Stock Car: Daniel Serra e Átila Abreu vencem as provas da Goiânia 500

Daniel Serra (Eurofarma RC) e Átila Abreu (Shell Racing) foram os vencedores da Goiânia 500, no Autódromo Internacional Ayrton Senna, penúltima etapa da temporada.

Prova 1:

Líder do campeonato Serra venceu a primeira prova. Ricardo Zonta (Shell Racing) e o português Antônio Felix da Costa (Hero Motorsport) completaram o pódio.

Pole-position Serra manteve a ponta na largada, seguido pelo parceiro de equipe Ricardo Mauricio (Eurofarma RC), Thiago Camilo (Ipiranga Racing), Zonta e Marcos Gomes (Cimed Racing), que fez uma largada ruim e perdeu três posições.

Logo na primeira volta seis carros saíram da pista: Antonio Pizzonia (Prati-Donaduzzi Racing), Tuka Rocha (RCM Motorsport), Allam Khodair (Full Time Sports), Márcio Campos (Blau Motorsport), Cacá Bueno (Cimed Racing) e Felipe Lappena (Cavaleiro Sports).

Zonta passou Camilo, e na volta 13, com o abandono de Maurício, devido um pneu furado, o ex-piloto de F-1 assumiu a segunda posição.

Com os pit stops feitos, Serra manteve a ponta. Na volta 21 o Safety-Car foi acionado, reagrupando os carros. Com a prova reiniciada Serra controlou os ataques de Zonta, para vencer com 1s021 de vantagem.

“O final foi bem difícil. Consegui abrir no começo, em um ritmo bem puxado, mas depois foi complicado para segurar. Felizmente deu tudo certo e o carro estava muito bom”, destacou Daniel Serra, que conquistou sua quarta vitória na temporada.

“Posso dizer que foi uma corrida bem puxada. A gente teve um superaquecimento dos pneus, e com isso perdi um pouco da aderência no carro. Meu pit stop foi bem rápido, a gente arriscou tudo no momento, e no final tentamos apertar um pouco mais, mas o Daniel está com um carro também muito bom”, afirmou Zonta

Da Costa, fazendo a sua primeira prova no ano na categoria, completou o pódio.

“A disputa foi muito boa. O carro estava bem competitivo. Apesar de não ter ido mais para frente, foi uma boa experiência. Dei algumas erradas em momentos críticos, porque eu tentei economizar o máximo de push em relação aos outros caras, e quando era para eu usar cometi alguns erros, por isso não deu para passar o Zonta. Mas está bom. Aprendi muito nessa corrida”, disse. O piloto do carro #444 chegou a ter uma disputa mais acirrada ao se defender de Marcos Gomes. Ambos chegaram a se tocar na pista. “O Gomes me deu um toque na saída da curva 1, e por isso ele teve a oportunidade de colocar do meu lado e depois fui me defender. No entanto, eu gostaria de rever o lance em vídeo para emitir qualquer julgamento”, declarou da Costa.

Gomes, Denis Navarro (Cimed Racing Team), Vitor Genz (Eisenbahn Racing Team), Max Wilson (RCM Motorsport), Camilo, Rubens Barrichello (Full Time Sports) e Abreu completaram os dez primeiros. Com o grid dos dez primeiros invertido, Abreu garantiu a primeira posição no grid da segunda prova.

Final:

1. 29 Daniel Serra (Eurofarma RC) – 28 voltas em 42min21s479
2. 10 Ricardo Zonta (Shell Racing) – a 1.021
3. 444 Felix da Costa (Hero Motorsport) – a 2.154
4. 80 Marcos Gomes (Cimed Racing) – a 2.638
5. 5 Denis Navarro (Cimed Racing Team) – a 5.484
6. 46 Vitor Genz (Eisenbahn Racing Team) – a 5.955
7. 65 Max Wilson (RCM Motorsport) – a 6.897
8. 21 Thiago Camilo (Ipiranga Racing) – a 7.681
9. 111 Rubens Barrichello (Full Time Sports) – a 8.750
10. 51 Átila Abreu (Shell Racing) – a 9.256
11. 83 Gabriel Casagrande (Vogel Motorsport) – a 9.888
12. 28 Galid Osman (Ipiranga Racing) – a 10.712
13. 0 Cacá Bueno (Cimed Racing) – a 11.009
14. 70 Diego Nunes (Hero Motorsport) – a 11.048
15. 18 Allam Khodair (Full Time Sports) – a 16.513
16. 77 Valdeno Brito (Eisenbahn Racing Team) – a 19.125
17. 117 Guilherme Salas (Vogel Motorsport) – a 19.298
18. 3 Bia Figueiredo (Full Time Academy) – a 23.663
19. 8 Rafael Suzuki (Cavaleiro Sports) – a 48.873
20. 555 Renato Braga (Mico’s Racing) – a 1 volta
21. 40 Felipe Fraga (Cimed Racing Team) – a 2 voltas
NÃO COMPLETARAM (75% da distância de prova)
22. 4 Julio Campos (Prati-Donaduzzi Racing) – a 8 voltas
23. 188 Beto Monteiro (Mico’s Racing) – a 9 voltas
24. 12 Lucas Foresti (Full Time Academy) – a 10 voltas
25. 31 Marcio Campos (Blau Motorsport) – a 12 voltas
26. 90 Ricardo Mauricio (Eurofarma RC) – a 15 voltas
27. 73 Sergio Jimenez (Bardahl Hot Car) – a 15 voltas
28. 30 Cesar Ramos (Blau Motorsport) – a 19 voltas
29. 1 Antonio Pizzonia (Prati-Donaduzzi Racing) – a 20 voltas
30. 9 Guga Lima (Bardahl Hot Car) – a 21 voltas
31. 110 Felipe Lapenna (Cavaleiro Sports) – a 27 voltas
32. 25 Tuka Rocha (RCM Motorsport) – a 28 voltas
MELHOR VOLTA: Daniel Serra, 1min25s242
*Resultados sujeitos a verificações técnicas e desportivas

Prova 2:

Abreu venceu a segunda prova, com Wilson e Bueno completando o pódio.

Como sempre acontece na segunda prova a estratégia de cada piloto na parada nos boxes, era fundamental. Os pilotos, que haviam abastecido na primeira prova, iriam fazer apenas uma parada rápida nos boxes.

Barrichello foi o último a parar nos boxes, voltando em terceiro, atrás de Abreu e Wilson. Camilo era o quarto colocado. Barrichello não conseguiu manter o rendimento e foi perdendo posições. Bueno superou Camilo, pelo terceiro lugar e começou a pressionar Wilson.

Abreu manteve a ponta até o final, recebendo a bandeirada com 0s677 de vantagem sobre Wilson.

“Jogamos com o regulamento. Fico feliz por ter conquistado a vitória e ter somado mais de 30 pontos hoje, um bom passo para fechar o campeonato entre os três ou até mesmo ter uma chance lutar pelo vice-campeonato, ainda que pequena, mas vamos fazer o nosso trabalho para final, e vamos estar tinindo em Interlagos”, declarou Abreu.

“Nosso carro estava bom, competitivo, e o do Átila também. Do meio da corrida para frente eu já não tinha mais push, e mesmo assim consegui me manter no mesmo ritmo, o que é difícil. Não deu para ganhar hoje, o segundo lugar era o máximo que poderíamos conseguir e estou contente pelo resultado”, resignou-se Wilson.

Bueno fechou o pódio, apenas 0s112 atrás de Wilson.

“Tomei um toque na primeira corrida, o que me jogou para o último lugar. Não troquei pneus – um monte de gente trocou – e mesmo assim eu era um dos carros mais rápidos da pista. Isso mostra que o carro realmente acendeu neste fim de semana, estava muito bom. Ainda falta um pouquinho de tração. Pena que eu praticamente abortei a primeira corrida, senão a gente poderia ter feito um domingo ainda melhor”, explicou Bueno.

Camilo foi o quarto, seguido por Diego Nunes (Hero Motorsport) e Gabriel Casagrande (Vogel Motorsport). Lucas Foresti (Full Time Academy), Genz, Serra e Lapenna, fecharam os dez primeiros.

Barrichello foi punido com 20 segundos no seu tempo final, e caiu para o 17º lugar.

Destaque da primeira prova, e um dos vencedores do Hero Push (junto com Barrichello e Bia Figueiredo) da Costa abandonou logo na primeira volta. Depois de ter o carro danificado em um toque com Navarro.

Serra lidera o campeonato com 325 pontos, seguido por Camilo com 310. Apenas os dois estão na disputa pelo título.

Interlagos recebe a grande final em prova valendo pontuação dobrada, no dia 10 de dezembro.

Final:

1. 51 Átila Abreu (Shell Racing) – 28 voltas em 52:03.000
2. 65 Max Wilson (Eurofarma-RCM) – a 0.677
3. 0 Cacá Bueno (Cimed Racing) – a 0.789
4. 21 Thiago Camilo (Ipiranga Racing) – a 7.506
5. 70 Diego Nunes (Hero Motorsport) – a 8.536
6. 83 Gabriel Casagrande (Vogel Motorsport) – a 9.645
7. 12 Lucas Foresti (Full Time Academy) – a 10.528
8. 46 Vitor Genz (Eisenbahn Racing Team) – a 11.612
9. 29 Daniel Serra (Eurofarma-RC) – a 11.921
10. 110 Felipe Lapenna (Cavaleiro Sports) – a 12.331
11. 1 Antonio Pizzonia (Prati-Donaduzzi Racing) – a 15.157
12. 18 Allam Khodair (Full Time Sports) – a 15.713
13. 30 César Ramos (Blau Motorsport) – a 20.775
14. 8 Rafael Suzuki (Cavaleiro Sports) – a 21.820
15. 80 Marcos Gomes (Cimed Racing) – a 25.146
16. 3 Bia Figueiredo (Full Time Academy) – a 32.364
17. 111 Rubens Barrichello (Full Time Sports) – a 40.581
18. 555 Renato Braga (Mico’s Racing) – a 54.907
19. 10 Ricardo Zonta (Shell Racing) – a 1 volta
20. 73 Sérgio Jimenez (Bardahl Hot Car) – a 1 volta
21. 188 Beto Monteiro (Mico’s Racing) – a 1 volta
22. 117 Guilherme Salas (Vogel Motorsport) – a 2 voltas
NÃO COMPLETARAM (75% da distância de prova)
23. 90 Ricardo Maurício (Eurofarma-RC) – a 7 voltas
24. 28 Galid Osman (Ipiranga Racing) – a 7 voltas
25. 4 Júlio Campos (Prati-Donaduzzi Racing) – a 12 voltas
26. 5 Denis Navarro (Cimed Racing) – a 16 voltas
27. 40 Felipe Fraga (Cimed Racing) – a 20 voltas
28. 77 Valdeno Brito (Eisenbahn Racing Team) – a 21 voltas
29. 9 Guga Lima (Bardahl Hot Car) – a 25 voltas
30. 444 António Félix da Costa (Hero Motorsport) – a 29 voltas
31. 31 Márcio Campos (Blau Motorsport) – a 29 voltas
32. 25 Tuka Rocha (RCM) – não largou
*Resultados sujeitos a verificações técnicas e desportivas

CLASSIFICAÇÃO DO CAMPEONATO (Top-10):
1. Daniel Serra, 325 pontos
2. Thiago Camilo, 306
3. Átila Abreu, 254
4. Max Wilson, 236
5. Felipe Fraga, 222
6. Cacá Bueno, 215
7. Rubens Barrichello, 210
8. Marcos Gomes, 198
9. Ricardo Maurício, 181
10. Gabriel Casagrande, 176