WEC: André Lotterer/Benoit Treluyer/Marcel Fässler vencem em São Paulo

O trio André Lotterer/Benoit Treluyer/Marcel Fässler (Audi R18 e-tron quatro) venceu neste domingo (1/09), a Seis Horas de São Paulo, 4ª etapa do Campeonato Mundial de Endurance. O trio Tom Kristensen/Loic Duval/Allan McNish completou a dobradinha da fábrica alemã. O trio Nicolas Prost/Nick Heidfeld/Mathias Beche (Rebellion Racing-Lola B12/60 Coupé-Toyota) terminou em terceiro.

Pole-position, o trio do Audi #1 dominou a prova. Após seis horas de prova, Fässler recebeu a bandeirada com três voltas de vantagem sobre McNish. Beche, em terceiro, terminou com cinco voltas de atraso.

“Com certeza estamos muito felizes, da metade para o final conseguimos alguma vantagem. Conseguimos ganhar a posição dos nossos companheiros no box, depois o Toyota teve um acidente e como nossa corrida foi sem problemas, conseguimos administrar o ritmo e vencer. Só fiquei chateado com a largada, pois não consegui ver as luzes de largada e acabei ficando para trás”, disse Fässler após a corrida.

Lotterer destacou que os dois Audis e o protótipo da Toyota apresentaram desempenhos semelhantes ao longo do final de semana, e comemorou a vitória. “Não estávamos superiores aos nossos companheiros, durante todo o final de semana estivemos próximos, inclusive com o carro da Toyota. Foi bom, conseguimos fazer dois trechos sem trocas de pneus e de pilotos, então acho que o carro se comportou bem, sem problemas, chegamos onde queríamos”, disse.

“Estamos aqui para ganhar corridas, então o nosso dia foi completo. Aceleramos o quanto pudemos e com o grande trabalho dos meus companheiros, eu evitei contato com outros carros e acelerei fundo para conseguirmos os pontos que nos deixam mais perto no campeonato”, concluiu Tréluyer.

O trio do Audi #1 contou também com uma sequencia de problemas com o Audi #2, dos parceiros de equipe, na metade final da prova. Primeiro Duval perdeu a roda traseira direita, na saída dos pits. Depois foram duas punições seguidas de stop and go, por excesso de velocidade nos pits e saída insegura.

Prost/Heidfeld/Beche assumiram a terceira posição logo na primeira volta, após o abandono do Toyota TS030, do trio Anthony Davidson/Sébastien Buemi/Stephane Sarrazin.
Sarrazin se envolveu em um toque na curva um, com Dominik Kraihamer (Lotus T128/LMP2) com 45 minutos de prova. O Toyota bateu forte na barreira de proteção, com o Safety-Car sendo acionado. Com isso apenas três carros da LMP1 permaneceram na prova.

Com a barreira de proteção totalmente danificada, o carro de segurança ficou na pista por quase uma hora.

O trio Roman Rusinov/John Martin/Mike Conway (G-Drive Racing/Oreca 03-Nissan), terminou em quarto no geral, vencendo na Classe LMP2. O trio Bertrand Baguette/Ricardo Gonzalez/Martin Plowman (OAK Racing/Morgan-Nissan) e Luis Perez Companc/Nicolas Minassian/Pierre Kaffer (Pecom Racing/Oreca 03-Nissan) fecharam os seis primeiros, completando também o pódio na LMP2.

Pela LMGTE Pro, vitória da dupla Gianmaria Bruni/Giancarlo Fisichella (AF Corse/ Ferrari F458 Italia), 9º no geral.

Bruni descreveu a corrida e lembrou do dinamarquês Alan Simonsen, morto em um acidente nas 24 Horas de Le Mans. “Foi uma corrida muito disputada, para quem assistiu foi muito interessante desde o começo. Largamos na quinta colocação e estávamos na liderança já na quarta volta. Depois disso sofremos pressão e fizemos todas as voltas em ritmo de classificação. Infelizmente perdemos o outro carro da equipe, mas a vitória veio e em boa hora, pois eu estive triste após Le Mans. Por isso além de dedicar a nossa vitória a todos de Maranello, dedico principalmente ao nosso falecido colega, Simonsen”, disse o piloto.

Fisichella elogiou o trabalho realizado por Bruni e lembrou a disputa limpa que teve com os segundos colocados durante a corrida. “A diferença no treino de classificação foi mínima, sabíamos que o nosso ritmo de corrida era muito forte e o nosso consumo de combustível nos daria vantagem. Gini fez um belo trabalho, nossos mecânicos foram rápidos e só posso agradecer a Ferrari, o nosso time AF Corse e os pilotos da Aston Martin por terem sido limpos e corretos na batalha conosco”, concluiu Fisichella.

O brasileiro Bruno Senna (Aston Martin Racing/Aston Martin Vantage V8), em dupla com o britânico Rob Bell, abandonou a prova.

Com duas horas de prova, Senna vinha em terceiro na LMGTE Pro, quando a suspensão traseira direita do Aston Martin #99 quebrou. Em entrevista, o brasileiro disse que o dano foi causado por um toque com um Porsche.

A dupla Stuart Hall/Jamie Campbell-Walter (Aston Martin Racing/Aston Martin Vantage V8) venceu na Classe GTE Am. No geral chegaram em 14º.

“Acabei ficando uma volta atrás dos meus concorrentes por uma curva quando o carro de segurança apareceu. Depois continuei acelerando, estava forte quando o nosso outro carro teve problemas e assumimos a liderança. Dedico nossa vitória ao nosso companheiro falecido, mas temos que erguer a cabeça, continuar e deixar o que aconteceu para trás. A equipe foi ótima nas paradas de box e só posso agradecer. Agora vamos para Austin”, disse Campbell-Walter após a prova.

O brasileiro Fernando Rees (Larbre Competition/Chevrolet Corvette CX6-ZR1) em trio com os franceses Patrick Borhauser/Julien Canal, recebeu a bandeirada na 19ª posição geral, e 6ª na LMGTE Am.

Por este motivo, o piloto da equipe Larbre Competition ganhou um prêmio especial. O de melhor brasileiro na Le Mans 6 Horas de São Paulo, que lhe rendeu um troféu, entregue pelas mãos do campeão de Emerson Fittipaldi.

Entre os diversos toques e acidentes durante as seis horas de disputas, destaque para a Ferrari 458 Italia em chamas, da dupla Kamui Kobayashi/Toni Vilander. Com Vilander no comando, a Ferrari pegou fogo pouco antes de duas horas de prova. O piloto saiu ileso, mas muito assustado do carro.

A próxima etapa do Campeonato Mundial de Endurance – FIA WEC será a 6 Horas de Austin, que acontece entre os dias 20 e 22 de setembro, no Circuit of the Americas, nos Estados Unidos.

Classificação por classe:

LMP1:
1- André Lotterer/Benoit Treluyer/Marcel Fässler (Audi R18 e-tron quattro/LMP1) – 235 voltas
2- Tom Kristensen/Loic Duval/Allan McNish (Audi R18 e-tron quattro/LMP1) – a 3 voltas
3- Nicolas Prost/Nick Heidfeld/Mathias Beche (Rebellion Racing-Lola B12/60 Coupé-Toyota/LMP1) – a 4 voltas
4- Anthony Davidson/Sébastien Buemi/Stephane Sarrazin (Toyota TS030/LMP1) – a 210 voltas

LMP2
1- Roman Rusinov/John Martin/Mike Conway (G-Drive Racing/Oreca 03-Nissan/LMP2) – 222 voltas
2- Bertrand Baguette/Ricardo Gonzalez/Martin Plowman (OAK Racing/Morgan-Nissan/LMP2) – a 1 volta
3- Luis Perez Companc/Nicolas Minassian/Pierre Kaffer (Pecom Racing/Oreca 03-Nissan/LMP2) – a 1 volta
4- Christian Zugel/Gunnar Jeannette/Bjorn Wiedheim (Greaves Motorsport/Zytek Z11SN-Nissan/LMP2) – a 5 voltas
5- Jaques Nicolet/Jean-Marc Merlin/Keiko Ihara (OAK Racing/Morgan-Nissan/LMP2) – a 8 voltas
6- Olivier Pla/David Heinemeier Hansson/Alex Brundle (OAK Racing/Morgan-Nissan/LMP2) – a 10 voltas
7- Tom Graves/James Walker/Robbie Kerr (Delta-ADR/Oreca 03-Nissan/LMP2) – a 164 voltas
8- Kevin Weeda/Christophe Bouchut (Lotus T128/LMP2) – a 175 voltas
9- Thomas Holzer/Dominik Kraihamer/Jan Charouz (Lotus T128/LMP2) – a 199 voltas

LMGTE-Pro:
1- Gianmaria Bruni/Giancarlo Fisichella (Ferrari F458 Italia/LMGTE-Pro) – 212 voltas
2- Stefan Mucke/Darren Turner (Aston Martin Vantage V8/LMGTE-Pro) – a 1s401
3- Jörg Bergmeister/Patrick Pilet (Porsche 911 RSR/LMGTE-Pro) – a 2 voltas
4- Marc Lieb/Richard Lietz (Porsche 911 RSR/LMGTE-Pro) – a 3 voltas
5- Paul Dalla Lana/Pedro Lamy/Richie Stanaway (Aston Martin Vantage V8/LMGTE-Pro) – a 26 voltas
6- Bruno Senna/Rob Bell (Aston Martin Vantage V8/LMGTE-Pro) – a 151 voltas
7- Kamui Kobayashi/Toni Vilander (Ferrari F458 Italia/LMGTE-Pro) – a 161 voltas

LMGTE-Am:
1- Stuart Hall/Jamie Campbell-Walter (Aston Martin Vantage V8/LMGTE-Am) – 208 voltas
2- Vicente Potolicchio/Rui Aguas/Davide Rigon (Ferrari F458 Italia/LMGTE-Am) – a 45s690
3- Christian Ried/Gianluca Roda/Paolo Ruberti (Porsche 911 GT3 RSR/LMGTE-Am) – a 1 volta
4- Raymond Narac/Jean-Karl Vernay/Christophe Bourret (Porsche 911 GT3 RSR/LMGTE-Am) – a 1 volta
5- Tracy Krohn/Nicolas Jönsson/Maurizio Mediani (Ferrari F458 Italia/LMGTE-Am) – a 5 voltas
6- Patrick Borhauser/Julien Canal/Fernando Rees (Chevrolet Corvette CX6-ZR1/LMGTE-Am) – a 14 voltas
7- Christoffer Nygaard/Kristian Poulsen/Nicki Thiim (Aston Martin Vantage V8/LMGTE-Am) – a 46 voltas
8- Jack Gerber/Matt Griffin/Marco Cioci (Ferrari F458 Italia/LMGTE-Am) – a 134 voltas

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *