Stock Car: Novo Stock vai a Curitiba já com modificações

Escapamentos, porca das rodas e fixação dos capôs são os principais refinamentos feitos pela JL, empresa fabricante do modelo usado na categoria.

Empresa responsável pela construção do novo carro da Stock Car, a paulista JL já preparou um pacote de modificações no modelo JL-G09, o novo carro da Copa Nextel Stock Car. Depois de detectar problemas na estréia realizada em Interlagos no dia 29 de março, a empresa trabalhou rápido para apresentar soluções que serão utilizadas pela primeira vez no autódromo de Pinhais, na Grande Curitiba, no próximo domingo, dia 12 de abril. De acordo com o engenheiro brasileiro Gustavo Lehto, que assina o projeto ao lado o italiano Nicola Scimeca, da consultoria Ycom, as equipes contarão com três atualizações no JL-G09 visando sanar os defeitos identificados na estréia.

A primeira delas – e que mais interferiu no trabalho dos pilotos durante o final de semana em Interlagos – é a troca de todo o sistema de escapamento. No projeto original, usado na primeira etapa, os canos saíam da parte de trás do motor e cruzavam a frente do carro, horizontalmente, bem próximos ao painel do veículo, unindo-se em uma única saída no lado direito da carenagem, no final do circuito. Nesta configuração, os canos que saem dos coletores da esquerda do motor percorrem um caminho maior – e próximo da barreira que separa o habitáculo do cofre do motor. Isto ocasiona o calor no interior do cockpit – que em algumas ocasiões chegou a passar dos 60 graus.

Novo escapamento – “O escapamento que era usado no carro antigo tinha as saídas pelos dois lados da carenagem. Isso, além de aproveitar melhor a potência do motor, não deixava o interior do carro tão quente como estava em Interlagos com o novo modelo. Tecnicamente, acho que a solução antiga é mais interessante do ponto de vista de quem fica 50 minutos dentro do carro”, observa Felipe Maluhy, da Tracker Racing. Em São Paulo, o piloto chegou a usar palmilhas de amianto dentro das sapatilhas – isso porque a temperatura dos pedais chegava aos 90 graus. Segundo a JL, todo o novo sistema será substituído por uma versão semelhante à anterior, mas de projeto totalmente novo, com o principal objetivo de diminuir o calor no habitáculo.

Para o público, no entanto, o problema mais visível durante a primeira etapa da Stock – e que atingiu vários pilotos, entre eles Chico Serra, da Hot Wheels Racing, e o próprio Maluhy – ocorreu com os capôs: vários deles não suportaram a turbulência dos carros à frente, tiveram seus sistemas de fixação danificados e se soltaram dos carros. O dispositivo, de acordo com Gustavo Lehto, um dos projetistas do JL-G09, serão reforçados. Além disso, mais dois pinos serão aparafusados no direcionador de ar dianteiro localizado sob o carro. “São desenvolvimentos originados de nossa primeira experiência de corrida com o JL-G09, o que é perfeitamente compreensível em um carro tão novo como este. Então, acho que estas medidas são boas para a categoria, para os pilotos, equipes, público, enfim, para o espetáculo como um todo”, analisa o tricampeão Chico Serra, que fez em São Paulo a sua reestréia na categoria.

Rodas e segurança – Na primeira etapa, os pitstops para troca de pneus não foram realizados por falta de tempo para treinar os mecânicos. Mesmo assim, a JL trabalha em uma solução para ser adotada em Curitiba: a troca do material da porca que prende as rodas. A peça, que é de alumínio, será fabricada em aço e terá uma guia, que facilita o trabalho do mecânico na execução do pitstop.

“Achei prudente o adiamento do pit stop, já que a questão do treinamento está diretamente relacionada à segurança. Qualquer medida que proteja ou facilite a vida dos envolvidos em uma categoria como a Stock Car é bem vinda. Acho que as trocas de pneus trarão uma nova dinâmica às corridas, mas é uma receita que há décadas dá um tempero especial à Fórmula 1. Então, é uma receita mais do que testada e reconhecida pelo público de corridas de todo o mundo”, elogiou Luciano Burti (Amanco/Poliron), da Boettger Competições.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *