Stock: Escape causou incêndio no carro de Tuka Rocha

Medidas de segurança serão tomadas, já na próxima prova, para evitar que problema volte a acontecer

A JL Racing, empresa que faz os carros da Stock Car, deu seu primeiro parecer para o caso do incêndio do carro de Tuka Rocha, na última etapa da categoria em Jacarepaguá. O fogo iniciou-se pelo escapamento após entrar em contato com o material de absorção de impacto da lateral do carro.

– Após vários estudos de imagens de TV, fotos e no carro de Tuka Rocha, concluímos que o fogo começou na fibra externa onde é colocado o material especial de absorção de impactos laterais. O indício é que o escapamento colocou fogo na peça, como pode ser observado em uma das imagens capturadas da transmissão de TV – disse Zequinha Giaffone, diretor da JL.

Além da perícia no carro de Tuka e da análise de imagens da corrida, os técnicos da JL fizeram novas simulações com os mesmos materiais do local onde começou o incêndio. A intensidade do fogo e a cor da fumaça foram idênticas aos do acidente na simulação feita com fogo controlado e ventiladores industriais, como explicou Giaffone:

– Fizemos testes separadamente ateando fogo no material de absorção e ele não incendiou daquela maneira. O mesmo ocorreu com as partes de fibra com tratamento anti-chamas, mostrando que são eficientes de forma isolada. Ou seja, elas só são inflamáveis se expostas ao fogo sob uma convergência de fatores, como ângulo do vento e posicionamento das peças de fibra ao seu redor. Porém, mesmo sendo um caso isolado, não queremos correr riscos e vamos trocar o material.

Como a próxima prova da categoria (Corrida do Milhão em Interlagos) é somente dia 7 de agosto, mudanças já serão feita nos carros para evitar que os problemas voltem a acontecer.

– As mudanças são a substituição do material de absorção de impacto lateral; remoção da entrada de ar do teto, troca do material do visor da parede corta-fogo, vedação completa da parede corta fogo-traseira, tratamento anti-chamas de novos componentes em locais que serão orientados pelo fabricante e serão vistoriados pela CBA; e substituição da mangueira na saída do respiro do tanque até a parede corta fogo por um tubo de alumínio – informou Zequinha.

Fonte: LANCEPRESS!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *