Trans Am Series: Rafa Matos estréia em Detroit

Ele não ficou parado – o ano de 2016 foi de muito trabalho nos Estados Unidos, onde está radicado, como instrutor de pilotagem no kart e em categorias como o Ferrari Challenge, além de usar toda a sua experiência para desenvolver todo o tipo de máquina sobre quatro rodas. Faltava, no entanto, a chance de voltar a acelerar em um campeonato de ponta e retomar a carreira vitoriosa, que valeu títulos da F-Dodge à Indy Lights, além de triunfo nas 24h de Daytona e dos vários resultados de destaque nas provas de longa duração.

Pois o mineiro Rafa Matos está de volta ao cockpit de um carro de corrida para brigar por posições e acrescentar mais uma categoria ao currículo. No fim de semana, o piloto de Belo Horizonte estreia no campeonato da Trans Am Series que volta a viver uma grande fase depois da força nos anos 1980 e 1990 – não é exagero chamá-la, pelo tipo de equipamento e pela filosofia, de “Nascar dos circuitos mistos”. Ele disputa a quarta etapa da temporada no circuito temporário do Belle Isle Park, em Detroit, que integra a programação da sétima etapa da Fórmula Indy.

 

Rafa foi convidado pela equipe HP Tech, sediada na Flórida, para pilotar o Camaro V8 do time na categoria TA2, considerada a mais competitiva do campeonato. Vai enfrentar adversários como Adam Andretti, Kyle Marcelli (com quem bateu rodas na categoria LMPC da IMSA), Scott Lagasse e Stanton Barrett, entre outros. Apesar de se tratar de um novo desafio, a expectativa é por bons resultados já na primeira participação.

 

“É um campeonato que vem crescendo muito e o nível técnico é bastante alto. Fiquei muito feliz com o convite da equipe e espero aproveitar bem o fim de semana para ganhar intimidade com o carro e brigar no primeiro pelotão”, explicou o mineiro.

 

Rafa vive um momento movimentado do outro lado da mureta dos boxes. Ele se tornou sócio da equipe Next Level Motorsports, criada para levar adiante a carreira do novato Jett Noland, de 14 anos. O piloto de Belo Horizonte será o responsável pela logística do time e pela orientação ao calouro, que estreará na Fórmula 4 (com suporte técnico da Cape Motorsports) e disputará também provas da categoria Legends.

 

“Era uma ideia que eu vinha amadurecendo há algum tempo e, graças à confiança da família Noland, se tornou realidade. O primeiro objetivo é proporcionar o crescimento e o aprendizado do Jett, mas, num segundo momento, espero poder trabalhar com pilotos brasileiros que queiram desbravar o automobilismo norte-americano como foi o meu caso. Além disso, vou poder realizar o sonho de correr pelo próprio time, inicialmente no kart e no Legends”, conclui.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *