ALMS: Jaime Melo tenta em Long Beach sua segunda pole na temporada

Brasileiro atesta nível de equilíbrio da Ferrari F 430 e aposta em vitória para iniciar efetivamente campanha rumo ao bicampeonato.

O equilíbrio e o ganho de potência obtidos pela Risi Competizione em seu trabalho de acerto do modelo F 430 da Ferrari são alguns dos trunfos com que Jaime Melo Júnior conta para buscar, nesta sexta-feira (18), a pole-position da classe GT2 na terceira etapa da American Le Mans Series. A corrida será disputada na noite brasileira de sábado (19) no circuito temporário improvisado nas ruas do balneário de Long Beach, na Califórnia.


Melo Júnior e o finlandês Mika Salo, seu parceiro na disputa da série norte-americana, foram campeões da GT2 em 2007, com vitórias em oito das 12 etapas do calendário. A atual temporada, no entanto, tem-lhes surpreendido com fatores adversos que, nas duas corridas já disputadas, ocasionaram perda da liderança – acidente em Sebring e a pane eletrônica em St. Petersburg, em momentos que a dupla comandava a classificação.


“A gente fica chateado, lamenta, mas não adianta ficar chorando o leite derramado. Só o que podemos fazer é considerar que ainda temos 10 corridas pela frente e que há tempo para buscar o bicampeonato”, afirma o brasileiro. “Eu só espero que nossa cota de problemas para este ano tenha se esgotado. Ainda há tempo para recuperar o terreno perdido, mas nós temos que começar a ganhar corridas e o momento é este”, ele estipula.


Conquistar a pole e a vitória na prova deste sábado, marcada para as 20h10 de Brasília, é uma missão viável, na ótica do piloto brasileiro. “As duas primeiras etapas deixaram muito claro o nível de competitividade da Ferrari na American Le Mans, nosso carro é rápido e constante. Vamos tentar esquecer o passado e focar a briga pela pole. Long Beach tem uma pista travada, de difícil ultrapassagem, largar na frente é fundamental”, considera.


Em Sebring, Melo conquistou a pole e sustentava a vantagem na 137ª volta, momento do acidente que o obrigou a deixar a disputa. Em St. Petersburg, depois de largar em segundo, o piloto abria vantagem quando teve de estacionar nos boxes da Risi Competizione para sanar a pane eletrônica – a parada durou oito voltas e o décimo lugar no resultado final rendeu à dupla o único ponto conquistado até aqui, equivalente ao 16° lugar na classificação.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *