Automobilismo: Declínio da Fórmula Renault altera o perfil da Fórmula São Paulo

Categoria começa o ano em alta e apresenta números mais expressivos que o de suas cinco primeiras temporadas.

Os 15 pilotos inscritos para a etapa de abertura da Fórmula São Paulo e os 20 nomes esperados para a segunda corrida da temporada – que será realizada neste domingo (04), no Autódromo José Carlos Pace, na Capital Paulista –, estão ajudando a escrever a fase mais importante vivida pela categoria de monopostos no cenário do esporte a motor nacional. Criada há cinco anos como uma alternativa de baixo custo a então vedete do momento, a Fórmula Renault, a Fórmula São Paulo costumava ser vista como uma espécie de “Plano B” pelos pilotos. Hoje, a realidade é outra e a categoria ganhou destaque e prestígio no meio automobilístico, a ponto de reunir participantes de seis Estados na prova de abertura da temporada.

“A Fórmula São Paulo é hoje uma categoria respeitada e bem mais profissional do que há cinco anos, quando foi criada”, analisa o jovem piloto Gabriel Tojal (Agecom/Vorax/ Kartmox/Pirelli), estreante na categoria e Bicampeão Paulista de Kart. “Prova disso é o número de inscritos neste começo de temporada. Até o ano passado, os grids da categoria enchiam no final do campeonato, graças aos pilotos que procuravam uma alternativa mais barata que a Fórmula Renault para se familiarizar com monopostos. Boa parte deles fazia no máximo meia temporada e ia embora. Hoje, a realidade é outra, tanto que os grids estão crescendo já no começo do ano”, completou Tojal.

A marca de 15 pilotos na prova de abertura do campeonato representou um recorde para a categoria, e existe a possibilidade do número de inscritos para a segunda corrida do ano chegar às duas dezenas até esta sexta-feira, quando começam as atividades oficiais na pista do Autódromo José Carlos Pace, em Interlagos.

“A Fórmula São Paulo não é mais uma categoria regional. Na primeira prova do ano tivemos pilotos do Amazonas, de Minas Gerais, do Rio de Janeiro, de Santa Catarina e do Espírito Santo correndo aqui em São Paulo, o que faz com que a categoria caminhe a passos largos para ocupar, em definitivo, o espaço deixado pela Fórmula Renault”, acrescentou Tojal.

A temporada de 2007 da Fórmula São Paulo será composta por dez corridas, todas realizadas em conjunto com a programação do Campeonato Paulista de Automobilismo. A categoria utiliza chassis de fabricação nacional da marca Techspeed, equipados com motor AP 1.8 que rende 136 hp e é capaz de levar o monoposto a 230 km/h. O câmbio utilizado é o Hewland, o mesmo da Fórmula 3 Sul-Americana. Para deixar a disputa com maior igualdade, há apenas um preparador de motores para todos os competidores.

O calendário completo da categoria é o seguinte:
1ª etapa – 11 de fevereiro
2ª etapa – 04 de março
3ª etapa – 08 de abril
4ª etapa – 06 de maio
5ª etapa – 27 de maio
6ª etapa – 24 de junho
7ª etapa – 29 de julho
8ª etapa – 26 de agosto
9ª etapa – 04 de novembro
10ª etapa – 02 de dezembro

Após a prova de abertura da temporada, os dez primeiros colocados na classificação geral são:
1) Victor Corrêa (MG), 21 pontos
2) Caio Lara (SP), 15
3) Márcio Pasaneli (AM), 12
4) Thiago Calvet (RJ), 10
5) Leandro Florenzo (SP), 8
6) Paulo Meyer (SP), 6
7) Alisson Paulinelli (SC), 5
8) Gabriel Tojal (SP), 3
9) Thiago Massa (SP), 2
10) Felipe Leonardos (SP), 1

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *