500 Milhas Granja Viana: Pilotos apostam em estratégia de box para enfrentar estrelas da F1

Gabriel Tojal, Norberto Gresse Filho, Fabio Sabaldo e Thiago Massa esperam incomodar os favoritos na prova mais esperada do ano.

Reabastecer na hora certa, evitar qualquer penalização e, em hipótese alguma, bater. É com essa estratégia – aparentemente simples de ser formulada, mas difícil de ser executada –, que os pilotos da equipe Agecom Gabriel Tojal, Norberto Gresse Filho, Fabio Sabaldo e Thiago Massa esperam superar as estrelas da Fórmula 1 na 10ª edição das 500 Milhas de Kart da Granja Viana. O maior evento do kartismo brasileiro começa à meia noite deste domingo (03) e reunirá 74 equipes e mais de 300 pilotos no circuito localizado em Cotia, na Grande São Paulo.


Formado por pilotos que possuem boa experiência no automobilismo, o quarteto da Agecom promete incomodar as equipes consideradas favoritas, entre elas as lideradas por Rubens Barrichello e Felipe Massa, e tem aproveitado os treinos desta semana para os últimos ajustes no equipamento com o qual enfrentarão seus ídolos. “O mais importante em uma prova longa é manter a constância. Ter velocidade é preciso, mas nosso objetivo é manter um bom ritmo durante as 644 voltas da corrida e fugir de qualquer problema”, declarou Gabriel Tojal, que lidera a equipe Agecom nas 500 Milhas.


O grupo liderado por Tojal destaca que evitar acidentes e adotar uma postura cautelosa para negociar ultrapassagens é a melhor forma de conquistar um bom resultado na principal corrida do ano. “Em poucas voltas os líderes já pegam retardatários e a atenção tem que ser bem maior. Um acidente pode fazer com que nossa equipe perca mais de 20 minutos para recolocar o kart na pista em perfeito estado. Para descontar uma diferença dessas, precisaríamos ser 2 segundos por volta mais rápidos que todo mundo durante a prova inteira, o que é simplesmente impossível”, aponta o piloto.


A preocupação em evitar penalizações – comuns por problemas de peso ou erros no procedimento de parada nos boxes – também é grande na equipe Agecom. “É perfeitamente possível superar o pessoal da Fórmula 1 nessa prova, porque eles enfrentam as mesmas dificuldades que a gente. A vantagem das principais equipes normalmente aparece no trabalho de box e é por isso que estamos trabalhando muito para a definição da estratégia para este ano. Parar na hora errada e pegar tráfego na balança ou no reabastecimento são fatores que podem acabar com a nossa corrida”, finalizou.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *