500 km de São Paulo: Ferrari supera Porsche nas últimas voltas nos 500 km de São Paulo

Daniel Serra e Chico Longo venceram a tradicional prova de longa duração pela segunda vez consecutiva

Faltavam sete voltas para o fim dos 500 de São Paulo quando Daniel Serra, pilotando um modelo Ferrari F430 GT2, construiu a manobra de ultrapassagem sobre o então líder da corrida, Nonô Figueiredo, no Porsche 911 GT3 RSR. A troca de posições devolvia a primeira colocação à dupla Daniel Serra e Chico Longo, tida como favorita desde as primeiras atividades em Interlagos, mas que passou boa parte da corrida de mais de três horas temendo ver a vitória escapar.

Largando na pole position, Chico Longo se envolveu num acidente ainda na primeira volta e despencou posições na tela de cronometragem, caindo para último. O carro, claro, permitia uma recuperação e ela veio gradativamente ao longo das 117 voltas da corrida. Até o parceiro dele, Daniel Serra concluir a manobra que deu à dupla a segunda vitória consecutiva nos 500 km de São Paulo. “Aquele acidente no começo deu uma desanimada, mas nós nunca desistimos”, contou Daniel Serra.

“Sabíamos que seria mais complicado, que teríamos mais trabalho, mas que ainda era possível vencer. E fizemos isso com consistência na pista e na estratégia, com um pit stop perfeito. Corrida de longa duração é assim, não é só velocidade”, comemorou Daniel Serra. O companheiro de pilotagem, Chico Longo, fez questão de dedicar a vitória ao primeiro piloto campeão brasileiro e ex-presidente da Confederação Brasileira de Automobilismo, Piero Gancia, que faleceu no início do mês.

Foi um dia de homenagem para Piero Gancia na 28ª edição dos 500 km de São Paulo. Pouco antes da largada, pilotos e equipes respeitaram um minuto de silêncio. Nas três horas seguintes, a própria corrida foi uma bela homenagem, com os vencedores terminando a prova menos de um segundo à frente dos segundos colocados, a dupla Nonô Figueiredo e Max Wilson. “Foi uma excelente corrida e o Daniel e o Chico estão de parabéns”, disse Max Wilson.

“No começo, eles ficaram um pouquinho, mas depois vieram recuperando e tiveram tempo para isso. Claro que gostaríamos de ter vencido, mas para nós foi um fim de semana legal, também”, concluiu Max Wilson. A terceira posição ficou com o trio Xandinho Negrão, Xandy Negrão e Andreas Mattheis, com o Audi R8 LMS. Pedro Queirolo e Marcello Sant’Anna cumpriram bem o objetivo de levar o Dodge Viper Competition Coupe num ritmo consistente até o final e subiram ao pódio em quarto lugar.

Mesmo com problemas eletrônicos, Walter Derani e Claudio Ricci acabaram em quinto. “Foi um grande evento, uma grande festa, com emoção do início ao fim, especialmente pela Ferrari encostando no Porsche nas últimas voltas. É impressionante como eles chegaram tão próximos depois de 500 km de corrida, repetindo o duelo que tiveram no ano passado”, afirmou Silvio Zambello, promotor dos 500 km de São Paulo.

“Agora é pensar em 2011 e já estamos conversando para ter mais tempo de preparar o evento, que neste nível precisa de pelo menos seis meses de cuidados. É esse o tempo que nós gostamos de trabalhar a corrida”, acrescentou Silvio Zambello. Na categoria II, ganharam Eduardo Furlaneto e Silvio Marotta, de Spyder. A classe III teve vitória de Henry Visconde, Carlos Andrade e Ricardo Landi, de BMW. José Cazuni e Algacir Serman, de Gol, terminaram em primeiro lugar na IV.

O RESULTADO FINAL EM INTERLAGOS
1) 1-Longo/ Serra (I), (117 voltas) 3:15:31.941
2) 911-Marcel/ Max/Nonô (I), a 0.816
3) 9-Alexandre/ Xandinho/Matheis (I), a 1 volta
4) 13-Sant’Anna/ Queirolo (I), a 8 voltas
5) 700-Walter/ Ricci (I), a 9 voltas
6) 21-Rossete/ Grecco (I), a 10 voltas
7) 70-Visconde/ Andrade/Landi (III), a 14 voltas
8) 0-Furlanetto/ Marotta (II), a 14 voltas
9) 18-Benitez/ Guerra (II), a 17 voltas
10) 22-Minach/ Faria (I), a 18 voltas
11) 11-Monis/ Araute (II), a 19 voltas
12) 30-Cazuni/ Serman (IV), a 20 voltas
13) 52-Gotti/ Rebellato/Eduardo (IV), a 22 voltas
14) 8-Guilherme/ Amorim (II), a 26 voltas
15) 77-Ventura/ Ortolani (I), a 26 voltas
16) 85-Luiz/ Giocondo (II), a 39 voltas
17) 81-Ramos/ Córdova (IV), a 71 voltas
18) 15-Landi/ Andrade (IV), a 72 voltas
19) 118-Amurim/ Philipi (III), a 79 voltas
20) 80-Finardi/ Silva Jr (II), a 82 voltas
21) 133-Garfinkel/ Daniel (I), a 98 voltas
22) 177-Adib/ Serra (I), a 102 voltas
23) 33-Molo/ Capparelli (I), a 116 voltas

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *