24 Horas de Daytona: Fittipaldi pronto para estreiar pela equipe Cheever

Setenta carros divididos em duas categorias disputam no próximo final de semana uma das provas mais tradicionais do automobilismo mundial: a 44ª edição das 24 Horas de Daytona, em Daytona Beach, na Flórida (EUA).


O brasileiro Christian Fittipaldi, que já venceu a corrida em 2004, fará sua estréia na equipe Cheever Racing e vai lutar pela vitória ao lado do dono do time, o norte-americano Eddie Cheever, e o canadense Patrick Carpentier.

Os treinos livres terão início nesta quinta-feira (dia 26), também com a realização do primeiro treino classificatório (que vai definir os 30 primeiros carros no grid). A prova – que abre a temporada 2006 da Grand American Rolex Sports Car Series – terá sua largada no sábado (28) ao meio-dia (horário local), 15 horas de Brasília.

Fittipaldi, que assinou contrato com Cheever para disputar o campeonato deste ano, também vai continuar correndo no Brasil, onde defende a equipe Terra Avallone na Stock Car V8.

Na Grand-Am, a equipe Cheever estará competindo com um Lexus/Crawford na categoria DP (Daytona Prototype), que tem o total de 31 inscritos. Os outros 39 carros disputam a categoria GT.

“Essa será a minha quarta participação em Daytona. É uma prova muito diferente das outras, já que é bem longa. Ser rápido é importante, porém não tanto quanto nas provas curtas. O principal é chegar ao final das 24 horas, porque poucos conseguem terminar a corrida sem enfrentar problemas”, comentou Fittipaldi.

No início do mês, ele realizou testes com a Cheever Racing e ficou satisfeito com os resultados. “Fiquei muito contente com a equipe, porque todos são muito profissionais. Nos testes, aprendemos bastante sobre o carro, mas com certeza não estamos no mesmo nível que as demais equipes, que já correm na categoria há dois ou três anos”, destacou.

“Para tornar o nosso trabalho ainda mais difícil, a nossa combinação carro/motor (Lexus/Crawford) é a única no grid. Mas tenho a confiança de que fizemos a opção correta. No momento, acho que o nosso ponto mais fraco é o motor, portanto acho que o nosso potencial vai aparecer mais durante a prova do que na classificação”, continuou Fittipaldi, de 35 anos.

O brasileiro vai dividir a pilotagem pela primeira vez com Cheever e Carpentier. Mas eles já foram rivais nas pistas. “Tenho um relacionamento muito bom com os dois. Corri um ano contra o Eddie, em 1995, e vários anos contra o Pat na CART (Fórmula Mundial). Ele é um piloto muito competente e fácil de trabalhar”, finalizou Fittipaldi.

Cheever também correu por mais de 10 anos na Fórmula 1. Ele está fazendo sua estréia na Grand-Am, mas também é dono de uma equipe na IRL Indy Car Series.

Além de Fittipaldi, mais quatro brasileiros estarão disputando a corrida. Mario Haberfeld defende a equipe Lowe´s Fernandez Racing, ao lado do mexicano Adrian Fernandez e do norte-americano Scott Sharp. Oswaldo Negri corre pela Michael Shank Racing e terá como companheiros os norte-americanos Mark Petterson e AJ Allmendinger, além do inglês Justin Wilson. Tomas Erdos, brasileiro radicado na Inglaterra, estará no outro carro da Cheever Racing, com os ingleses Mike Newton e Warren Hughes e o sueco Stefan Johansson, e Walter Netto, que correrá com o Mazda da equipe Roar Racing

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *