Stock: Atendendo a pedidos, categoria altera classificação já em Curitiba

Quando a Stock Car chegar ao circuito de Curitiba (PR), no final do mês, ela não será mais a mesma que abriu a temporada no último domingo (9), em Interlagos (SP), para um publico estimado em 31 mil pessoas. Mesmo com uma série de mudanças, feitas para garantir o espetáculo, a categoria ainda não está pronta.


É preciso acertar alguns detalhes, principalmente em relação aos treinos classificatórios, para satisfazer os principais responsáveis pelo show: os pilotos. Eles pediram e os organizadores vão atender. Na próxima etapa, a segunda do campeonato, haverá um novo formato de classificação.

           
A partir de agora serão duas sessões classificatórias de 1h30, uma na sexta-feira à tarde e outra no sábado pela manhã, sem divisão dos carros por grupo. Os piloto terão o limite de 20 voltas por treino, o que reduz o tempo de permanência na pista e evita o problema de tráfego. O resto continua igual. Os dez mais rápidos no combinado das duas sessões passam para a Super Classificação, com duração de dez minutos, para a definição dos dez primeiros no grid. “Do jeito que estava, não dava para continuar. Sempre existiria um grupo prejudicado por sair com a pista numa situação um pouco pior”, afirmou o goiano Ruben Fontes, um dos prejudicados pelo formato anterior.


           
Na primeira etapa do campeonato, o segundo grupo (que incluía Ruben Fontes) só treinou com chuva na sexta-feira, perdendo duas das três sessões válidas para tomada de tempo. Quem andou antes, com pista seca, terminou o dia tranqüilo, com as melhores marcas. A mudança nos treinos de classificação foi imediatamente solicitada pelos pilotos e aceita após uma reunião entre Carlos Col, presidente da Vicar e promotor do campeonato, e Nestor Valduga, presidente do Conselho Técnico Desportivo Nacional da CBA (Confederação Brasileira de Automobilismo).


           
“É o formato mais justo no momento. Entendemos que talvez não seja o ideal, porque temos 42 carros no mesmo grid, mas é a única forma de não prejudicar ninguém. Com o limite de voltas, cada piloto poderá ficar aproximadamente meia hora na pista, o que deve reduzir o tráfego. Sem contar que a manhã de sexta-feira fica reservada para os treinos livres, que haviam sido extintos com o novo formato”, analisou Ruben Fontes, da equipe Neosoro JF Racing. Com o fim dos treinos livres, a Stock Car ficaria sem absolutamente nenhuma sessão prática, já que os testes extra-oficiais são proibidos por regulamento.


 


Como era:


Três treinos classificatórios, dois na sexta-feira e um no sábado. Os pilotos treinavam separados em dois grupos de 21, sem limite de voltas. Os dez mais rápidos no combinado das três sessões garantiam presença na Super Classificação.


 


Como será:


Um treino livre na sexta-feira pela manhã e duas sessões classificatórias (uma na sexta-feira à tarde e outra no sábado pela manhã). Cada tomada de tempo terá a duração de 1h30 e os 42 pilotos poderão entrar juntos na pista, respeitando o limite de 20 voltas cada um. Os dez mais rápidos no combinado das duas sessões classificatórias garantem presença na Super Classificação.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *