A1GP: Brasil atinge objetivos nos testes em Silverstone

O segundo e último dia do teste coletivo da A1 GP em Silverstone foi ainda mais animador para o Brasil.

 


Sérgio Jimenez andou pela manhã e fez o sexto tempo de sua sessão (1min10s817), enquanto Raphael Matos sentou no cockpit na sessão da tarde, quando a temperatura estava mais alta e a pista mais lenta, e foi o quinto mais rápido, com uma volta de 1min11s139. Rafa, que na frustrante temporada 2006/2007 levou ao Brasil à sua melhor colocação, o sexto lugar no GP de Pequim, foi categórico: “Definitivamente estamos em outro patamar, nesta temporada temos tudo para andar no grupo da frente. O time veio todo renovado na parte técnica e o carro está muito bom. É claro que ainda temos muito trabalho pela frente, mas o objetivo destes dois dias de testes, que era desenvolver ao máximo o carro, foi atingido. Na minha melhor volta, com pneus novos, eu podia ter tirado um pouco mais do carro, por isto sei que o sexto lugar é um pouco abaixo do lugar que realmente podemos ficar”, disse o mineiro, que ontem completou 26 anos.


O campeão da Champ Car Atlantic em 2007, que pelo título na série de acesso garante a participação na categoria principal em 2008, está negociando com algumas equipes, e sente-se um piloto mais evoluído: “Além de ter ganhado mais confiança com o título, também ganhei bastante quilometragem em relação à temporada passada”. Perguntado se conhece o circuito de Zandvoort, Holanda, onde a A1 GP faz a corrida de estréia da temporada 2007/2008 no dia 30 de setembro, Rafa deu uma resposta à Lewis Hamilton: “Só conheço no videogame”.


Emerson Fittipaldi, sócio e chefe do A1 Team Brasil, mostrou tanta empolgação com o teste de Silverstone quanto os pilotos: “O Rafa a gente já sabia que é rápido, e ele veio ainda mais maduro depois da conquista nos Estados Unidos. E o Jimenez foi uma grata revelação. Adaptou-se rapidamente ao carro, é rápido e bom acertador, passou informações importantes e sabe trabalhar em equipe”. Ainda falando sobre Jimenez e Matos, Fittipaldi ressaltou a importância do trabalho que a A1 GP vem fazendo. “Uma coisa que eu acho muito interessante na categoria, não só no Brasil, mas em outros times, é dar oportunidades para bons pilotos que por uma circunstância ou outra, mas na maioria delas por falta de patrocínio, não vêm sentando em carros à sua altura ao longo da carreira”.  


A Alemanha, que dominou a temporada 2006/2007, voltou a ficar no topo da tabela de tempos, seguida por Grã-Bretanha, Suíça e Nova Zelândia. Nos dois dias em Silverstone a equipe deu 197 voltas no traçado de 3619,88 metros, totalizando mais de 700 quilômetros rodados. A A1 GP faz outro teste coletivo em Silverstone nos dias 18 e 19 de setembro.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *