Venda de veículos no Brasil pode superar expectativas de crescimento em 2019

A indústria automotiva do Brasil previu fechamento de 2018 com aumento acima do previsto nas vendas dos veículos novos, e o mesmo patamar deve ser mantido em 2019, devido ao recuo das exportações para a Argentina. Contudo, pode ser que a produção não consiga seguir o ritmo e, possivelmente, esse cenário mude a partir do segundo semestre de 2019, conforme dados da associação representante do setor, a Anfavea.

Os dados mostram que as vendas de carros, veículos de pequeno porte, caminhões e ônibus novos no país tiveram aumento de 15% de janeiro ao mês de novembro em relação ao mesmo período do ano de 2017, antes das probabilidades previstas pela Anfavea para o ano de 2018 do crescimento de 13,7%. Já a produtividade nos últimos 11 meses teve aumento de 8,8% diante do mesmo período de acordo com a previsão da entidade, que era de alta de 11%.

Segundo presidente da Anfavea, a entidade errou no prognóstico das vendas e o fechamento de 2018 pode ter ficado em torno dos 15%. Em relação às exportações, as expectativas eram de que as metas alcançadas para 2018 fossem maiores que o esperado, pois o índice real encontra-se perto de 600 mil a 650 mil unidades.

Exportações batem recorde em 2018

A entidade entrou 2018 investindo em exportações recordistas de aproximadamente 800 mil veículos, o que resultaria em um aumento de 4% sobre 2017. No montante do ano até o mês de novembro, as vendas externas sofreram queda de 15,3% e chegaram a 597,4 mil unidades.

A Argentina vive um cenário em que a queda na demanda por veículos é bastante relevante, sendo a responsável por 70% das exportações de carros do Brasil. No mês de outubro, houve também o recuo das vendas externas, que mais uma vez registrou 53% de baixa na comparação anual e de 11,3% no mensal, que chegou a 34,5 mil unidades.

De acordo com o presidente da Anfavea, as providências tomadas pelo governo com a finalidade de trabalhar com a desvalorização do peso, que insere um fardo de auxílio com o Fundo Monetário Internacional (FMI), poderão apresentar melhores resultados por volta de 2019.

Devido a essa fragilidade nas vendas externas do ano de 2018, quesito que a indústria nacional está buscando superar com amplificação de exportações para mercados de porte menor, como Chile e Colômbia, a produtividade brasileira de carros possivelmente ficou abaixo das 3 milhões de unidades produzidas pela instituição, o que registraria um aumento de 11% em 2018 ante alta de 8,8% no ano até o mês de novembro.

O mercado interno é um dos principais fatores que segurou a indústria de veículos no ano de 2018, e que caminha incentivado por conta do grande interesse dos bancos em facilitar o financiamento. O índice de vendas de veículos novos em dias úteis foi de 11,5 mil, valor semelhante ao mês de outubro.

Fonte: Terra

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *