500 Milhas Granja Viana: Massa e Bertuccelli vivem histórias diferentes

Dos primeiros campeões, um chegou à Ferrari e outro só corre por hobby.

Dos pilotos que conquistaram a primeira edição das 500 Milhas Granja Viana de Kart, Felipe Massa e João Paulo Bertuccelli acabariam trilhando caminhos completamente diferentes. Enquanto Massa foi vencendo em todas as categorias que surgiram à sua frente até estrear na Fórmula 1 pela Sauber em 2002, Bertuccelli praticamente jogou a toalha naquele mesmo ano, depois de uma temporada de resultados apenas medianos na Fórmula Renault brasileira.


Giuliano Bertucelli, irmão de João Paulo, Júlio Campos, Tuka e Guilherme Rocha completaram a equipe na prova pioneira de 1997. Na época, todos eram ainda promessas do kart, com idades variando entre 12 e 15 anos e sem sequer imaginar o que o futuro reservaria a cada um. “Éramos amigos, meu irmão, o Felipe e eu, quando soubemos das 500 Milhas. Como tínhamos comprado um kart para os 1.000 km da Granja Viana, primeira corrida de longa duração do kartódromo, decidimos participar também desse desafio”, disse João Paulo, hoje com 23 anos.


“Não tínhamos dinheiro. Por isso, montamos uma equipe grande. Juntamos o Júlio, o Tukinha e o Guilherme e partimos com um orçamento mínimo e poucos pneus. Não esperávamos vencer. Acreditávamos que nosso equipamento agüentaria uma seis horas só, mas conseguimos terminar em primeiro lugar”, afirmou Bertucelli, que destacou o talento de sua equipe como principal trunfo para a conquista.


O glamour atual das 500 Milhas tampouco passava perto do kartódromo de Cotia naqueles tempos, assim como a imprensa e os investidores, que davam bola apenas para a presença das poucas estrelas presentes na prova. “Na época, de nome importante, corriam apenas o Rubens Barrichello, o Tony Kanaan, o Felipe Giaffone e o Cristiano da Matta”, relembrou João Paulo. “Lembro-me bem de uma situação curiosa daquela época, quando o Rubinho estava dando entrevistas para a televisão. O Felipe e eu passamos atrás dele e avisamos: ‘logo mais, vocês vão pedir entrevistas para a gente e não daremos’. E não é que eles nos procuraram depois?”.


A evolução do evento nos anos recentes impressiona Bertucelli. A mudança dos personagens – os pilotos de kart deram espaço às grandes estrelas do automobilismo brasileiro e mundial – causou uma radicalização na corrida, como cobertura maciça da mídia, grandes anunciantes e muito investimento nos equipamentos. “Era apenas uma festa de confraternização em forma de corrida. Para se ter uma idéia, pouquíssimos pilotos de fórmula participavam, era a turma do kart mesmo. Quem tivesse o melhor chefe de equipe para conduzir a corrida durante a noite se dava melhor. Era muito legal”, recordou João Paulo. “Hoje, é totalmente diferente. O alto nível dos pilotos das equipes principais torna a briga pela vitória muito acirrada. Isso também refletiu nos níveis técnico e financeiro do kart, com muita gente investindo, de empresas a pilotos, com televisão e tudo. Virou o acontecimento do ano”.


Muita coisa mudou também na vida dos pilotos. Felipe e João Paulo que o digam. Enquanto Massa conseguiu escalar os íngremes degraus do automobilismo até virar estrela da Ferrari, com direito a vitória no GP do Brasil, Bertucelli teve o destino de boa parte das promessas do kart: abandonou as pistas e hoje pratica o esporte apenas como hobby. “O que faltou pra mim foi o que quase faltou para ele: dinheiro”, lamentou o hoje estudante de Psicologia e professor de Jiu Jitsu. “Felipe conseguiu uma chance e essa oportunidade levou a outra até chegar onde está. Sempre soube que tinha algo a mais. No ano da nossa vitória, ele era o mais talentoso. Nossa amizade não mudou nada de lá para cá e, mesmo estando na Fórmula 1, continuamos correndo na mesma equipe. Posso dizer que essa nossa parceria vai durar muito tempo ainda”, confessou o integrante da equipe Massa, que terá também os pilotos Ruben Carrapatoso e Rafael Daniel.


João Paulo faz uma análise carinhosa da prova que lhe proporcionou a conquista mais importante da sua carreira no kartismo. “Acho muito legal fazer parte de um evento que vi nascer e agora tem vida própria. E lembrar que ganhamos gastando no máximo 1.500 reais!… Cresci dentro daquele kartódromo e acompanhei o crescimento das 500 Milhas. Atualmente, as pessoas esperam o ano inteiro para ver não só as grandes estrelas, mas também as ótimas disputas dentro da pista. É muito gratificante ser integrante dessa história”, encerrou.


A 10ª edição das 500 Milhas de Kart Granja Viana será realizada nos dias 2 e 3 de dezembro, com a presença de astros como Rubens Barrichello, Christian Fittipaldi, Mário Haberfeld, Felipe Giaffone, Nelsinho Piquet, Augusto Farfus Jr., Dan Wheldon, Vítor Meira, além, claro, de Felipe Massa e João Paulo Bertucelli, entre outros.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *