500 Milhas Granja Viana: Marco Santos salienta grande aprendizado na estréia

Assim como muitos outros pilotos, o catarinense Marco Santos (New Line / Feel Free / Worldpan) fez, no último final de semana, sua estréia na famosa e importante 500 Milhas de Kart Granja Viana, que reuniu diversas estrelas do automobilismo mundial, como Rubinho Barrichello, Felipe Massa, Tony Kanaan, Dan Wheldon, Ricardo Zonta e Nelsinho Piquet.

Para Marco Santos, que competiu ao lado de Alan Hellmeister e Nonô Figueiredo, dois pilotos importantes na história do automobilismo brasileiro, o que mais se salientou em sua estréia foi o enorme aprendizado adquirido. “Aprendi muito, como não poderia deixar de ser em uma prova desse nível, que reuniu pilotos importantes. Ter dividido o kart com o Alan e o Nonô também foi muito legal e esta foi uma experiência que não vou esquecer”, disse Marco Santos.

A atuação da equipe foi recheada de problemas, situação natural em uma prova de longa duração, quando a fadiga de material quase sempre acontece. Ao fim das mais de dez horas de prova e 644 voltas, a equipe recebeu a bandeirada em 25º lugar, posição um pouco distante do potencial da equipe. “Fomos muito atrapalhados por alguns problemas técnicos. Para começar, perdemos 10 posições no grid de largada por termos trocado o motor. Depois quebrou a mola do acelerador e tivemos que parar para resolver. Mais tarde foi o motor que quebrou e um pouco depois a carenagem se soltou, fazendo travar os pneus dianteiros. Perdemos muito tempo”, lamentou Marco Santos, que este ano disputou a Fórmula BMW Norte-Americana e a Fórmula Renault Brasileira.

Nos momentos em que não tinham problemas, os pilotos da equipe conseguiam ter um bom rendimento dentro da pista. “Não tínhamos um kart rápido, mas conseguíamos ser constantes, e isso foi importante para nossa recuperação”, contou o catarinense de Blumenau.

Mas, mesmo com os problemas, a equipe comemorou bastante sua recuperação na prova. “O 25º lugar ficou abaixo do que esperávamos antes da largada. Mas depois de tudo o que aconteceu, mostramos muita garra e superação. Simplesmente ter terminado a prova, com todos estes problemas, acho que já foi uma vitória. Claro que queríamos mais, mas em provas longas como esta é difícil não se ter problemas. No ano que vem voltaremos para vencer”, disse o piloto New Line / Feel Free / Worldpan.

A vitória ficou com a MG/ Polipetro, dos gaúchos Dudu Dieter, Francesco Ventre, Lucas Rodrigues e Otávio Bonder, e do paranaense Bruno Pacetti.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *