Stock: Thiago Camilo é tricampeão da Corrida do Milhão

Thiago Camilo (Ipiranga-RCM) venceu neste domingo, em Goiânia, a Corrida do Milhão, sétima etapa da temporada. Foi a terceira vitória de Camilo na principal prova da Stock Car. Daniel Serra (Red Bull Racing) e Ricardo Zonta (Shell Racing) completaram o pódio.

Álbum de fotos: Click em Slide

Na largada, Serra assumiu a ponta, seguido por Ricardo Maurício (Eurofarma RC), Zonta, Camilo (que fez uma grande largada da 12ª posição), Valdeno Brito (Shell Racing) e Marcos Gomes (Voxx Racing Team), que alinhou na pole e ao contrário de Camilo fez uma largada ruim.

Vencedor da prova no ano passado, Rubens Barrichello (Full Time Sports), que alinhou em terceiro, escapou da pista e caiu para as últimas posições.

Na 11ª volta, Camilo superou Zonta pelo terceiro lugar. Com a janela de pits aberta, Serra e Camilo entraram juntos nos boxes. A Red Bull Racing trocou os dois pneus do lado esquerdo, com a Ipiranga-RCM trocando apenas um pneu. Com o pit mais rápido, Camilo retornou a pista na frente de Serra. 

Com um pit stop também perfeito, Maurício era o líder, seguido por Camilo e Serra. Mas pouco depois, Maurício ficou lento na pista, e abandonou.

Camilo assumiu a liderança, e venceu com tranquilos 2s245 de vantagem sobre Serra. Vencedor em 2011 e 2012, Camilo correu com uma bota ortopédica e sapatilha especial para a prova (devido ao acidente na primeira prova de Curitiba).

“Significa muito mais do que um milhão, sem dúvida. Foi uma corrida especial. A gente nunca deixou de acreditar, então quero agradecer a Deus, que me livrou não só no acidente de Curitiba, que foi o mais grave da minha carreira, e sair de lá só com o pé machucado foi um livramento muito grande”, afirmou o vencedor, que vem passando por sessões de fisioterapia e na última delas, ainda na terça-feira, disse que nem uma sapatilha tamanho 55 caberia em seu pé esquerdo, tamanho o inchaço. Tanto que sua presença na sétima etapa só foi confirmada na quinta-feira.

Dizendo-se não 100% fisicamente, mas “200% motivado”, Camilo fez questão de agradecer a equipe médica da categoria e a RCM. “A vitória é deles, pois se eles não tivessem feito um carro bem preparado com tamanha dedicação não seria possível vencer a corrida”, afirmou. “A vitória foi construída passo a passo. Fiz uma largada muito boa em que tudo encaixou e deu certo, e pulei de 12º para quarto na primeira curva. Eu sabia que tinha um carro muito bom. Praticamente eu larguei em quarto, porque passei muita gente e foi o que colaborou para a vitória. Eu tinha um ritmo melhor que o do Ricardo (Maurício, que abandonou a prova por problemas mecânicos), melhor que do Daniel (Serra), a equipe foi muito bem no pit stop, passei o Daniel, o Ricardinho teve problema, e foi isso”, concluiu.

Serra, segundo colocado, disse uqe a equipe optou or colocar mais combustível durante o pit stop, mas isso não foi determinante no resultado.

“Eu tinha um ritmo muito bom, mas vi que o Thiago estava mais rápido. Ele acabou saindo na frente no pit stop, mas de qualquer forma seria difícil de segurá-lo porque ele estava muito rápido. No final ainda tive um probleminha de câmbio com as reduções de marcha”, revelou Serra. “Lógico que eu queria ganhar o milhão: quem não queria ganhar um milhão de reais em 45 minutos?”, questionou. “Mas para o campeonato foi ótimo; pulamos para a segunda posição, diminuímos a diferença para o líder e a Corrida do Milhão passou, mas o campeonato continua”, finalizou o vice-líder da temporada.

Zonta, vencedor da prova em 2013, completou o pódio.

“Meu carro começou a falhar em saídas de curva à direita – talvez tenha entrado alguma sujeira nos bicos do motor – e aí comecei a sair de curva usando uma marcha acima para que isso não me prejudicasse tanto. Foi ali que o Thiago (Camilo) me passou, mas tirando isso o acerto estava muito bom. Optamos por uma estratégia boa e segura, e nosso ritmo era bom. Se tivéssemos arriscado abastecer por dois segundos a menos no pit stop, talvez teríamos saído dos boxes junto com o Thiago e ali a briga ficaria para o final”, declarou Zonta.

Gomes terminou em quarto, seguido por Felipe Fraga (Voxx Racing Team), também recuperado do acidente em Curitiba, e Max Wilson (Eurofarma RC).

Primeiro vencedor da Corrida do Milhão, em 2008, Valdeno Brito (Shell Racing) terminou em sétimo.

Rafa Matos (Schin Racing Team), Cacá Bueno (Red Bull Racing), retornando depois da suspensão em Curitiba, e Diego Nunes (Vogel Motorsport) fecharam os dez primeiros.

Barrichello, que depois levou um drive-through por excesso de velocidade nos pits, ainda salvou um pontinho, com a 20ª posição. 

Gomes lidera o campeonato com 158 pontos, seguido por Serra com 133 e Bueno com 125. 

A próxima etapa, em Cascavel, no Paraná, acontece no dia 30 de agosto. 

Transmissão pela metade

A prova foi transmitida pela Rede Globo, mas não podemos considerar que foi “ao vivo’”. Pois boa parte da transmissão foi interrompida para serem mostradas imagens das manifestações anti-governo que acontecem neste domingo em diversas cidades.

O pior foi a transmissão ser interrompida durante as paradas nos pits, momento crucial da prova. Depois reclamam que muitos patrocinadores perderam o interesse pelo automobilismo. 

Final:

1 – 21 – Thiago Camilo (Ipiranga-RCM) – 31 voltas em 46min27s609

2 – 29 – Daniel Serra (Red Bull Racing) – a 2s245

3 – 10 – Ricardo Zonta (Shell Racing) – a 2s822

4 – 80 – Marcos Gomes (Voxx Racing Team) – a 8s354

5 – 88 – Felipe Fraga (Voxx Racing Team) – a 11s248

6 – 65 – Max Wilson (Eurofarma RC) – a 12s174

7 – 77 – Valdeno Brito (Shell Racing) – a 12s189

8 – 2 – Rafa Matos (Schin Racing Team) – a 21s979

9 – 0 – Cacá Bueno (Red Bull Racing) – a 23s339

10 – 70 – Diego Nunes (Vogel Motorsport) – a 24s964

11 – 51 – Átila Abreu (AMG Motorsport) – a 27s207

12 – 11 – Cesar Ramos (Total Racing) – a 27s397

13 – 12 – Lucas Foresti (AMG Motorsport) – a 28s996

14 – 28 – Galid Osman (Ipiranga-RCM) – a 31s716

15 – 25 – Tuka Rocha (União Química Racing) – a 31s121

16 – 4 – Júlio Campos (Prati-donaduzzi) – a 33s775

17 – 1 – Antonio Pizzonia (Prati-donaduzzi) – a 36s454

18 – 46 – Vitor Genz (Boettger Competições) – a 40s584

19 – 8 – Rafael Suzuki (RZ Motorsport) – a 44s275

20 – 111 – Rubens Barrichello (Full Time Sports) – a 47s143

21 – 5 – Denis Navarro (Vogel Motorsport) – a 48s382

22 – 72 – Fábio Fogaça (Hot Car Competições) – a 1min00s204

23 – 777 – Pedro Boesel (Boettger Competições) – a 1min19s530

24 – 83 – Gabriel Casagrande (Axalta C2 Team) – a 1 Volta

25 – 9 – Gustavo Lima (ProGP) – a 1 Volta

26 – 110 – Felipe Lapenna (Schin Racing Team) – a 1 Volta

27 – 26 – Raphael Abbate (Hot Car Competições) – a 2 Voltas

NÃO COMPLETARAM 75%

28 – 3 – Bia Figueiredo (União Química Racing) – a 9 Voltas

29 – 74 – Popó Bueno (Total Racing) – a 9 Voltas

30 – 90 – Ricardo Maurício (Eurofarma RC) – a 11 Voltas

31 – 14 – Luciano Burti (RZ Motorsport) – a 16 Voltas

32 – 73 – Sergio Jimenez (Axalta C2 Team) – a 16 Voltas

33 – 18 – Allam Khodair (Full Time Sports) – a 25 Voltas

Melhor volta: Daniel Serra – 1min24s549

Resultados sujeitos a confirmação

Classificação do Campeonato após sete etapas:

1-) Marcos Gomes – 158 pontos

2-) Daniel Serra – 133

3-) Cacá Bueno – 125

4-) Júlio Campos – 121

5-) Rubens Barrichello – 110

6-) Max Wilson – 110

7-) Thiago Camilo – 91

😎 Allam Khodair – 86

9-) Diego Nunes – 71

10-) Ricardo Maurício – 70

11-) Valdeno Brito – 68

12-) Átila Abreu – 68

13-) Ricardo Zonta – 68

14-) Sérgio Jimenez – 65

15-) Galid Osman – 62

16-) Antonio Pizzonia – 56

17-) Felipe Fraga – 52

18-) Gabriel Casagrande – 49

19-) Tuka Rocha – 41

20-) Vitor Genz – 41

21-) Raphael Matos – 40

22-) Rafael Suzuki – 33

23-) Denis Navarro – 32

24-) Popó Bueno – 29

25-) Luciano Burti – 29

26-) Cesar Ramos – 27

27-) Lucas Foresti – 26

28-) Raphael Abbate – 19

29-) Felipe Lapenna – 16

30-) Bia Figueiredo – 7

31-) Gustavo Lima – 4

32-) Fábio Fogaça – 1

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *