Stock Car: Piscar de olhos define pole position em Interlagos em favor de Ricardo Zonta; Serra sai em terceiro

Interlagos deu o ar de sua graça no início da tarde deste sábado (8) para a classificação que definiu o grid de largada para a Hero Super Final, a corrida final da temporada 2018 da Stock Car, que define o título entre Daniel Serra e Felipe Fraga. A chuva apareceu, ainda que de leve, molhando o traçado e deixando a cena logo em seguida, promovendo uma bela mistura de forças na ordem de saída.

Ricardo Zonta foi quem melhor aproveitou a melhora das condições dos 4.309 metros no circuito do principal autódromo do país para cravar sua primeira pole position na temporada. Mas foi por muito pouco: o piloto da Shell V-Power cravou 1:37.314 contra 1:37.319 de Julio Campos, uma diferença de apenas cinco milésimos de segundo (0s005) sobre o piloto da Prat-Donaduzzi. Para se ter uma ideia, um piscar de olhos é feito em sete milésimos de segundo. Zonta e Campos fecharam a primeira fila 100% paranaense em São Paulo.

“Eu estava sentindo falta de uma pole. Tenho de agradecer à TMG e à Shell pelo trabalho de hoje. O carro estava perfeito, fantástico, andando sempre na frente. Graças a Deus deu tudo certo. Amanhã quero largar e sumir na frente. Agora vamos para cima na última etapa. Quero subir no pódio. Estou aqui para me divertir, estar com os amigos, fazendo a torcida vibrar, e estou muito feliz. Primeira pole do ano, e isso é ótimo”, comemorou Ricardo Zonta.

Daniel Serra ganhou vantagem importantíssima além dos 24 pontos de diferença que alimenta sobre Felipe Fraga. O líder do campeonato vai sair da terceira posição, enquanto Fraga, uma das vítimas da pista molhada, sai apenas em 18º (veja ao final do texto as combinações possíveis que podem resultar em título).

“A pista vinha secando e com o pneu de chuva ficou mais difícil no Q1. A diferença para os primeiros da fila foi pequena, então foi muito bom. Agora, vamos pensar apenas na nossa estratégia, isso é o mais saudável”, disse Serra, que precisa de um quarto lugar para confirmar o título sem depender da posição de chegada de Felipe Fraga.

Fecham os dez primeiros no grid Cacá Bueno, Ricardo Maurício, Gabriel Casagrande, Lucas Foresti, Bruno Baptista, Antonio Pizzonia e Diego Nunes. O estreante Gaetano Di Mauro sai da 11ª posição.

A classificação começou e o primeiro grupo entrou com a pista molhada. Campos, Casagrande, Zonta, Serra, Cacá, Gomes, Di Grassi, Fraga, Átila, Barrichello, Ramos, Camilo, Piquet, Suzuki e Wilson foram à pista e o melhor tempo, de Julio Campos, foi de 1:43.054.

No segundo grupo a pista estava menos molhada, e assim Bruno Baptista fez o melhor tempo com 1:42.329, seguido do estreante Gaetano de Mauro. Fecharam os 15 prmeiros Foresti, Pizzonia, Ricardo Maurício, Guga Lima, Diego Nunes, Julio Campos, Gabriel Casagrande, Zonta, Lapenna, Serra, Bia, Cacá Bueno e Ricardo Sperafico. Felipe Fraga ficou com o 18º tempo e fora do Q2.

“Fiz o meu melhor, baixei a cabeça e acelerei. O Daniel fez um trabalho melhor. É uma pena, porque é um tipo de pista que sempre vamos bem. Mas aqui tem esse chove e seca e a pista ficou nojenta. Achei que estava bem, mas fiquei só dois décimos atrás do Daniel. Mas Stock Car é isso, é disputada. Estou triste, claro, mas estou 100% tranquilo. Vou lutar até a última volta amanhã”, disse Felipe Fraga.

Na segunda fase, Ricardo Zonta foi o mais rápido, seguido por Julio Campos, Daniel Serra, Cacá Bueno, Gabriel Casagrande e Ricardo Maurício completando os seis que foram ao Q3 para disputar a pole position.

Para o Q3, as equipes trabalharam rápido na troca dos pneus de chuva pelos slicks. Daniel Serra questionava a equipe no rádio para saber o que seus adversários fariam a respeito da borracha fornecida pela Pirelli. “Vamos seguir a mesma estratégia de todo mundo”, pediu à equipe – e foi com pneus de pista seca.

Ricardo Maurício foi o primeiro a ir para a pista na parte final da classificação. O piloto, que faz sua última corrida pela Full Time Sports, marcou 1:39.534. Gabriel Casagrande foi o segundo a ir à pista, mas cometeu um erro já na freada para o S do Senna, abortando sua volta e se conformando com a sexta posição.

Terceiro no traçado, Cacá Bueno fez o melhor tempo nos três setores e cravou 1:38.338, 1s196 melhor que Ricardinho. Depois, foi a vez de Daniel Serra. O líder do campeonato baixou a primeira parcial em relação a Cacá; fez o mesmo no segundo setor e também no terceiro, marcando a melhor volta do Q3 até então com 1:37.398, quase um segundo mais rápido que o sete vezes vencedor da pista de Interlagos.

A pista dava mostras de melhora em termos de aderência – o popular “grip” no linguajar dos pilotos – e Julio Campos se aproveitou da condição ao bater o tempo de Serra em apenas 76 milésimos de segundo.

Último dos seis no traçado, Ricardo Zonta em situação privilegiada melhorou o primeiro setor, mas não foi melhor que Campos no segundo trecho; entretanto, brilhou no terceiro ao cravar a pole position com cinco milésimos de segundo de diferença para Campos – 1:37.314 contra 1:37.319 – e confirmou sua primeira pole position na temporada, com uma primeira fila 100% paranaense em Interlagos.

A Hero Super Final, definição do título da temporada 2018, tem largada neste domingo (9) às 11 horas, com transmissão ao vivo pela TV Globo e também pelo SporTV2. As bilheterias do autódromo estarão abertas para a venda de ingressos; os portões serão abertos às oito horas e a visitação aos boxes – para os portadores do ingresso correspondente – acontece das 9 às 10 horas.

Grid de largada para Hero Super Final*:
Tempos do Q3
1. 10 Ricardo Zonta (Shell V-Power) – 1:37.314
2. 4 Julio Campos (Prati-Donaduzzi Racing) – 1:37.319
3. 29 Daniel Serra (Eurofarma RC) – 1:37.398
4. 0 Cacá Bueno (Cimed Chevrolet Racing 1:38.338
5. 90 Ricardo Maurício (Full Time Sports) – 1:39.534
6. 83 Gabriel Casagrande (Vogel Motorsport) – sem tempo no Q3
Fora no Q2
7. 12 Lucas Foresti (Cimed Chevrolet Racing Team) – 1:42.303
8. 44 Bruno Baptista (Hero Motorsport) – 1:42.426
9. 1 Antonio Pizzonia (Prati-Donaduzzi Racing) – 1:42.551
10. 70 Diego Nunes (Full Time Bassani) – 1:42.588
11. 544 Gaetano di Mauro (Hero Motorsport II) – 1:42.644
12. 3 Bia Figueiredo (Ipiranga Racing) – 1:42.948
13. 20 Ricardo Sperafico (Bardahl Hot Car) – 1:43.166
14. 9 Guga Lima (Vogel Motorsport) – 1:43.407
15. 110 Felipe Lapenna (Cavaleiro Contuflex) – 1:43.415
Fora no Q1
16. 80 Marcos Gomes (Cimed Chevrolet Racing Team) – 1:43.315
17. 11 Lucas Di Grassi (Hero Motorsport) – 1:43.375
18. 88 Felipe Fraga (Cimed Chevrolet Racing) – 1:43.400
19. 77 Valdeno Brito (Eisenbahn Racing Team) – 1:43.419
20. 46 Vitor Genz (Eisenbahn Racing Team) – 1:43.461
21. 18 Allam Khodair (Blau Motorsport) – 1:43.485
22. 51 Átila Abreu (Shell V-Power) – 1:43.553
23. 111 Rubens Barrichello (Full Time Sports) – 1:43.788
24. 30 Cesar Ramos (Blau Motorsport) – 1:43.859
25. 21 Thiago Camilo (Ipiranga Racing) – 1:43.983
26. 28 Galid Osman (Cavaleiro Sports) – 1:44.139
27. 33 Nelson Piquet Jr (Full Time Bassani) – 1:44.143
28. 8 Rafael Suzuki (Bardahl Hot Car) – 1:44.174
29. 5 Denis Navarro (Cavaleiro Sports) – 1:44.19
30. 31 Willian Starostik (KTF Sports) – 1:44.276
31. 65 Max Wilson (Eurofarma RC) – 1:44.356
*Resultados sujeitos a verificações técnicas e desportivas

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *