziu muito no Bico de Pato e encostei. Só fui saber que tinha vencido quando saí do carro. Nós dois ficamos nos perguntando quem tinha chegado em primeiro e, para mim, foi uma surpresa”, disse Perez.

Já Hyppólito se conformou com o segundo lugar. “O carro esteve perfeito, consegui ganhar muitas posições. Mas infelizmente errei no finalzinho quando estava liderando e o Fábio conseguiu chegar em mim. Fomos juntos até a bandeirada final, mas ninguém sabia quem tinha vencido. E se ele chegou 1 milésimo na minha frente, tenho de dar os parabéns. A vitória dele foi merecida e a corrida foi excelente. Me diverti muito”, falou Martinez.

Já o terceiro colocado na prova, Rodrigo Posses, sofreu com uma peça quebrada na roda traseira e teve de administrar o restante da corrida para não perder o pódio. “Senti que a pista ainda estava muito escorregadia fora do trilho, com manchas de óleo. Quando fui desviar de uma delas, senti que a roda traseira ficou solta e comecei a perder rendimento. Então tentei apenas chegar ao fim para manter os pontos”, disse ele.

Pela categoria Light, Marco Cozzi fez boa corrida e venceu, chegando em sexto no geral. “Consegui largar bem e deixei a briga para os ponteiros. Foi uma corrida difícil, mas sabia que tinha de fazer meu papel que as coisas dariam certo. E quem errasse menos chegaria na frente. Foi o que aconteceu comigo”, disse Cozzi. Jacomo Sanzone e Evaldo Pelati foram o segundo e o terceiro colocados na Light. Sanzone teve dificuldades para acertar seu carro no piso mais seco, mas fez uma corrida limpa para chegar aos pontos.

Confira como terminou a sexta etapa da Spyder Race:

Final – 6ª etapa
1- Fábio Perez
2- Hyppólito Martinez
3- Rodrigo Posses
4- Fulvio Marote
5- Celso Freitas
6- Marco Cozzi (L)
7- Sérgio Pistili
8- Jacomo Sanzone (L)
9- Evandro Pelati (L)
10- Paulo Kato (L)
11- Felipe Benitez (L)
12- Henrique Assunção
13- Fernando Fortes
14- José Cardoso
15- Alexandre Camara (L)
16- Silva/Ventura
17- Ronaldo Kastropil (L)

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *