Stock Light: Para Leonardo Burti, Brasília deve ser prova com mais intervenções do safety car no ano

Piloto da RC Competições correrá pela primeira vez de Stock Car Light em Brasília, mas conhece o circuito de provas na DTM Pick Up e Copa Clio.



As características do anel externo do autódromo de Brasília, que recebe neste final de semana a Stock Car Light em etapa conjunta com a categoria principal, devem fazer da corrida deste domingo a mais acirrada do ano. Esta é a previsão de alguns pilotos, como Leonardo Burti, da equipe RC Competições.


 


O irmão de Luciano Burti acredita que o fato do circuito ser o mais veloz da temporada aliado ao pouco espaço de áreas de escape deve provocar várias intervenções do safety car ao longo da prova.


 


“Acho muito provável que esta etapa seja marcada por várias bandeiras amarelas. Em Brasília, todos andam muito próximos e qualquer saída de pista pode deixar um carro em posição perigosa, exigindo a intervenção do safety car”, comenta Leonardo.


 


Apesar de fazer sua estréia no Distrito Federal correndo com a Stock Car Light, categoria na qual começou a competir neste ano, Burti já conhece a pista brasiliense de provas da Copa Clio e da extinta DTM Pick Up.


 


“É uma pista muito interessante, que, embora seja anel externo, não tem característica de oval, são curvas bem distintas, o que exige um bom acerto do carro e preocupação extra com os pneus, já que o asfalto é bem abrasivo”, explica Leonardo.


 


Apesar da alta média de velocidade, o circuito de Brasília não favorece as ultrapassagens. “Isso também ocorre porque o Stock Car Light não gera muito vácuo, diferente da Clio, por exemplo. Por isso, aqui é fundamental largar no pelotão da frente”, afirma o irmão de Luciano Burti.


 


Para o piloto da RC Competições, o objetivo é conquistar um lugar entre os dez primeiros colocados do grid. Na etapa passada, em Santa Cruz do Sul, o paulista chegou próximo desta meta, ao ficar em 11o em uma pista onde jamais havia corrido em nenhuma categoria.


 


“O desempenho do time na prova passada foi muito bom e eu também consegui melhorar minha performance na classificação. Já me sinto mais adaptado ao formato de apenas duas voltas rápidas. Em Brasília, vamos focar no trabalho de acerto para a classificação, mais importante que o próprio set up de corrida”, diz Leonardo.


 


Piloto e equipe vão avaliar possíveis soluções para o problema apresentado no final das duas últimas etapas, quando o carro não apresentou bom desempenho com pneus gastos e tanque mais vazio.


 


“Em Curitiba, tive problemas com o carro saindo de traseira e em Santa Cruz a falha foi oposta. Vamos trabalhar neste quesito durante os treinos livres, mas de qualquer forma estou confiante para a corrida”, completa Burti.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *