Stock: Entre estreantes e veteranos, temporada do Mini Challenge promete ainda mais emoção em 2011

Campeonato começa no próximo dia 20 junto com a Copa Caixa Stock Car e campeão vai disputar uma corrida na Espanha sem custos

A temporada 2011 do Mini Challenge vai começar no dia 20 de março junto com a disputa da Copa Caixa Stock Car e do FIA WTCC, no Autódromo Internacional de Curitiba. E as novidades incluem a inscrição de novos pilotos e a permanência de algumas feras, como os experientes Rodrigo Hanashiro, Rolf Gemperli, José Mario Castilho, Zé Ricardo Viana, entre outros. O calendário será composto por oito rodadas, com duas baterias cada, e a final acontece no dia 16 de outubro em Brasília. Outro motivo que atraiu os pilotos é a premiação para este ano: o campeão vai disputar uma prova do Mini Challenge no Campeonato Espanhol com todas as despesas pagas.

“Escolhi correr no Mini Challenge por causa, sobretudo, do equilíbrio entre os carros, sem contar que acontece dentro de um evento forte como a Stock Car, a visibilidade é bem grande e o custo é relativamente baixo”, explicou o paulista Maurício Gallian, estreante na categoria que tem todos os carros mantidos e preparados pela JL, parceira técnica da Vicar, a promotora do evento. Gallian dividirá a pilotagem com o Aleandro Fortunato. “Sempre corri com carros de turismo, fui campeão do Paulista de Marcas, mas queria um pouco mais de igualdade. Estou louco para acelerar. Devo apanhar um pouco no início porque não conheço todas as pistas, mas depois pego o jeito”, completou Maurício, que tem 41 anos e iniciou a carreira em 2006.

Durante o ano, cada piloto poderá realizar até quatro treinos extras no Autódromo de Interlagos, e isso ajudará na evolução dos estreantes. Mais uma novidade da temporada.

Davi Dal Pizzol também nunca guiou um Mini e está ansioso. Ao lado do parceiro Felipe Tozzo, Davi não tem noção do que irá encontrar na estreia. “Será uma experiência totalmente nova, não sei como reage o carro. Vou saber tudo mesmo quando der a primeira volta. Vai dar certo”, brincou o catarinense de 38 anos, muito confiante na dupla com Felipe Tozzo, de 27 anos. “Ele é o grande incentivador da minha carreira, e um dos melhores que já vi andar na terra. Somos amigos e, por isso, o trabalho será prazeroso. Vamos começar já pensando em ficar para 2012.”

Também de Santa Catarina vem outra dupla estreante no Mini Challenge em 2011. Raulino Kreis Jr. e Leandro Fortunato ficaram impressionados com o equilíbrio da categoria, aliada ao baixo custo por temporada, e estarão na pista em Curitiba. “Como a maioria que vai entrar na disputa esse ano, estou ansioso para conhecer o carro, mas já conversei com vários pilotos amigos e só recebi boas impressões do modelo. Já descobri que o carro é firme, estável, um pouco mais nervoso em termos de potência do que estou acostumado, mas não haverá problema. Quem vai ganhar com isso será o público. Minha meta é acabar entre os 10 primeiros”, disse Kreis Jr.

Mas não é apenas com estreantes que se faz um bom campeonato. A permanência de vários pilotos que participaram da primeira temporada é um forte indício. Veterano das pistas, como costuma brincar, o piloto Rolf Gemperli espera dar trabalho à molecada em 2011. Ano passado, uma série de contratempos tirou a chance de brigar pelo título. “Podem esperar que esse ano vou andar lá na frente”, prometeu Rolf, aos 59 anos. Segundo ele, o convite para andar em outras categorias não o seduziu. “O Mini é um carro gostoso, proporciona muitos pegas e ainda dentro de um grande evento como é a Stock Car. Não tinha porque mudar”, admitiu.

Após ter passado por várias competições nos carros de turismo, Rolf Gemperli tem certeza que encontrou o ambiente ideal no Mini Challenge. Além das disputas parelhas, ele aprecia o ambiente da categoria. “Faço parte de uma família mesmo. O pessoal mais jovem vem conversar, tirar dúvidas sobre a pilotagem, e o mais legal é que ninguém se nega a ajudar, orientar… Sem contar que eu chego no fim de semana, sento no carro, corro e depois vou embora. Não tem aquela coisa de administrar a equipe, ficar trabalhando até tarde no acerto, porque tudo isso cansa. Não quero mais isso”, garantiu.

Além da corrida paga na Espanha para o campeão, os 20 primeiros colocados na classificação geral do campeonato de 2011 receberá uma chave de um carro Mini. Na festa de premiação, apenas uma delas abrirá o carro, que vai ficar como prêmio ao piloto sortudo. “É realmente um custo-benefício muito bom para quem quer andar de turismo no Brasil. Essa temporada tem tudo para repetir o sucesso da primeira. Espero já começar a andar bem em Curitiba, uma pista que conheço bem”, finalizou Rolf Gemperli.

Calendário do Mini Challenge em 2011:
20/3 – Curitiba (PR)
3/4 – São Paulo (SP)
17/4 – Ribeirão Preto (SP)
15/5 – Velopark (RS)
3/7 – Rio de Janeiro (RJ)
7/8 – São Paulo (SP)/Alternativo
4/9 – Salvador (BA)
16/10 – Brasília (DF)

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *