Stock: Substituto de Zonta, Júlio Campos precisa mostrar serviço

A quarta etapa da Copa Nextel de Stock Car vai ser, mais uma vez, decisiva para o paranaense Júlio Campos. Escolhido por Ricardo Zonta para guiar seu Peugeot 307 quando os compromissos no automobilismo internacional o impedem de competir no Brasil, Campos tem noção clara da responsabilidade que é substituir um piloto do calibre de Zonta. Ainda assim, aceita o desafio – e, pelo menos até agora, está se saindo bem.

Aos 26 anos, o curitibano Campos é reconhecidamente talentoso, mas isso de nada tem valido na hora de arranjar patrocínio. “Este sempre foi o problema”, resigna-se Júlio, irmão mais novo de Marcos Campos, visto como a maior promessa do País até encontrar a morte na última etapa do Campeonato Europeu de Fórmula 3.000 de 1994, exatamente em Magny-Cours, onde a Fórmula 1 disputa o GP da França neste fim de semana.

Subestimado por empresas que investem no automobilismo por motivos menos esportivos, Júlio tem o reconhecimento de quem conhece tudo do ramo. Além de Zonta, que reúne em seu currículo uma carreira na F-1 e o título de campeão mundial de carros esporte de 1998 (pela equipe oficial da Mercedes), ele já foi convidado por chefes de diversas outras equipes da Stock Car, onde milita desde 2005. Um deles foi Alfredo Guaraná Menezes, o mais duro rival que o tricampeão Nelson Piquet enfrentou enquanto corria no Brasil.

“Fiz a primeira etapa da Stock Light deste ano pela equipe do Guaraná, mas ele estava sem patrocínio e ficou nisso. Quase sempre, sou chamado por equipes que precisam mostrar serviço, mas elas não aguentam a despesa e tenho de abrir espaço para quem traz verba”, conforma-se Campos. Neste ano, ele fará mais duas corridas como substituto de Zonta, neste sábado na etapa de Santa Cruz do Sul e na seguinte, em Campo Grande. Depois, volta ao desemprego.

“Não sei o que vai acontecer depois, mas sou grato ao Zonta. Não trago patrocínio, estou aqui porque ele acha que posso ajudar a equipe a se manter entre as 15 melhores da Stock Car V8 e evitar a queda para a Stock Light no ano que vem. Retribuo tentando fazer o melhor para a equipe”.

Sua primeira corrida pela escuderia de Zonta, a L & M Racing, mostrou o acerto da escolha. Mesmo largando em 23º, conquistou no circuito externo de Curitiba o melhor resultado da equipe neste ano, o 10º lugar. Em 19º no campeonato, Campos promete lutar por mais pontos, a despeito da má posição no grid, a 29ª. “Foi erro de estratégia. Colocamos os pneus slick muito tarde e, quando eu vinha em uma volta rápida, dois pilotos saíram da pista e sujaram o asfalto. Não houve tempo para outra tentativa e agora ficou mais difícil marcar pontos, mas vou tentar. Além de retribuir a ajuda, preciso mostrar serviço para ver se mais alguém se lembra de mim”.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *