Truck: Pedro Muffato volta às pistas em Guaporé na primeira etapa do Brasileiro de F-Truck

Seis meses após sua última participação e em fase final de tratamento médico, piloto paranaense vive momento de readaptação às corridas.

A primeira etapa do Campeonato Brasileiro de Fórmula Truck marcará a volta às pistas de um dos nomes mais emblemáticos da categoria. Pedro Muffato, já recuperado do tratamento clínico a que se submeteu no ano passado, confirmou participação na corrida deste domingo (2) no Autódromo Internacional Nelson Luiz Barro, na cidade gaúcha de Guaporé. Será sua primeira atividade com o Scania de competições em mais de seis meses.


Muffato não arrisca qualquer prognóstico sobre seu desempenho. “É uma incógnita completa. Devo estar completamente fora de forma, não sei até que ponto o preparo físico foi comprometido pelo tratamento, fica difícil prever um comportamento na pista”, explana o paranaense. “Além disso, faz seis meses que não piloto o caminhão. A equipe fez algumas modificações que eu não testei, pois preferi me preservar e não abusar”, conta.


A última participação de Pedro Muffato na F-Truck aconteceu na quinta etapa da temporada passada, disputada na pista pernambucana de Caruaru no dia 12 de agosto. Depois disso, submeteu-se a uma cirurgia programada. Diante de complicações pós-operatórias, teve de se submeter a um rigoroso tratamento médico. “O tratamento ainda não acabou, mas as exigências são bem menores e os médicos me liberaram para disputar a corrida”.


Pedro ausentou-se das quatro últimas etapas do campeonato de 2007. Em duas delas, em Curitiba e Brasília, seu caminhão Scania foi pilotado por David Muffato, seu filho, que compete regularmente na Stock Car. “Decidimos colocar o caminhão na pista naquelas corridas para atender aos compromissos com nossos patrocinadores. Para o David a experiência foi válida, um novo desafio. Agora, eu reassumo a boléia”, comenta o paranaense.


Guaporé recebeu em abril de 1996 a primeira corrida oficial da história da F-Truck. Para Muffato, a pista de 3.080 também tem um significado especial. Foi de lá, em 2006, que ele saiu pela primeira vez como líder de um campeonato da categoria, depois de terminar a corrida em segundo lugar. “Em algum lugar eu teria de voltar a correr, porque ainda me vejo longe de aposentar o macacão. Se é para voltar em Guaporé, ótimo, é uma pista que eu aprecio”, diz.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *