Stock: Vários pilotos são punidos e Allan Khodair vence em Santa Cruz do Sul

Allam Khodair (Blau Full Time/ Peugeot) venceu neste domingo (24/10), em Santa Cruz do Sul, no Rio Grande do Sul, a 10ª etapa da temporada e 2ª da Super Final. Valdeno Brito (Cosan Mobil Super Racing/ Chevrolet) e Ricardo Mauricio (Eurofarma RC/ Chevrolet) completaram o pódio.

Pole-position Ricardo Zonta (Eurofarma RC/Chevrolet) manteve a ponta no começo da prova, seguido pelos irmãos Popó Bueno (São Luiz A.Mattheis/Chevrolet) e Cacá Bueno (Red Bull/Peugeot).

Na 11ª volta o pneu traseiro direito do carro de Cacá furou, com o tri-campeão rodando antes de parar no meio da pista, acionando o Safety-Car. Apenas duas voltas depois da relargada o SC retornou a pista, devido ao abandono de Antonio Jorge Neto (RZ Corinthians/Chevrolet).

Pelo regulamento, o horário para pit stop estava aberto, mas o regulamento ainda prevê que os carros não podem entrar nos boxes enquanto o safety car estiver na pista. Os chefes de equipe, no entanto, ficaram confusos com a informação do locutor oficial de que o reabastecimento e troca de pneus estavam autorizados. Além disso, alguns dirigentes alegam que a placa correspondente à liberação dos boxes foi exibida, bem como o sinal verde característico mostrado nos monitores de tevê. Doze pilotos optaram pela parada, enquanto a maioria se manteve no circuito.

Wilson saiu dos boxes com o bujão de combustível preso ao carro. O equipamento ficou pendurado por algumas voltas, até cair na pista. Wilson acabou sendo punido, perdendo muitas posições.

Foi anunciado que os doze que pararam irregularmente nos boxes teriam que cumprir um drive-through, o que foi obedecido por nove deles. Os irmãos Ricardo Sperafico (Amir Nasr/Peugeot) e Rodrigo Sperafico (Qualicorp Micos/Peugeot) e Alan Hellmeister (JF/Peugeot), ocupando as três primeiras posições, ficaram na pista, sem cumprir a punição, o que gerou mais reclamações dos chefes de equipe.

Ricardo cruzou em primeiro, chegando a levar o seu carro ao local reservado ao vencedor. Ele saiu do carro comemorando, contudo foi rapidamente avisado da desclassificação, com seu carro sendo retirado para a colocação do Peugeot da Blau Full Time.

“Nós cumprimos o regulamento e fizemos tudo dentro do que foi passado pelo sistema de som oficial durante a prova. Adotamos a melhor estratégia e vencemos na pista, mas infelizmente não levamos a corrida. Não pretendo abrir recurso contra a decisão. Eu confio na imparcialidade dos comissários e da Confederação Brasileira de Automobilimo (CBA). Só acho que o grande traído hoje na Stock Car foi o público, que viu um piloto vencer na pista e não levar”, comentou Amir Nasr, chefe de equipe da Crystal Racing Team.

Khodair, Brito e Mauricio (que assumiu a liderança da Super Final) subiram ao pódio.

Allam Khodair comemorou muito sua segunda vitória, ainda mais porque luta pelo título da temporada 2010. “Tinha um carro muito competitivo, mas tive problemas no classificatório e larguei em nono. Na prova, o começo foi um pouco conturbado, quando o safety car entrou, eu sabia que tinha condições de brigar pela vitória, pois meu carro realmente estava rápido. E a partir daí foi uma questão de administrar e a vitória veio”, comemorou. “E o melhor é que a conquista veio em um momento importante do campeonato, e agora chego mais perto dos líderes”, contou.

Átila Abreu (AMG Motorsport/Chevrolet) terminou em 4º, seguido por Luciano Burti (Itaipava Racing Team/Peugeot), que liderava a prova até cinco voltas do final quando cumpriu a sua punição, e Felipe Maluhy (Officer ProGP/Chevrolet). Dos seis primeiros Brito e Burti não disputam a Super final.

Entre os demais postulantes ao título Wilson terminou em 8º; Popó 10º (prejudicado com a demora para a troca do pneu dianteiro direito); Cacá 12º (após cair para 30º depois do furo no pneu). Marcos Gomes (Blau Full Time/ Peugeot) e Daniel Serra (Red Bull/Peugeot) tiveram o motor estourado nas voltas finais, sendo, respectivamente, 23º e 24º na classificação final. Nonô Figueiredo (Cosan Mobil Super Racing/Chevrolet) abandonou na 23ª volta.

Mauricio lidera a Superfinal com 251 pontos, seguido por Wilson com 247 e Khodair com 240.

Ricardinho gostou do resultado, principalmente pelo campeonato. “No classificatório eu vinha bem no Q2, mas no Q3 tive problema na barra traseira que estava com uma certa folga. Mas a equipe fez um carro muito bom para mim. Em alguns momentos o Cacá e o Popó me “seguravam”, mas eu sabia que estava mais rápido do que eles. Acho que fomos bem conservadores na estratégia de box, mas o resultado é bom para o campeonato. Ainda tem muita coisa para acontecer, e estou animado para as próximas duas provas. Pretendo continuar assim e descartar o sexto lugar em Londrina”, comentou Ricardinho.

A próxima etapa, a 11ª, será no dia 21 de novembro, no Autódromo Internacional Nelson Piquet, em Brasília.


Final:

1) Allam Khodair (SP), Peugeot 307, 32 voltas em 47m41s727
2) Valdeno Brito (PB), Chevrolet Vectra, 47m50s945
3) Ricardo Mauricio (PR), Chevrolet Vectra, 47m51s396
4) Átila Abreu (SP), Chevrolet Vectra, 47m51s748
5) Luciano Burti (SP), Peugeot 307,47m52s246
6) Felipe Maluhy (SP), Chevrolet Vectra,47m52s440
7) Xandinho Negrão (SP), Chevrolet Vectra, 47m52s708
8) Max Wilson (SP), Chevrolet Vectra, 47m53s508
9) Alceu Feldmann (PR), Peugeot 307), 47m53s698
10) Popó Bueno (RJ), Chevrolet Vectra, 47m53s947
11) David Mufatto (PR), Peugeot 307, 47m56s930
12) Cacá Bueno (RJ), Peugeot 307, 47m57s294
13) Duda Pamplona (RJ), Chevrolet Vectra, 48m0s260
14) Diego Nunes (SP), Peugeot 307, 48m0s944
15) Thiago Marques (PR), Peugeot 307, 48m3s895

Classificação da Super Final após duas etapas:

1) Ricardo Maurício, 251
2) Max Wilson, 247
3) Allam Khodair, 240
4) Cacá Bueno, 236
5) Átila Abreu, 234
6) Nonô Figueiredo, 224
7) Felipe Maluhy, 218
8) Popó Bueno, 216
9) Marcos Gomes, 210
10) Daniel Serra, 207

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *