Stock: Stock Car pode correr com frio recorde no interior gaúcho

Meteorologia prevê temperaturas baixas domingo em Santa Cruz do Sul.

A Stock Car poderá correr neste domingo em Santa Cruz do Sul (RS) debaixo do frio mais intenso das últimas cinco temporadas. A expectativa está baseada na previsão dos serviços de meteorologia, que estão antecipando, a partir da tarde de sábado, a chegada ao estado da mais forte massa de ar polar deste ano. A temperatura durante a 7ª etapa, cuja largada está marcada para as 13 horas, não deverá ultrapassar os 10 graus.

A última vez que a Stock Car desafiou o rigoroso inverno do Rio Grande do Sul foi em 2003. Uma geada leve marcou o início da prova em Guaporé. “Eu estava no grid e, de repente, comecei a perceber uns pontinhos no pára-brisa. Cheguei a perguntar ao Andreas Mattheis (diretor-técnico) se estava chovendo”, recorda Guto Negrão, companheiro do bicampeão Giuliano Losacco na Equipe Medley. Naquele fim de semana, os termômetros chegaram a descer a índices negativos durante a noite.

Frio, no entanto, está longe se ser uma má notícia. Para os pilotos, que utilizam grossos macacões à prova de fogo, o interior do carro se torna muito mais confortável. “O cockpit pode chegar a 70 graus nos dias mais quentes. Com a temperatura mais baixa, a transpiração e o desgaste são bem menores”, observa Negrão, que pode garantir por antecipação no interior gaúcho a passagem para o grupo dos 10 pilotos que decidirão o título nos playoffs das últimas quatro etapas. Atualmente, ocupa a 8ª colocação.

Temperaturas amenas contribuem também para aumentar a eficiência do conjunto mecânico. “O frio só melhora o rendimento dos componentes, especialmente do motor”, observa Andreas Mattheis. Para ele, o treino extra oferecido pelos promotores na manhã de sexta-feira poderia ser importante, na medida em que as temperaturas de pista e ar seriam similares às esperadas para o início da tarde de domingo. A idéia era obter informações fundamentais, como a pressão ideal dos pneus para corrida. No entanto, enquanto a frente fria não chega, as temperaturas subiram rapidamente para acima dos 20 graus.

A prova em Santa Cruz do Sul, circuito inaugurado em 2005, deverá deixar poucas vagas em aberto para a última etapa da fase classificatória, marcada para dia 23 em Brasília. A tendência é que a corrida do Distrito Federal coloque os últimos três ou quatro na relação final dos 10 que decidirão o título.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *