Stock: Categoria começa a luta pelos milésimos em Curitiba

Treinos livres devem confirmar tendência de equilíbrio no anel externo.

Duas sessões de treinos livres, uma pela manhã, outra à tarde e ambas com uma hora e meia de duração, devem começar a confirmar o esperado equilíbrio da Stock Car no anel externo do Autódromo Internacional de Curitiba. No ano passado, 34 pilotos – máximo determinado pelo regulamento de 2008 – ficaram separados por apenas seis décimos de segundo na tomada classificatória. Com a repavimentação nas curvas 0 e 1, além da reforma nas zebras do Esse de baixa, a tendência é de que as diferenças se estreitem ainda mais.

“Qualquer erro neste circuito pode custar um monte de posições, já que em nenhum outro os carros andam tão próximos”, lembra Ricardo Maurício (Medley), vice-líder e vencedor da recente prova em Brasília, realizada também no traçado externo. Nesta quinta-feira, ao lado do diretor-técnico Andreas Mattheis e do companheiro de equipe Marcos Gomes, Maurício fez de bicicleta o tradicional reconhecimento da pista. “Ela me pareceu em melhores condições que da última vez, por causa do asfalto novo naqueles pontos. Melhorou a aderência, mas isso será bom para todos”, ressalvou.

A alteração mais importante, no entanto, é o aumento da altura na segunda e terceira pernas do Esse do final da longa reta de 980 metros do autódromo da capital paranaense. “Antes, muita gente levava vantagem ao cortar a chicane. Agora, o risco de danificar a suspensão no meio e na saída é grande. Todos terão de contorná-la direitinho”, lembrou Maurício, que pode praticamente confirmar em Curitiba a passagem para os playoffs decisivos das últimas quatro corridas.

O líder Marcos Gomes chegou ao autódromo no início da tarde com a expressão ainda mais tranqüila que a habitual. Com 45 pontos, graças à vitória em Interlagos e ao segundo lugar no Distrito Federal, já alcançou a nota de corte exigida pelos playoffs nos dois primeiros anos de existência do atual sistema de definição do campeão da Stock Car. Melhor estreante da categoria em 2007, terminou em terceiro na prova do anel externo de Curitiba em setembro último, logo atrás de Ricardo Maurício. Desta vez, o plano é mais ambicioso. “Ganhei duas corridas na Stock Light em 2006, meu pai também já venceu aqui e meu irmão (Pedro) conquistou neste circuito sua única vitória na Stock Car V8. Portanto, agora pode ser a minha vez…”

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *