100 Milhas Piracicaba: Prova teve a participação de 30 pilotos no ECPA

Categoria Tubular teve campeão inédito. Turismo apresentou dupla bicampeã

O autódromo do ECPA (Esporte Clube Piracicabano de Automobilismo) sediou, ontem (28), a 22ª edição da 100 Milhas Piracicaba, a qual, pelo segundo ano seguido, reuniu no mesmo grid carros de duas categorias – Turismo e Tubular –, num total de 30 pilotos, que percorreram 160 quilômetros no traçado de 2.100 metros.

 

O mais novo dono do circuito caipira de automobilismo é o veterano Celso Silveira Mello, que venceu a prova pela primeira vez com sua gaiola tubular, completando as 78 voltas em uma hora, 44 minutos e 27 minutos.

 

O resultado da categoria Turismo confirmou a festa do interior paulista, com a vitória da dupla Rodrigo Stefanini (de Capivari) e Felipe Giannetti (de Piracicaba). A 22ª 100 Milhas marcou o bicampeonato dos cunhados, que também venceram em 2010.

 

Para Celso Silveira Mello, o dia foi especial. “Vencer a 100 Milhas Piracicaba era um sonho para mim, que já fui vice várias vezes”, disse, emocionado. “Nunca desisti da disputa. Acho que somente Dito Giannetti, que correu quase todas as edições, me supera em participação na prova”, completou.

 

Silveira Mello venceu de ponta à ponta e, em nenhum momento das 78 voltas, deixou a liderança. “Agradeço minha equipe, que foi muito eficiente na preparação do carro e nos procedimentos da corrida. Meu abastecimento foi perfeito e essa contribuição foi fundamental para a conquista”, contou, com humildade e repartindo os louros com todos os mecânicos.

 

A segunda colocação da categoria Tubular ficou para Airton Favoretto. “Faltou muito pouco para minha terceira vitória. O carro estava bom, mas Celso fez uma corrida perfeita e não errou em nenhum momento”, comentou.

 

Em terceiro lugar, a dupla de São Paulo, Roberto Correa e Daniel Gianfratti. Já para o veterano Dito Giannetti, restou o consolo de mais uma participação na prova que ele mesmo criou e que cresce a cada ano. “Celso mereceu. Afinal, é um grande piloto, e justificou o apelido de professor com uma verdadeira aula de pilotagem”, falou Dito, cujo carro teve o câmbio quebrado há menos de nove voltas para a bandeirada.

 

Dividindo a pista com as gaiolas, mas em maioria no grid, os carros da Turismo deram um show a parte, com sequências de ultrapassagens constantes e sucessivas trocas de posição na liderança. Luiz Piccolo largou na ponta, posição em que ficou durante quase metade do circuito, quando foi superado pelas duplas Alexandre Passareli e Luis Cirino e, em seguida, Marcos Paulo e Rogério Fustaino.

 

Faltando um terço para completar a corrida, a dupla interiorana Felipe Giannetti e Rodrigo Stefanini, que largou na sétima posição, assumiu o comando do pelotão e escreveu mais uma página de sucesso na história de uma das mais tradicionais disputas de automobilismo do país.

“Vencer a 100 Milhas uma vez é um privilégio. Duas, então, é indescritível”, comemorou Stefanini. “Tínhamos um bom carro na mão, mas não encontramos o acerto nos treinos. O Pálio é confiável, já que corro há mais de um ano sem nenhuma quebra. Foi a vitória da persistência, pois foi difícil assumir a ponta”, definiu.

 

Para o companheiro Felipe Giannetti, que igualou-se ao pai, Dito Giannetti, em número de vitórias na 100 Milhas – num total de seis –, a conquista se deu na estratégia. “Vencer a 100 Milhas requer muita paciência. Nosso entrosamento ajudou bastante. A corrida é longa e cheia de alternativas, e esta edição foi uma das mais rápidas que disputei. Não cabiam erros”, afirmou.

 

Na segunda colocação chegou a dupla Gustavo Favoretto e Tomas Faé, que teve uma bela corrida de recuperação, após largar na 11ª posição. “Largamos muito atrás, o que dificultou. Mas estou contente com o resultado, dadas as circunstâncias da prova”, festejou Gustavo.

 

Confira o resultado das duas categorias

 

Tubular

1ª colocação Celso Silveira Mello

2ª Airton Favoretto

3ª Roberto Correa e Daniel Gianfratti

4ª Dito Giannetti

5ª Arquimedes Canova

 

Turismo

1ª  Rodrigo Stefanini e Felipe Giannetti

2ª Gustavo Favoretto e Tomas Faé

3ª Alexandre Passareli e Luis Cirino

4ª Rubens Datti Neto e Valter Paim

5ª Eduardo Medina

6ª Marcio de Lima e Eduardo Dias

7ª Eduardo Viana e Denis Mucci

8ª Jose Renato Torim e Adriano Colonello

9ª Edson Paes e Bruno Paes

10ª Marcos Paulo e Rogério Fustaino

11ª Luiz Picollo

12ª Elias Rocha e André Nohra Benati

13ª Luiz Gustavo e Fábio Lisboa

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *