24 Horas de Le Mans: Ozz Negri: Sou um abençoado por ter tido essa oportunidade

Um ano depois de iniciado o planejamento, a equipe Michael Shank Racing venceu o desafio de completar a sua primeira participação na 24 Horas de Le Mans. Tendo como equipamento o mesmo Ligier Honda que utiliza no IMSA WeatherTech SportsCar Championship, os pilotos titulares Oswaldo Negri Junior e John Pew contaram com a parceria do belga Laurens Vanthoor nesta jornada de enormes obstáculos, mas que ao final foi motivo de grande comemoração por parte de todos os 30 integrantes da equipe de Ohio que trabalharam na França.

Tamanho foram os problemas na fase de preparação que o 14º lugar na geral e 9º na categoria LMP2 teve ares de vitória após 24h1min00s289 de corrida, período no qual o trio Negri/Pew/Vanthoor completaram 354 voltas ou nada menos do que 4.702 km. Ainda na fase de preparação, uma quebra de suspensão resultou em um acidente de grandes proporções de danos. Na classificação, nem foi possível comemorar o 5º posto na categoria, uma vez que um vazamento de óleo exigiu a troca do motor e resultou na penalização com um stop and go de cinco minutos durante a corrida.

Sob a condução de Vanthoor, o Ligier Honda #49 fechou a primeira hora em 16º na geral e 6º na LMP2. Entretanto, logo a seguir a equipe optou por cumprir a punição regulamentar e os números despencaram. Ao cômputo dos primeiros 120 minutos de corrida, coube ao carro da Michael Shank Racing cruzar em 50º na geral e 21º na categoria. Seguiram-se, então, um ritmo de corrida marcado pela melhoria de performance e pits eficientes, independentemente de que estivesse conduzindo. A final, coube festejar a bandeirada final e a certeza de que, a essas horas, apesar do cansaço os planos para a 85ª Le Mans, a do ano que vem, jás estão sendo traçados.

“Foi incrível. Eu pesquisei muito sobre essa corrida e falei bastante com veteranos de Le Mans e a verdade é que você aprende muito em sua primeira vez aqui. Eu ainda acho que vai demorar um pouco para a gente ter a dimensão do que foi tudo isso. Essas lembranças e o aprendizado vão ficar para sempre. Eu sou abençoado por ter feito isso. Nossa equipe foi incrível. Tudo era novo e mesmo assim foi impecável. Todos os membros da equipe estão sempre sorrindo, eles têm uma grande atitude positiva e fazem a adversidade muito mais fácil de ser superada”, disse Negri, que estará de volta ao circuito da IMSA no dia 3 de julho com a etapa de Watkins Glen.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *